PUBLICIDADE

Topo

Boca Rosa: "Homem não vai entender de primeira o que a gente sente"

Bianca Andrade falou sobre situação no programa de rádio Pânico em seus Stories - Reprodução/Instagram
Bianca Andrade falou sobre situação no programa de rádio Pânico em seus Stories Imagem: Reprodução/Instagram

De Universa

18/07/2020 10h11

Depois de ter a fala interrompida durante participação no programa Pânico, durante uma conversa sobre machismo e privilégio, a empresária e influencer Bianca Andrade, a Boca Rosa, foi aos Stories do Instagram para falar sobre o entendimento do feminismo — a luta pela igualdade de gênero na sociedade — e como tem entrado em contato com a causa.

Segundo Bianca, que também é ex-BBB, a consciência sobre o tema e sobre a opressão das mulheres só foi despertada depois que ela saiu do reality show; na casa, ela chegou a ser "cancelada" pelo público por não ter ficado ao lado das participantes em uma discussão em que três homens combinavam ter uma postura machista para desestabilizar as mulheres. O caso, por outro lado, provocou a união feminina no BBB.

Bianca Andrade fala sobre feminismo

"No BBB, eu passei por vários cenários que eu não entendia. Não mesmo. Mas cabia a mim sair da casa e entender, estudar, me informar. Agradeço a muitas pessoas, principalmente, muitas mulheres que falaram 'Bia, vem cá, tem muito cenário de machismo que você não identifica, não tem ideia'", falou, na rede social.

"Eu to admitindo que eu errei muito. Eu vejo as cenas [do BBB] e entendo a revolta que a galera teve na época e entendo que ali eu não tinha informação. Hoje, eu tenho. Cada vez mais eu tenho entendido meu papel como mulher na sociedade e eu não vou ignorar esse papel e vou falar disso com respeito".

Feminismo como causa

Uma máxima usada entre as mulheres pode ajudar a entender a situação de aprofundamento no feminismo de Bianca Andrade: nem toda mulher é feminista, mas o feminismo, como luta por igualdade de gênero, beneficia todas as mulheres. Não à toa, os movimentos são cada vez mais plurais e discutem as conquistas de perspectivas diferentes para que nenhuma mulher fique de fora.

Acontece que a causa pode ser abraçada (ou não) de acordo com a experiência de vida de cada mulher, a exemplo de Bianca. "Dentro do BBB, eu chorei tanto porque eu não sabia lidar com isso, porque não tinha estudado sobre a essa causa, que é a minha causa, o feminismo. E hoje [na participação do Pânico] eu conseguia ouvir e lidar com aquilo. Não concordava com muita coisa e, tudo bem, é importante o debate. Mas um homem não vai entender de primeira quando a gente fala sobre o que sente. Eles sempre vão tentar se defender, tenho percebido isso. A gente já está acostumada, mas isso não quer dizer que a gente não vai falar".

"Posso falar como convidada?"

Bianca comentou ainda sobre a frase "Posso falar como convidada?", que disse durante a entrevista, ter sido um dos assuntos mais comentados no Twitter na tarde de sexta-feira. "Na conversa, eu não quis zombar, desrespeitar. Mas quero fazer da minha situação uma oportunidade das pessoas pensarem: 'Será que eu to passando por isso?'", comentou.

A sugestão da influencer para quem pode ter sido vítima de machismo ou ainda não conheça as ideias feministas é aprender. "Nunca tenha vergonha de aprender, estude, é sempre tempo para você entender o que é racismo, machismo. Eu vim aprender do Big Brother pra cá".

Direitos da mulher