PUBLICIDADE

Topo

Beleza

O Gambito da Rainha: 5 clássicos de beleza que amamos reencontrar na série

Reprodução / Internet
Imagem: Reprodução / Internet

Elisa Soupin

Colaboração para Universa

14/11/2020 04h00

Uma história boa, contada com referências de beleza que se confundem à própria narrativa. É assim a série "O Gambito da Rainha", da Netflix, que conta a história de Elizabeth Harmon (Anya Taylor-Joy), uma exímia enxadrista. Baseada no livro de Walter Tevis, a atração está entre as mais assistidas da plataforma de streaming e não é para menos: mesmo que você não entenda nada de xadrez, é inevitável torcer pela personagem ao acompanhar a trajetória da jogadora nos EUA dos anos 50 e 60, em um universo masculino e machista. Como bônus, uma make retrô chique, um cabelo-desejo e uma pele com cara de filtro de Instagram.

"A série é muito mais sobre a construção e a transformação da personagem Elizabeth Harmon, desde o orfanato onde cresceu até sua celebração como prodígio. A evolução da maquiagem e do cabelo das personagens presta um papel fundamental para acompanhar a evolução da protagonista", avalia a consultora de estilo e fã de cultura pop Raísa Vital, que analisou as escolhas de beleza da série, escrita e dirigida por Scott Fran, e pontuou clássicos, que mudam, se reinventam, mas até hoje, agradam.

Franja bem curta

Gambito franjinha - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

No começo da série, desde a infância como órfã até o início da adolescência, a franja curtíssima é característica de Elizabeth.

"Na transição da infância nos anos 50 para a adolescência, ela usa uma franjinha muito característica da época, que ficou marcada por Bettie Page e Audrey Hepburn: bem curtinha, bem acima da sobrancelha. Na trama, a tendência marca o fim dos anos 50 e acentua um aspecto mais infantil e inocente da personagem", avalia Raísa Vital.

Essa tendência retrô voltou com força há alguns anos e segue firme e forte. "O visual é mais ousado e não agrada a todas, mas garante muita personalidade para as que se arriscam. Se é o seu caso, usar ela bagunçadinha para um visual mais moderno pode ser boa ideia", diz a consultora.

Delineado com personalidade

Marca registrada dos anos 60, os olhos delineados se reinventam, mas nunca perdem o reinado quando o assunto é destacar o olhar. "Os olhos dramáticos, sempre delineados e com muita personalidade, são um dos principais pontos de construção visual das personagens femininas", diz Raísa.

Como há muitos planos em que o rosto dos jogadores fica em evidência, o delineado de Elizabeth vira marca registrada - e o fato da atriz Anya Taylor-Joy ter olhos grandes e muito expressivos ajuda. "Essa escolha é importante para o impacto das cenas dos jogos, ao aumentar seus olhos e reforçar o olhar matador que tanto intimida seus oponentes", fala a especialista. O que um olhar não é capaz de fazer, né?

Ainda nos delineados, eles aparecem de forma diferente na série para ajudar a contar a história de uma fase complicada da personagem.

"Em um momento problemático, ela usa um delineado gráfico, ousado e bem marcante, que destaca o que está passando. Esse visual de traço grosso de delineador no côncavo, mais tracinhos ou linha desenhada abaixo dos olhos, como se reforçassem os cílios inferiores, foi eternizado por Twiggy nos anos 60 e voltou com tudo nas passarelas no ano passado", analisa.

Unha stiletto

Gambito unhas - Reprodução/Netflix - Reprodução/Netflix
Imagem: Reprodução/Netflix

Já em um momento de reconhecimento na carreira, as unhas em formato stiletto ficam em evidência. "Como enxadrista, as mãos da personagem aparecem bastante. Apesar de sempre discretas em tons nude, as unhas nesse formato se destacam por reforçarem sua feminilidade em um mundo masculino. Ajudam a criar o contraste entre a delicadeza de suas mãos e a assertividade de suas jogadas", diz a consultora de estilo.

Já há alguns anos o stiletto voltou com força total aos salões. "Essa tendência pode ser usada de forma dramática, com unhas bem compridas e pontudas, ou mais discretas como as de Elizabeth, médias ou mais curtas. Em todas as cores e até com decorações diferentes", fala.

Corte chanel

No sexto capítulo da série, Cleo (Millie Brady), uma personagem secundária, aparece com um visual descolado e moderno para a época. "Ela encanta Elizabeth como um contraponto glamouroso à sua história. Cleo, que é francesa e modelo, traz um clássico da época: um corte chanel sofisticado e estiloso, bem tradicional: reto e com franja", destaca Raísa.

Não é novidade que o chanel é um clássico e os clássicos não morrem. "O corte ainda é versátil nos dias de hoje, podendo ganhar uma cara mais moderna, com um comprimento long bob e desnivelado na frente e atrás", diz.

Black Power

Gambito black power - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

Jolene (Moses Ingram), amiga negra de Elizabeth desde a época do orfanato, reaparece com seu cabelo, antes sempre trançado, em um visual black power arrebatador.

"Seu cabelo está cheio de referências da época. Marca dos movimentos culturais e luta pelos direitos civis dos anos 60, Jolene volta à série com seu penteado black power, sinalizando a evolução e afirmação estética da personagem como negra no contexto americano da época", diz Raísa.

Assim como à época, quando o cabelo marcava um posicionamento político, hoje, assumir os cachos e crespos não é só tendência, mas algo muito maior. "Transcende uma questão de moda ou estética e é uma importante mudança cultural nos dias de hoje, na cabeça de meninos e meninas que vêm passando por um processo de valorização da própria beleza, muitos passando por processos de transição capilar e aceitação de quem são", avalia.

Beleza