PUBLICIDADE

Topo

Organização de jogos universitários confirma denúncias e expulsão de Prior

Felipe Prior, do BBB20, foi expulso dos jogos universitários após ser denúncia por "assédio" e "crime sexual"  - Reprodução
Felipe Prior, do BBB20, foi expulso dos jogos universitários após ser denúncia por "assédio" e "crime sexual" Imagem: Reprodução

De Universa

03/04/2020 17h03Atualizada em 03/04/2020 17h19

A comissão organizadora do Interfau, jogos universitários de alunos de faculdades de arquitetura e urbanismo, confirmou, em nota divulgada nesta sexta-feira (3), que Felipe Prior foi proibido de participar de atividades envolvendo o evento em 2018, após terem recebido denúncias de "assédio" e "crime sexual" contra ele.

Prior é acusado de estupro por duas mulheres e de tentativa de estupro por outra, como divulgado pela revista "Marie Clarie". Os crimes teriam acontecido em eventos da Interfau.

No primeiro deles, em 2014, após uma festa pré-jogos, a vítima teria sido levada para o banco de trás do carro de Prior que, mesmo ouvi-la pedindo para parar, a estuprou. Parou quando ela começou a chorar.

No segundo caso, em 2016, Prior teria levado uma vítima à sua barraca e tentou penetrá-la várias vezes. Ela conseguiu se desvencilhar após empurrá-lo.

No terceiro, em 2018, segundo relato, ele também teria levado uma mulher para sua barraca e o ato sexual começou com consentimento. Mas ela pediu que ele parasse por começar a agir de maneira violenta. Ele não parou e teria estuprado a mulher, que só conseguiu sair da barraca depois que ele dormiu.

"Devido ao recebimento de mais de uma denúncia acusando-o de assédio, além de uma acusação de crime sexual durante o Interfau de 2018, a comissão organizadora [...] se reuniu no dia 21 de outubro de 2018, onde foi deliberada a expulsão permanente de Felipe Prior das demais edições do Interfau", diz a nota.

Conta de Prior no Twitter se defendeu de denúncias no dia 29 de março

Desde que foi anunciado como participante do BBB20, Prior é alvo de acusações de assédio e abusos nas redes sociais. No domingo (29), após ser indicado para o paredão, a conta dele no Twitter se defendeu das denúncias. "Nós, da equipe jurídica do Prior, viemos por meio deste repudiar tais postagens e acusações, que não tem nenhum fundamento jurídico", afirma o comunicado. Leia abaixo:

Violência contra a mulher