PUBLICIDADE

Topo

Violência contra a mulher

Meghan telefona para jovem negra incendiada por 4 homens brancos nos EUA

Meghan teria passado cerca de 40 minutos ao telefone com Althea Bernstein; Harry participou da conversa por 10 minutos - Getty Images e Reprodução/Instagram
Meghan teria passado cerca de 40 minutos ao telefone com Althea Bernstein; Harry participou da conversa por 10 minutos Imagem: Getty Images e Reprodução/Instagram

De Universa, em São Paulo

29/06/2020 15h13

Meghan Markle passou 40 minutos conversando, por telefone com Althea Bernstein, jovem de 18 anos vítima de violência racial na semana passada, em Winsconsin.

Althea alega ter sobrevivido ao ataque de quatro homens brancos em um suposto crime de ódio. De acordo com o Daily Mail, ela teve sua pele queimada por fluidos tóxicos no rosto e no pescoço.

O príncipe Harry também participou da ligação, durante cerca de 10 minutos.

Althea e Meghan conversaram sobre autocuidado e cura.

A jovem contou que "está lutando" contra as lembranças do ataque. "É um desafio para ela. Conversei com ela três ou quatro vezes hoje e vou lhe dizer que Meghan levantou o ânimo dela", disse ao Daily Mail Michael Johnson, CEO da Boys & Girls Clubs.

O ataque ocorreu por volta de 1h de quarta-feira (24) em Madison, Wisconsin, quando Althea estava dirigindo para a casa de seu irmão. Ela parou em um sinal vermelho, com a janela do motorista abaixada, e ouviu alguém gritar uma palavra racista. Ela olhou em volta e viu quatro homens brancos ao lado do carro.

Um deles borrifou o líquido no rosto e no pescoço de Althea e atirou um isqueiro em chamas sobre ela, como relatou a polícia.

Althea foi tratada com queimaduras de segundo e terceiro graus. Ela foi submetida a uma rotina de descontaminação para remover o fluido da pele, que continuou queimando mesmo que médicos começaram a removê-lo.

"Eles tiveram que esfregar a pele, o que foi extremamente doloroso", disse ela. "Dor de queimadura é algo que eu nem consigo descrever. Foi horrível."

A jovem precisará repetir o procedimento mais algumas vezes, quando sua pele estiver completamente curada, terá que passar por uma cirurgia plástica.

Violência contra a mulher