PUBLICIDADE

Topo

Homem mata a mulher a facadas em MG e confessa crime à família da vítima

Franciane Costa Simione Dourado de Oliveira relatava problemas com o marido - Acervo pessoal
Franciane Costa Simione Dourado de Oliveira relatava problemas com o marido Imagem: Acervo pessoal

Simone Machado

Colaboração para o UOL, em São José do Rio Preto (SP)

30/10/2020 18h58

"Dar quatro facadas na pessoa que você diz que ama e fugir não tem explicação. Não tem como aceitar que depois disso tudo ele ainda está em liberdade. A gente só pede justiça."

O desabafo é da analista contábil Dayane Simione, 25 anos. Ela teve a irmã mais velha, a cantora Franciane Costa Simione Dourado de Oliveira, de 36, assassinada a golpe de facas na última terça-feira (27), em Uberaba (MG). O principal suspeito do crime é o marido da vítima, que fugiu depois de cometer o feminicídio e hoje está em liberdade.

Ainda chocada com o crime, Dayane conta que a irmã foi atingida com pelo menos quatro facadas no tórax. Dois dias depois do crime, a analista contábil ainda trocou mensagens com o cunhado pelo WhatsApp. O homem, que não teve o nome divulgado, assumiu o crime e pediu perdão pelo que fez.

Na troca de mensagens, Dayane questiona o cunhado sobre o assassinato de Franciane. "Por que você matou minha irmã? Você destruiu os sonhos dela, você destruiu uma família. E você foge simplesmente. Minha irmã tinha sonhos, ela era sua esposa, mãe do seu filho."

O homem diz então que não teve a intenção de matar a mulher e pede desculpas à família da vítima.

"Me perdoem, nunca foi minha intenção, morri junto com ela. Foi impulso do momento, nunca quis fazer isso. Eu a amava, destruí a vida dela, a de vocês e a minha. Estou sem chão, não sei o que fazer, me perdoe. Eu não fugi, só não sei como encarar a situação, me perdoe, pelo amor de Deus, me perdoe", responde o suspeito.

Segundo Dayane, o casal estava junto há 13 anos e tinham um filho de 7 anos. No dia do crime, a criança estava em casa. Do quarto, ouviu a discussão dos pais e o assassinato da mãe. Após o crime, o suspeito levou a criança até a casa de um familiar e fugiu em seguida. O menino permanece sob os cuidados da família materna.

Já o pai se apresentou à polícia dois dias depois do crime. Segundo a família de Franciane, como o suspeito não foi preso em flagrante, está respondendo ao crime em liberdade.

"Isso revolta muito porque sabemos que nada vai acontecer. Ele deu uma facada no peito da minha irmã e foi para matar, ele tinha essa intenção, mas até ele ser julgado vai demorar", desabafa a irmã da vítima.

Relacionamento abusivo e o crime

De acordo com o boletim de ocorrência, no dia do crime, Franciane e o marido tiveram uma discussão por volta das 19h30. Em seguida, o homem teria esfaqueado a companheira e fugido de casa com o filho do casal de 7 anos.

Após o crime, o marido teria ligado para o advogado dizendo que, depois de uma briga, Franciane teria caído, batido a cabeça e estaria inconsciente. O advogado teria então chamado a Polícia Militar, que, ao chegar na casa do casal encontrou a mulher morta e com marcas de ferimentos.

Franciane era cantora e se apresentava em barzinhos da cidade. Além disso, também trabalhava como corretora de seguros. Ela foi enterrada ontem, em Jataí (GO), onde sua família mora.

De acordo com familiares, o casal vivia um relacionamento tumultuado. Franciane já teria relatado aos familiares que era agredida pelo marido e teria se mudado para Uberaba para se distanciar do companheiro.

"Ela já tinha denunciado as agressões e tinha uma medida protetiva contra ele. Há um ano e meio ela se mudou para Minas Gerais, mas ele foi atrás dela e ela acabou reatando a relação. Ela sempre me ligava dizendo que ele estava agressivo e eu pedia para ela voltar para casa. Mas a mulher nunca acredita que o homem é capaz de matá-la", relata Dayane.