PUBLICIDADE

Topo

Relacionamentos

Sonza chora ao lembrar de ex: saudade, mesmo sem querer voltar, é normal?

Luisa Sonza e o ex-marido, Whindersson Nunes: casal se separou recentemente - Reprodução
Luisa Sonza e o ex-marido, Whindersson Nunes: casal se separou recentemente Imagem: Reprodução

De Universa

09/05/2020 14h45

A cantora Luisa Sonza fez uma live na noite de sexta-feira (8) e, na hora de cantar a música "Olhos Castanhos", que compôs para o ex-marido, Whindersson Nunes, ficou emocionada com as estrofes que a fizeram se lembrar do relacionamento. Ela deixou de cantar algumas palavras, disse "eita, coração" e, já para o final, não aguentou e chorou.

É fácil se identificar com Luisa. Afinal, quem nunca passou por um fim de relacionamento que, mesmo sabendo que a separação era o melhor caminho, a perda do vínculo fez dar aquela balançada?

Sentir falta é natural no fim da relação

Sentir saudade e se emocionar é natural e pode ser até considerado saudável, já que é sinal de que a história vivida foi significativa. E pode ser que rolem umas lágrimas, sim, por causa da memória de algo que aconteceu e que dificilmente voltará a acontecer da forma como foi. Há uma mistura dos sentimentos de perda, falta e amor.

"A saudade não abala a razão com facilidade. Você tem saudade da pessoa, das situações que viviam, da voz, do beijo, do abraço. É um sentimento que envolve carinho", afirma a psicóloga e educadora sexual Ana Canosa*. O perigo, segundo ela, é quando esse sentimento se transforma em obsessão.

É saudade ou obsessão?

Segundo Ana, obsessão é quando o passado se torna um aprisionamento."Muitas vezes, está acompanhada de estratégias para finalidades específicas, como fazer o 'ex' voltar a qualquer custo, acabar com sua nova relação ou simplesmente prejudicar sua vida. Mas, às vezes, nem existe de fato a intenção de reatar, o objetivo maior é destruir", afirma.

Desapegar do ex é difícil e a ciência explica

Não é só apego emocional que torna difícil a tarefa de esquecer o ex ou não se abalar tanto com um rompimento. Um dos motivos é explicado pela ciência. Segundo um estudo publicado pela revista "Plos One", o amor funciona como uma droga em nosso organismo e, quando nos separamos, é como se estivéssemos passando por um período de abstinência.

Saindo do biológico para o psicológico, segundo a psicóloga e professora do Centro Universitário Celso Lisboa, Ângela Teixeira*, existem diversos motivos para não conseguirmos esquecer um ex-namorado. "Desde o simples hábito da convivência até as formas mais profundas de amor e adoecimento", afirma.

O período de luto, segundo especialistas, pode ir de três meses a um ano. "Para mim não tem prazo. Podemos esquecer num curto ou num longo prazo, ou talvez nunca esquecer. Depende de como essa relação se constituiu", explica Ângela.

Com informações das matérias Você sente saudade ou tem obsessão pelo 'ex'? Entenda a diferença e Esquecer o ex: entenda porque você ainda não superou e como seguir a vida.

Relacionamentos