PUBLICIDADE

Topo

Relacionamentos

"Quero alguém que entenda que sou mãe." Por que namorar alguém com filhos

Pessoas com filhos são complexas e, por isso, muito interessantes - Caleb Oquendo/ Pexels
Pessoas com filhos são complexas e, por isso, muito interessantes Imagem: Caleb Oquendo/ Pexels

de Universa

08/03/2021 04h00

"Me separei do meu marido quando o meu filho tinha 3 anos. Por muito tempo, nem pensei em novos relacionamentos. Agora estou voltando a considerar o assunto. Não quero mais morar com ninguém, mas queria um namoro legal, com alguém que entendesse que eu sou mãe, tenho muitas demandas na vida e que não quero grude nem cobranças. Só não sei como encontrar essa pessoa."

As estatísticas não são favoráveis à Valentina*, que contou sua história no episódio 46 do podcast Sexoterapia, dedicado a falar da vida sexual de mulheres com filhos pequenos (veja o caso completo no vídeo acima, a partir do minuto 51:47). No Brasil, os homens que são pais têm mais facilidade em encontrar parceiras do que as mulheres que são mães. Segundo Ana Canosa, sexóloga e apresentadora do podcast, isso tem a ver com a nossa sociedade machista: os homens não conseguem entender que mães também têm direitos a ter uma vida como mulher e as mulheres, por conta da maternidade identitária, estão mais disponíveis para lidar com os filhos de um parceiro.

Mas Ana lembra que se relacionar é trabalhoso sempre, independentemente de se ter ou não filhos, e que o relacionamento com uma pessoa que já é mãe ou pai pode trazer boas surpresas. "Filhos trazem muita maturidade para a nossa vida. Por isso, pessoas com filhos costumam ser muito interessantes", diz Ana.

Se você está interessado em alguém que tenha filhos, busque essa complexidade. "Demonstre curiosidade pela vida dela. Pela maternidade e também pelos outros aspectos da vida da pessoa — ela não é só mãe", diz Ana.

Segundo a sexóloga, esse lugar de parceiro de alguém com filhos também é privilegiado. "Você ganha um vínculo super rico, mas não precisa abraçar toda a responsabilidade de ser pai ou mãe."

Para mães que buscam novos relacionamentos, Ana recomenda considerar também outros homens ou mulheres que já tenham filhos. "Talvez eles possuam um melhor entendimento sobre esse universo, que é tão desafiador, mas tão maravilhoso, e que nos faz crescer muito."

*Nome fictício, para preservar a identidade da personagem.

Para saber mais:

Livros: Eu não nasci mãe (Lua Barros); Mulheres não são chatas, mulheres estão exaustas (Ruth Manus); Mães arrependidas (Orna Donath)

Filme: Tully

Podcast: Calcinha Larga (Spotify)

Série: Mira lo que has hecho (Movistar)

Acompanhe o Sexoterapia

Filhos pequenos é o tema do quinto episódio da sexta temporada do podcast Sexoterapia, que trata da sexualidade nas diferentes fases da vida.

Nesse episódio, as apresentadoras Marina Bessa, jornalista, e Ana Canosa, sexóloga, recebem a educadora parental Lua Barros.

Os podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts e em todas as plataformas de distribuição de áudio. Você pode ouvir Sexoterapia, por exemplo, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts, Amazon Music e Youtube —neste último, também em vídeo.

Relacionamentos