PUBLICIDADE

Topo

Moda

Foto de "bermudão" denuncia gordofobia na moda: "E se fosse a Bella Hadid?"

No Twitter, críticas aos looks geraram discussão sobre gordofobia na moda - Reprodução/Twitter
No Twitter, críticas aos looks geraram discussão sobre gordofobia na moda Imagem: Reprodução/Twitter

Nathália Geraldo

De Universa

17/07/2020 12h49Atualizada em 17/07/2020 14h27

A foto de duas mulheres andando pela rua, sem a exposição do rosto delas para preservar a identidade, viralizou no Twitter ao denunciar a gordofobia na moda. As duas usam um bermudão jeans, de cós alto, com camiseta estampada por dentro. A autora do tuíte comentou que elas estavam sendo menosprezadas pela escolha do look, além de terem sido alvos de comentários sugerindo que emagrecessem e questionando a alimentação delas.

"Um tuíte tirando sarro dessas mulheres tem 100 mil curtidas, mas juro por Deus que se a Bella Hadid usasse exatamente essa roupa, estaria em um milhão de boards '80s casual inspo [inspiração]' no Pinterest. Como sempre, a moda é julgada exclusivamente pelo corpo que a veste", diz o post de Rayne Fisher Quann, que levanta a questão de como o olhar das pessoas leem a mesma informação de moda de maneira bem diferente quando usada por pessoas gordas e por pessoas magras.

Foto de mulheres gordas com bermudão viraliza na web

O bermudão jeans e a calça jeans "mom" são tendências dos anos 80 revisitadas pela moda e assimiladas pelas marcas e pelas pessoas que gostam de acompanhar as novidades da área. Acontece que, como disse a autora do tuíte, as peças de roupa são lidas pelos corpos que as vestem. O look das duas mulheres, gordas, não teria a mesma leitura se estivesse sendo usado por uma pessoa magra — como a modelo Bella Hadid.

É com base nesta afirmação, suscitada pelos usuários da rede social, que a comunicóloga e ativista body positive Juliana Santana analisa a forma com que a sociedade está acostumada a definir o que é "inspiração de moda" e o que não é. "Se fosse a Bella usando, realmente, seria cool, diferente. E isso vai além: se a gente entra no Pinterest, só consegue ver referências de looks em pessoas magras, não dá para saber como ficaria na gente".

O padrão gordofóbico também se dá no fato de que nem todas as lojas de roupas têm peças que sirvam em todos os corpos. O comportamento de moda, para pessoas gordas, então, é atravessado por uma questão: como se vestir com estilo, sem deixar que as escolhas pareçam um uniforme?

"Nunca tinha para a gorda"

Juliana Santana - Reprodução/Instagram - Reprodução/Instagram
Juliana traduz seu estilo "sexy meio fofo" comprando roupas de marcas menores, dedicadas ao mercado plus size
Imagem: Reprodução/Instagram

"O estilo é algo difícil para quem é gorda; a gente acaba vestindo o que cabe e parece que só podemos usar um determinado tipo de roupa", analisa Juliana. "Eu mesma por muito tempo só usava uma saia longa, com elástico na cintura. Porque não tinha minissaia para mim. Nunca tinha para a gorda".

Para Juliana, que hoje consegue valorizar seu estilo "sexy meio fofo" ao comprar roupas de marcas pequenas do mercado plus size, ainda falta muito chão para que as grandes empresas atendam às clientes que usam tamanhos maiores. "Precisa incluir quem usa mais que GG e entender que existem meninas gordas que têm estilo. Às vezes, você não quer se esconder, mas só tem um tipo de roupa para usar".

Vale dizer que o hábito de cortar a foto de pessoas gordas e deixá-las "sem cabeça" é uma forma de desumanizá-las, portanto, uma edição que pode ser considerada gordofóbica; no entanto, a foto usada por Universa tem intuito de preservar a identidade das mulheres fotografadas.

Moda