PUBLICIDADE

Topo

Modelo processará Leo Lins após gordofobia e transfobia: 'Cruel e violento'

A modelo Bia Gremion, de 23 anos - Reprodução/Instagram
A modelo Bia Gremion, de 23 anos Imagem: Reprodução/Instagram

Mariana Gonzalez

De Universa, em São Paulo

30/07/2020 18h51

A modelo Bia Gremion viu uma foto sua ao lado do namorado, Lorenzo, surgir no perfil do comediante Leo Lins na última terça-feira (28). Ele, que se autointitula "o rei do humor negro", usou a imagem do casal para fazer piada e, ao mesmo tempo, chamar atenção para a venda de ingressos de apresentações que fará em São Paulo e em Brasília.

Na foto, Bia, que é modelo plus size, e Lorenzo, que é um homem trans, aparecem de lingerie, abordando autoestima. "Chamei sua atenção? Que bom", escreveu o humorista, antes de divulgar data e local das apresentações.

Em entrevista a Universa, Bia, de 23 anos, disse que pretende processar o comediante. Ela considera a postagem não só gordofóbica, mas transfóbica, e reforça que além de Lins fazer piada com o corpo dos dois, ele incitou centenas de comentários — até a tarde de hoje, a publicação tinha mais de 350 reações, a maioria corroborando com o autor.

"Foi muito gordofóbico, muito transfóbico, os comentários que surgiram foram incitados para ampliar esse tipo de ódio", disse. "Desde que comecei [a carreira], sempre fui diferente do meu mercado de trabalho e eu tenho muito orgulho de ser diferente. Sempre denunciei casos de gordofobia, sempre lidei com esses ataques como algo a ser repudiado".

Em suas redes sociais, Bia afirmou ter registrado um boletim de ocorrência contra Leo Lins no 52º DP, em São Paulo — em vídeo, sua advogada, Kátia Aureliano, afirma ter encontrado uma tipificação para o caso, mas nem ela nem a modelo revelaram como o episódio foi tipificado.

Bia gremion 1 - Reprodução/Instagram - Reprodução/Instagram
Imagem: Reprodução/Instagram

Bia Gremion 2 - Reprodução/Instagram - Reprodução/Instagram
Imagem: Reprodução/Instagram

"Além de virar um processo contra ele, porque quero realmente que ele responda sobre esses atos, quero criar um debate para que as pessoas parem de comentar sobre o corpo do outro, parem de tratar pessoas gordas dessa forma marginalizada, cruel e violenta".

Desde que fez a primeira publicação se referindo a Bia e Lorenzo, há dois dias, Leo Lins voltou a fazer referências gordofóbicas em seu perfil no Instagram pelo menos outras duas vezes: uma ligando pessoas gordas a comidas gordurosas e outra comparando o peso delas ao peso de carros.

Ela continua: "Essas pessoas vão aprender com o que elas falam. Se não querem aprender se educando, vão aprender de outra forma".

Procurado por Universa, Leo Lins não se manifestou; o espaço continua aberto para ouvi-lo sobre o caso.

Direito de ir e vir

Apesar de ataques nas redes sociais alcançarem mais gente, a modelo conta que vive a gordofobia "no mundo real" — e de forma diferente daquela explicitada na internet.

"As coisas acontecem no mundo real não só dessa forma, de rir, fazer piada, mas de maneira estrutural. As cadeiras são pequenas, a catraca [do transporte público] é extremamente pequena, o direito de ir e vir, para uma pessoa gorda, é negado", afirma.

Bia diz que sempre teve uma postura reativa quanto à gordofobia — a modelo se lembra, por exemplo, de um episódio em que um grupo de homens começou a rir de uma amiga, também gorda, e ela respondeu. Atuando no mundo da moda há cinco anos, no entanto, vê melhoras desde que começou a carreira: "Hoje, a gente vê que as pessoas estão nos defendendo, que têm noção do quanto isso é cruel".

"Todos os dias em que acontecem [episódios de gordofobia], tenho essa reação para que as pessoas nunca mais repitam, para que nunca mais ataquem uma pessoa gorda. Essa é a minha missão, mostrar que a gente não aceita isso."

Autoestima