PUBLICIDADE

Topo

Sexo

Sexo tântrico para iniciantes: 10 passos básicos para uma noite de prazer

Com algumas dicas simples qualquer pessoa pode experimentar os benefícios da técnica milenar de prazer - Getty Images
Com algumas dicas simples qualquer pessoa pode experimentar os benefícios da técnica milenar de prazer Imagem: Getty Images

Heloísa Noronha

Colaboração para Universa

10/02/2021 04h00

Encontrar novas formas de prazer, tirar a transa do piloto automático, obter orgasmos mais prolongados e intensos, aumentar a intimidade e elevar a conexão com o par a outro nível são alguns dos objetivos dos casais que se propõem a esmiuçar os segredos do sexo tântrico.

O Tantra, vale ressaltar, é uma técnica milenar criada pelos drádivas, povo que vivia antigamente na região norte da Índia, e requer estudos práticos e teóricos bem aprofundados. Com algumas dicas simples, porém, qualquer pessoa já pode começar a experimentar os benefícios. Conheça alguns dos fundamentos essenciais, segundo especialistas:

1. Dedique tempo à experiência
Os dois devem estar bem dispostos e descansados, pois o sexo tântrico não combina com pressa, preguiça ou cansaço. Assim, se jogue na vivência no horário em que você e o par estiverem com pique para enfrentar a jornada, fechadinhos no quarto e com os celulares desligados.

2. Capriche no ambiente
O quarto ou a sala precisam ser preparados com carinho e cuidado, livres de poeira, bagunça e desorganização. Se a relação rolar na cama, escolha lençóis macios ao toque. Na sala, espalhe almofadas ou travesseiros pelo local. Plantas, flores frescas e incensos têm o poder de elevar a vibração energética do lugar, assim como uma música bem suave. A iluminação deve ser suave ou à luz de velas.

3. Esvazie a mente
Não é hora de pensar em boletos, trabalho ou qualquer outro tipo de preocupação - a dica vale, inclusive, para suas expectativas em relação ao próprio Tantra. Para algumas pessoas o ritmo mais lento do sexo tântrico pode ser mesmo um desafio à concentração total no momento, mas é preciso manter o foco para que a experiência seja a mais plena e verdadeira possível.

4. Explore primeiro o próprio corpo
Antes de focar nas reações do outro, comece prestando atenção na sua respiração para ir relaxando aos poucos. Em seguida passe as mãos pelos cabelos e vá percorrendo com os dedos o seu rosto, os lábios, as orelhas. Depois parta para o pescoço, os braços, seios, barriga, nádegas, púbis. Repita os toques no corpo do parceiro. Importante: nesse momento, ninguém deve se preocupar com a exploração dos genitais.

5. Faça a posição do abraço tântrico
Também chamada de Yab Yum, ela é fundamental para trabalhar as polaridades feminina e masculina, aumentando a conexão do casal através da conexão da respiração. É bem simples: o homem se senta com as pernas cruzadas (ou "pernas de índio") e a mulher se posiciona em seu colo, envolvendo o quadril dele com suas pernas. Os dois precisam passar algum tempo assim, juntos, sendo que o ar expirado pelo homem é inspirado pela mulher e vice-versa, formando uma respiração circular. Os batimentos cardíacos também se regulam.

6. Troquem olhares
Olhem bem nos olhos um do outro. A troca de olhares é um dos pilares da prática e serve tanto para fortalecer o vínculo como para compartilhar as percepções da experiência num nível mais profundo. É claro que, em um primeiro momento, pode surgir um certo desconforto. Provavelmente vocês até cairão na risada, mas tentem persistir e sustentar o olhar por cinco minutos, depois dez e até quinze. Enquanto um observa o outro, ambos podem tentar expressar tudo o que sentem na relação.

7. Beije suavemente
Um deve beijar os lábios um do outro delicadamente: primeiro os superiores, depois os inferiores. As sucções devem ser suaves e, quando a língua entrar em ação, deve se movimentar vagarosamente.

8. Aposte nas massagens
Uma das técnicas é a Sensitive, que estimula o sentido do tato. Os dois, simultaneamente, devem passar as pontas dos dedos devagarinho pelo corpo um do outro. A ideia é percorrer cada zona erógena sem pressa para sentir os pelos, os poros arrepiados, detalhes da anatomia e, principalmente, regiões que costumam ser subestimadas ou esquecidas durante as preliminares.
Géis de massagem aromáticos ajudam a tornar o deslize ainda mais gostoso, assim como o óleo natural de coco. Outras massagens típicas do Tantra são a Yoni, direcionada à vulva, e a Lingam, específica para o pênis. Não se tratam de masturbação, pois a meta é despertar pontos adormecidos. Porém, pode acontecer, é claro, de um orgasmo surgir no meio do caminho.

9. Não tenha pressa de gozar
A sessão de preliminares e carícias deve ser um tanto demorada, pois o caminho do Tantra - aproveitar a viagem - já é a própria missão. A ideia é que o casal explore cada pedacinho dos corpos o máximo possível, observando as respostas sexuais a cada toque e movimento. Isso vai permitir, nas próximas relações, que cada um identifique melhor o que estimula e desperta o desejo do outro, aumentando a sintonia.

10. Deixe a penetração para o final
Frisamos: ela não é a meta, mas uma consequência. E por isso deve ser retardada o máximo de tempo possível. Quando acontecer, os movimentos precisam seguir um ritmo gradual para que a excitação caminhe numa marcha crescente - e o orgasmo, para os dois, seja vigoroso.

Fontes consultadas: Deeva Geeta, terapeuta tântrica, de São Paulo (SP); Juliana Bonetti Simão, psicóloga especializada em sexualidade, de São Paulo (SP), e Tiago Brumatti, terapeuta tântrico e diretor do Paraíso Tantra - Centro Especializado em Massagem Tântrica, em São Paulo (SP).

Sexo