PUBLICIDADE

Topo

Beleza

Minha 1ª coloração: o que é preciso saber antes de mudar a cor do cabelo

Claudia Ohana mostrou a transformação nos cabelos após tingir os fios de loiro - Reprodução/Instagram
Claudia Ohana mostrou a transformação nos cabelos após tingir os fios de loiro Imagem: Reprodução/Instagram

Natália Eiras

Colaboração para Universa

30/10/2020 04h00

Mudar a cor do cabelo é um processo que pode ser muito gostoso, mas que precisa ser feito com responsabilidade para que seus fios —e a sua conta bancária— fiquem sadios. Um ruivo super pigmentado requer mais manutenção da cor. Um loiro poderoso exige cuidados redobrados com a nutrição dos fios. Se você decidiu que é hora de mudar, Universa traz a palavra dos especialistas e conta o que você precisa saber antes de apostar na tintura pela primeira vez.

Como acertar na escolha da tonalidade

Para o cabeleireiro Rodrigo Cintra, apresentador do "Esquadrão da Moda" e fundador do salão The Art Salon, é importante levar em consideração a tonalidade da sua pele. "É preciso que a cor dos fios combine e caia bem no fundo de pele da cliente", afirma.

Para que fique mais fácil visualizar como ficará o resultado, Megue Costa, hairstylist do Emme Vip, aconselha que a interessada procure referências de pessoas que tenham a pele da mesma tonalidade que a dela.

"É muito comum que as clientes venham com inspirações que elas viram na internet. Por isso, é importante que ela venha com fotos de pessoas que sejam semelhantes a ela, cujo fundo do cabelo e a raiz seja parecidos com o dela, porque assim a cliente poderá ver como aquela tonalidade vai contrastar com a cor de sua pele", diz a especialista.

Outra opção que ajuda a escolher a tonalidade é o teste de coloração pessoal. "Ao encontrar a sua paleta de cores, fica mais fácil de ver quais tons deixarão seu rosto mais iluminado e os que podem ressaltar também a cor de sua pele", afirma Megue.

Além disso, aplicativos que brincam de mudar a cor dos cabelos podem auxiliar na projeção da sua imagem após a mudança. Quanto mais radical for a escolha, maior a necessidade de "prever" se a transformação vai mesmo agradar o que você vê no espelho —isso porque voltar à cor natural pode exigir paciência, cuidado e dinheiro.

Mas a coloração também é uma opção para pequenas mudanças de tom ou para a cobertura de fios brancos. Se você nunca tingiu os fios, é preciso ter em mente qual a condição dos seus fios e qual resultado esperado.

Método de coloração

De acordo com os especialistas, a escolha do método de coloração depende do tipo de cobertura que você quer espera alcançar. "Para cobrir os fios brancos, por exemplo, um tonalizante na cor próxima ao do cabelo natural já basta", fala Rodrigo Cintra.

Pintar os cabelos - Getty Images - Getty Images
Imagem: Getty Images

Agora, se a sua intenção é fazer uma mudança radical, a coloração —e, em alguns casos, a descoloração— vai ser necessária. "Para ir de um cabelo escuro para o ruivo, por exemplo, vai ser necessário que a tonalidade do fio seja levemente aberta para que se coloque o pigmento vermelho", explica Megue. "Assim, aquele cabelo não vai mais ser natural, vai passar por um processo químico e vai requer cuidados."

Isso porque, como regra geral, se a ideia é clarear em muitos tons o cabelo, o produto químico precisa remover o pigmento do fio, o que pode fragilizá-lo, mesmo na primeira vez.

Em todos os casos, é preciso encarar um teste de toque, em que uma pequena quantidade do produto é testada em uma área do corpo para avaliação uma possível reação alérgica. Se você vai tingir os cabelos em casa, não ignore as instruções do fabricante, porque cada produto tem suas especificidades.

Como fazer a manutenção da cor

Segundo Rodrigo Cintra, não importa qual seja a cor escolhida, você precisará fazer a manutenção da cor em até 30 dias. "A variação de tempo vai depender muito do crescimento dos fios e do grau de envelhecimento da cor", afirma.

Ainda assim, há cores que exigem mais idas ao cabeleireiro ou, se a mudança tiver sido suave, retoques em casa. "Então a cliente precisa levar em conta quão disposta ela está a cuidar do cabelo colorido, e se o procedimento cabe dentro do seu bolso", indica Cintra.

Megue Costa diz, por exemplo, que o ruivo é uma tonalidade que vai pedir uma manutenção mais cuidadosa. "Ele desbota mais rápido e fica mais evidente [a descoloração]. Então você poderá ter que retocá-lo a cada 20 dias, em alguns casos", diz.

O loiro, por sua vez, não só pede a manutenção como um cronograma capilar. "É o dobro de trabalho. O fio fica desnutrido porque perde massa ao passar pelo processo de descoloração", complementa Cintra.

Cuidados após a aplicação

E o processo não acaba ao deixar a cadeira do cabeleireiro. Você também terá que mudar os produtos que você usa para lavar o cabelo. "É importante que a cliente use xampu e condicionador específicos para cabelos coloridos, porque eles têm um pH mais ácido e evitam que os fios desbotem", diz Cintra.

É importante lembrar também que há risco de ressecamento dos fios, o que pedirá um reforço na hidratação. Isso sem falar na proteção solar. "A gente aconselha também o uso de leave-ins com fator de proteção porque o sol, principalmente no verão, acelera o desbotamento da cor."

Avalie o histórico do cabelo

Se você está disposta a investir dinheiro e tempo no cabelo colorido, não esqueça, por fim, de abrir seu coração para o hairstylist. Seja bem sincera com o profissional sobre o histórico de procedimentos que você já fez no seu cabelo.

"Ele precisa saber se você já fez alguma progressiva ou qualquer outra química, porque eles não são compatíveis com alguns tipos de coloração", diz Megue.

O profissional deve ficar sabendo até mesmo se você já passou um tonalizante em casa. "Ele vai ter que fazer a cor levando isso em consideração, uma vez que o pigmento que está no fio pode interferir no resultado final."

Agora, é só encarar a mudança e ser feliz com o visual novo.

Beleza