PUBLICIDADE

Topo

Moda

Hering lança campanha para tirar "tomara que caia" do dicionário da moda

Mariana Ximenes durante evento da Hering - Fernando Souza/Divulgação
Mariana Ximenes durante evento da Hering Imagem: Fernando Souza/Divulgação

Carol Martins

Colaboração para Universa

04/03/2020 17h06Atualizada em 04/03/2020 17h09

Ao que tudo indica, o tomara que caia está com os dias contados. Não a peça, que segue firme e forte nos guarda-roupas femininos, mas o termo usado para batizá-la -e que remete a uma visão masculina sobre a roupa.

A peça tão usada por décadas -principalmente quando o assunto é vestido de noiva- é alvo do movimento #BlusaSemAlça, da campanha "Liberdade é básico", da Hering, que contará com diversas ações e projetos ao longo deste ano.

Deixar a mulher com os ombros à mostra continuará a ser sexy e romântico, mas a proposta da marca é tirar qualquer nuance machista e sexista ligada à vestimenta.

"A Hering é uma marca democrática e inclusiva na sua essência e não compactua com o discurso que fere a liberdade de uma ou mais pessoas", disse Rita Coelho, gerente de marketing da Hering. "Essa ação tem como objetivo fazer que esse termo machista e sexista seja exterminado do nosso vocabulário e usar o termo que o mundo usa que é o blusa sem alça".

Rita lembra que a marca, uma das mais populares do Brasil e completa 140 anos, teve um grande engajamento ao lançar, há 25 anos, a campanha "Câncer de Mama, no Alvo da Moda".

Para tratar da questão do machismo, a empresa coloca nas lojas um modelo exclusivo criado para a ação, em edição limitada e com lucro revertido para a ONG Bem Querer Mulher, programa criado com apoio da ONU Mulheres para combater a violência contra a mulher.

A ação contou com o apoio da atriz Mariana Ximenes. "Temos que tomar consciência do que somos. Podemos olhar e admirar o outro, mas nunca cobiçar e julgar. Como disse o [estilista] Dudu Bertholini, se você julga o outro, você se enxerga julgado. Vamos ter mais leveza nessa vida, mais liberdade."

Bate-papo promovido pela Hering no lançamento da campanha #BlusaSemAlça - Fernando Souza/Divulgação
Bate-papo promovido pela Hering no lançamento da campanha #BlusaSemAlça
Imagem: Fernando Souza/Divulgação

A atriz defende uma beleza plural, com saúde, que respeite todos os corpos. "Como de tudo, faço exercício e sou saudável", disse Mariana. "Temos belezas de todas as formas. Não pode se aprisionar em uma só [forma]. Olha a [cantora] Preta Gil nas redes dela. E a capa com a Elza Soares, que estava deslumbrante? Sou aberta à diversidade."

Mariana se declara feminista e acredita que olhar para o cotidiano é o passo para que mudanças aconteçam e posicionamentos sejam tomados. "Precisamos olhar para o dia a dia com uma consciência do que não se pode falar mais. O conhecimento traz força. É tomar consciência mesmo, não aceitar mais algo que te desrespeite. Te incomodou? Bateu esquisito? Então é desrespeito", falou.

"As pessoas pensam que ser feminista é ser agressiva, não ter um jeito de se colocar. Tudo é questão de delicadeza, jeito. É olhar no olho e colocar suas ideias e questões", completou Mariana.

Moda