PUBLICIDADE

Topo

Sete estados dos EUA já proibiram a discriminação contra cabelos naturais

Mulheres e meninas negras são as principais vítimas desse tipo de discriminação - Getty Images
Mulheres e meninas negras são as principais vítimas desse tipo de discriminação Imagem: Getty Images

De Universa, em São Paulo

17/09/2020 17h01

Entrou em vigor nesta semana uma lei que proíbe a discriminação contra cabelos naturais no estado do Colorado, nos Estados Unidos.

A "CROWN Act legislation" foi aprovada em março, e passou a ser aplicada na segunda-feira (14). O nome "CROWN" significa coroa e é um acrônimo para "Create a Respectful and Open World for Natural Hair" — em português, "Criar um Mundo Respeitoso e Aberto ao Cabelo Natural".

A discriminação contra cabelos naturais acontece, por exemplo, quando pessoas são obrigadas a mudar o corte ou estilo de seus cabelos no ambiente escolar ou profissional. Mulheres negras estão especialmente sujeitas a esse tipo de preconceito. Leslie Herod, autora da proposta, explicou ao Denver Post:

"Ninguém deve ser penalizado pela forma como seu cabelo cresce naturalmente. Precisamos apoiar e celebrar nossa diversidade, e garantir que o Colorado seja um lugar que protege quem sofre discriminação."

A CROWN Act é uma parceria entre a CROWN Coalition e a Dove e já foi aprovada em seis outros estados: Nova York, Califórnia, Washington, Virgínia, Maryland e Nova Jersey.