PUBLICIDADE

Topo

Stalkeadas

Um olhar diferente sobre o que bomba nas redes sociais


Stalkeadas

Transfobia? Mulheres trans opinam sobre discussão de Lumena e Caio no BBB

Projota, Fiuk, Gilberto, Rodolffo e Caio depois de serem maquiados pelas mulheres; cena gerou discussão dentro e fora do BBB - Reprodução/Gshow
Projota, Fiuk, Gilberto, Rodolffo e Caio depois de serem maquiados pelas mulheres; cena gerou discussão dentro e fora do BBB Imagem: Reprodução/Gshow

Mariana Gonzalez

De Universa, em São Paulo

28/01/2021 13h04

O Big Brother Brasil começou há três dias, mas muita água já passou pela ponte da casa mais vigiada do Brasil — até agora, o tema que mais movimentou os participantes e os espectadores, aqui do lado de fora, foi a discussão entre Lumena e Caio sobre homens se maquiando e como a "brincadeira" pode ser ofensiva para pessoas trans.

Tudo começou quando Caio sugeriu que as mulheres maquiassem os homens. Depois de "montados", ele, Fiuk, Projota, Rodolffo e Gilberto fizeram poses em frente ao espelho e desceram as escadas da casa desfilando.

Mais tarde, Lumena criticou a atitude, dizendo que aquilo, que para o grupo era uma diversão, para pessoas trans poderia representar violência. Ela mesma explicou seu ponto de vista, em conversa com Caio e outros brothers, na cozinha:

Pessoas se maquiam para serem reconhecidas, é algo muito sério, não é apenas uma brincadeira, é identitário. Sua brincadeira, em mim, tocou em um lugar muito violento. Eu sei que você não sabe, porque eu sei que você não tem amiga trans ou travesti, então você nunca ouviu o que eu ouvi. O que você brincou hoje, para outras pessoas e outros grupos, o nome é violência.

Em 21 edições de BBB, apenas uma pessoa trans entrou no reality: Ariadna Arantes, em 2011 — e vale lembrar: ela não passou mais que uma semana na casa, já que foi eliminada no primeiro paredão.

Se dentro do BBB coube a Lumena, que é uma mulher cisgênero, criticar essa atitude, no Twitter não faltaram mulheres trans se posicionando sobre o tema (e todas concordando que a atitude de Caio foi sim ofensiva).

Com a palavra, quem em a vivência:

Para começar, não é só sobre maquiagem

Rebecca Gaia, youtuber e ativista:

Gabriela Loran, atriz e performer:

Piada leva à violência

Lana de Holanda, escritora:

Duda Salabert, vereadora (PDT-MG):

E o medo de agressão é constante

Lana de Holanda:

Não é preciso ser trans para falar contra a transfobia

Giovanna Heliodoro, historiadora e pesquisadora:

Aretha Sadick, atriz e modelo:

Por que pessoas trans não estão no BBB?

Ana Flor, acadêmica:

Raquel Virgínia, cantora:

Meu questionamento está no fato do programa BBB não ter pessoas trans. O mundo do entretenimento nos renega o tempo inteiro. O programa não convida pessoas trans há anos. Essa é a questão central.

A Lumena interveio e trouxe um repertório a favor das pessoas trans. O que eu não gosto do argumento dela? Ali se reduziu ser trans a maquiagem. Eu, Raquel Virgínia, não gosto desse argumento. Um homem maquiado é um homem maquiado. Mulher trans não é isso. Cria uma ideia equivocada de que nós somos homens maquiados. Ainda assim, acho que Lumena agiu conforme o repertório de vida dela. E sim, que bom que ela está lá e que bom que, de alguma forma, ela colocou aquele monte de macho nos seus devidos lugares.

Errata: o texto foi atualizado
Duda Salabert é do PDT, e não do PSOL, como informamos inicialmente.

Stalkeadas