PUBLICIDADE

Topo

Vítima de violência doméstica pede socorro a bancário e é resgatada pela PM

Mulher deixou mensagem em bilhete entregue a bancário, que comunicou a Polícia Militar - Polícia Militar do DF/Divulgação
Mulher deixou mensagem em bilhete entregue a bancário, que comunicou a Polícia Militar Imagem: Polícia Militar do DF/Divulgação

Nathalia Zôrzo

Colaboração para Universa, em Brasília

03/03/2021 20h21

Uma mulher de 27 anos que estava sendo mantida em cárcere privado pelo companheiro conseguiu ser resgatada na última segunda-feira (1º) depois de entregar um bilhete ao funcionário de um banco pedindo ajuda. O caso aconteceu em Sobradinho, a 30 km de Brasília.

Segundo a Polícia Militar do Distrito Federal, a vítima aproveitou a ida a uma agência da Caixa Econômica Federal para sacar o benefício do Bolsa Família para fazer a denúncia. Em um pedaço de papel, ela escreveu "você pode me ajudar?", e desenhou um X — que é o símbolo de pedido de socorro da campanha de combate à violência doméstica no DF.

A mulher ainda escreveu que o agressor estava do lado de fora da agência esperando por ela, e anotou no verso do papel o endereço onde estava sendo mantida presa. Além disso, explicou que, se ninguém atendesse a porta, era para insistir porque o homem poderia fingir que não estava em casa.

O sargento Sérgio Borges, da Polícia Militar do Distrito Federal, conta que o bancário recebeu o pedido de socorro com discrição e avisou a PM assim que a mulher saiu da agência. "Ele tinha uma amiga que é policial e repassou tudo para ela, que já mandou uma viatura para o endereço. A gente chegou lá por volta das 14h30, meia hora depois do chamado", conta.

Quando a equipe chegou ao endereço indicado, o agressor não estava em casa. A mulher foi resgatada com os dois filhos, uma menina de três anos e um bebê de aproximadamente um ano. O trio foi levado a um abrigo.

Segundo a PM, a mulher contou que sofria constantes agressões verbais e era impedida de sair de casa. O homem ainda está foragido.

Como denunciar

Já sofreu uma agressão e quer denunciar? Registre um Boletim de Ocorrência por violência doméstica em qualquer delegacia. Se puder, procure uma delegacia da mulher, especializada neste tipo de caso.

Conhece uma mulher em situação de perigo? Ligue para 180. O canal do governo federal funciona 24 horas, incluindo sábados, domingos e feriados. A ligação é anônima e a central dá orientações jurídicas, psicológicas e encaminha o pedido de investigação a órgãos de defesa à mulher, como o Ministério Público.

Em casos de emergência, é possível telefonar para 190 e acionar a polícia.