PUBLICIDADE

Topo

Sexo

Como controlar a respiração pode ajudá-la a sentir mais prazer na cama

Heloísa Noronha

Colaboração para Universa

24/10/2020 04h00

Função vital básica, a respiração é importante para todas as atividades da nossa vida - incluindo, obviamente, o sexo. É claro que, no auge da hora H, todo mundo fica ofegante e não presta muito a atenção nela. Mas alguns exercícios simples podem ajudar na concentração, relaxamento e até beneficiar o prazer.

Separamos algumas dicas

1. Pratique a respiração consciente: um exercício fácil e rápido é inspirar e expirar três vezes, soltado o ar pela boca. Em seguida, foque sua atenção na respiração, com calma, no seu ritmo. Observe se o ar entra mais por uma narina do que outra e se a expiração é mais longa ou não do que a inspiração - o ideal é que seja. Perceba quais sensações sente nos pulmões e se o ar que entra e sai é frio ou quente. Repita esse exercício todos os dias e observe a qualidade de ar, reparando cada vez mais na respiração, nos movimentos e nas sensações. Nos momentos em que a mente vagar para os boletos ou outro tipo de preocupação, tente "trazê-la" de volta.

2. Tente sincronizar a respiração à ação sexual: durante o sexo, a respiração pode ser entendida como algo que cadencia os movimentos durante a transa. Se o casal conseguir sincronizar os dois, pode ter uma entrega maior e aproveito muito mais a experiência. Isso porque ao "respirarem" juntos" podem perceber quando estão ficando ofegantes e a chegada do clímax, prolongando ou não o momento do orgasmo.

3. Adote a técnica do "body scan": o escaneamento corporal funciona como um adendo à respiração consciente. Nesse caso, além de prestar atenção na atividade dos pulmões, a ideia é tentar relaxar cada parte do corpo, iniciando pelos pés até o tipo da cabeça. Pense que cada célula do seu corpo está "respirando". Com a prática frequente, essa estratégia ajuda a diminuir a ansiedade típica de quem fica preocupada se vai ou não gozar. Importante: ao fazer o "body scan", imagine que a vagina também está respirando, relaxando e ficando livre de tensões.

4. Exercitem-se durante as preliminares: quando os dois estão em equilíbrio e na mesma sintonia, relaxados e sem desespero para atingir o orgasmo, podem sincronizar a respiração sentando de frente um para o outro. Coloquem a mão esquerda no coração do par e comecem a respirar de forma ritmada: enquanto um inspira, outro expira. Se colarem os lábios, há mais intimidade e conexão. Conforme a excitação for aumentando, o ritmo respiratório também se eleva. Com a penetração, sentada no colo do parceiro), os movimentos pélvicos podem acompanhar a atividade respiratória do casal.

5. Façam um mapeamento erótico do corpo um do outro: essa é uma boa ideia para que ambos possam ajustar a respiração e prestar atenção em suas mudanças durante as preliminares. É bem simples: primeiro um explora o corpo do outro sem tocar necessariamente os genitais. Não se trata de masturbação. A massagem deve ser suave, com toques leves, para que a excitação aja num movimento crescente. Em seguida, é a vez do outro mapear o par.

6. Masturbe-se para entender como funcionam, juntos, a respiração e o prazer de cada um: ao tocar-se, seja com os dedos ou com um sex toy, você vai ter uma percepção mais ampla de como o ar entra e sai dos seus pulmões à medida que o estímulo for surtindo efeito. É um ótimo exercício para aprender a dominar a ansiedade, a perceber quais carícias a deixam ofegante e para, claro, aplicar depois a dois.

Fontes consultadas: Breno Rosostolato, psicólogo, educador sexual e cofundador do projeto de imersão para casais LovePlan; Carla Cecarello, psicóloga, sexóloga, consultora do site C-Date e fundadora da ABS (Associação Brasileira de Sexualidade), e Paula Manadevi, sexóloga sistêmica e terapeuta tântrica integrativa, do Rio de Janeiro (RJ).

Sexo