Topo

Nua na rede social: o que elas ouvem ao postar fotos para contestar padrões

Roseane Santos

Colaboração para Universa

16/10/2019 04h00

Se uma mulher é julgada por usar roupas sensuais em uma balada, imagina aquelas que têm a coragem de expor os corpos totalmente nus nas redes sociais.

Independentemente de padrões de beleza, algo é comum entre elas: o desejo de se amar e não dar ouvidos para as opiniões alheias.

O que elas escutam? Afinal, nudes sempre geram polêmica na internet. Aqui, elas discutem como ter autonomia sobre o próprio corpo feminino mudou a visão sobre a nudez.

"Um corpo bonito é o que tem alguém feliz dentro"

Katia Cristina deixou os pudores de lado e posta as fotos orgulhosa - Arquivo pessoal
Katia Cristina deixou os pudores de lado e posta as fotos orgulhosa
Imagem: Arquivo pessoal

"Eu sempre repeti a teoria 'meu corpo, minhas regras'. Sabia que quando postasse minhas fotos sensuais, muitas pessoas iriam se surpreender, até mesmo pelo fato de não ter o padrão de beleza que muitos consideram perfeito. Só que quem realmente me conhece sabe que não sou o tipo que se importa com o que os outros falam. Desde que me faça bem, que mal tem?

Sempre gostei de fotos sensuais. Eu mesma que tirava as minhas, editava e tudo mais. Via as páginas de ensaios fotográficos e ficava babando. Até que uma amiga minha concluiu o curso de fotografia e falei que queria que fizesse um ensaio sensual meu. Postaria no dia do meu aniversário nas minhas redes sociais. Eu sempre fui gordinha. E ouvi por diversas vezes aquela velha frase: 'Nossa, mas você tem o rosto tão lindo, porque não tenta emagrecer?' Só que, de coração, isso nunca me incomodou. Deixei bem claro que para mim, um corpo bonito é aquele que tem alguém feliz dentro. Na verdade, a aparência importa nos primeiros vinte minutos, depois a pessoa tem que ter algo a mais.

E quando eu postei essas fotos no dia do meu aniversário foi com a intenção de passar para as pessoas que não importa a sua idade, o número do seu manequim, se você é branca, morena, negra, magra ou gorda. Meu direct ficou lotado de comentários. Nenhum de aspecto maldoso, pelo contrário, todos elogiando. Muitas mulheres falando que queriam fazer também, mas que não tinham coragem. Postei em todas as minhas redes sociais. Quando você se ama e se valoriza, ensina as pessoas a te amarem do jeitinho que você é."

Kátia Cristina, 37 anos, chefe de seção no supermercado

Além do erótico

Rebeka sempre gostou de fazer fotos nua, apesar de alguns comentários indelicados - Arquivo Pessoal
Rebeka sempre gostou de fazer fotos nua, apesar de alguns comentários indelicados
Imagem: Arquivo Pessoal

"Nunca fiz um ensaio fotográfico profissional, mas sempre gostei de fazer fotos minhas, principalmente nuas. Adoro meu corpo. A princípio fiquei com certo receio de postar, até porque, nas redes sociais, todo mundo vê. Familiares, clientes, amigos, isso fez com que eu recuasse um pouco. Só que resolvi ousar e gostei. Recebi vários tipos de comentários. Homens elogiando, mandando mensagens chamando pra sair, pedindo nudes. Familiares dizendo que era desnecessária a exposição, recriminando... mas também muitos achando o máximo, o que me fez me sentir bem . Então me sinto superconfortável em postar novamente.

Minha autoestima está sempre em alta. Claro que, como mulher, tenho meus momentos ruins em relação ao corpo e a mim mesma. Ouvir pessoas falando que você está ótima, que é bonita não só no corpo, ajuda muito. A minha opinião em relação ao nu vai bem além do erótico ou da falta de pudor. É um sentimento de libertação, de aceitação. Ainda mais quando vivemos em uma sociedade em que o padrão estético é bem exigente. Então é a forma que achei de mostrar que me sinto muito bem sim com meu corpo, minha mente, comigo mesma."

Rebeka, 30 anos, cabeleireira.

"Sempre me achei bonita"

Dirce fez ensaio de "brincadeira": duas críticas e muitos elogios - Arquivo Pessoal
Dirce fez ensaio de "brincadeira": duas críticas e muitos elogios
Imagem: Arquivo Pessoal

"Nunca tive vontade de fazer um ensaio sensual e nem pensava nisso. Foi só uma brincadeira. Uma neta mora nos Estados Unidos e mandou uma foto sensual, resolvi fazer igual só para brincar com ela e postei. Não me preocupei com nada. Achei que ninguém daria atenção, por que seria só uma senhora de idade fazendo foto sensual. Primeiro, sinceramente achei que ninguém iria nem olhar. Segundo, não tinha o que ter receio: sou livre e desimpedida, não tenho preconceito de idade e nem de corpo. Nunca pensei que teria tanta repercussão. Entre os dez mil comentários que recebi, tiveram dois maldosos. Só que não liguei, descartei e pronto. Depois fiz outras fotos, como a cópia da pose da Anitta de toalha. Quer saber? Foi muito bom e até faria mais. Foi maravilhoso para a minha autoestima. Sempre me achei muito bonita, muito simpática. Só quando um monte de gente começou a falar a mesma coisa, que eu estava linda, fiquei muito feliz, muito mesmo."

Dirce, 72 anos, aposentada

"Fui ameaçada"

Bel: um Instagram só de fotos sensuais - Arquivo Pessoal
Bel: um Instagram só de fotos sensuais
Imagem: Arquivo Pessoal

"Eu comecei a lidar de forma diferente com o tabu da nudez quando fiz uma peça de teatro. Era Macunaíma e eu representava uma fogueira em cena, só coberta com tintas, mas tinha poses que as minhas partes ficavam bem expostas. Depois disso, fui contratada para outros trabalhos com o nu, como modelo vivo e até andei nua em uma pequena galeria. Nunca fui considerada dentro do padrão, sempre estava a cima do peso. Não recebi nenhum comentário abusivo nessa ocasião e nem me lembro de algum olhar que me incomodasse.

Já quando postei uma foto nua nas redes sociais foi diferente. Foram muitos comentários, desde mulheres incentivando, parabenizando pela coragem, homens LFBTs gordos se sentindo representados... mas tive muitos problemas com a minha família. O meu primo veio reclamar muito ofendido, perguntando que arte era aquela, se eu não pensava nos meus familiares. Respondi que era o meu trabalho e que trabalhava com o corpo. Só que ele não entendeu e insistiu que eu apenas queria aparecer.

O meu movimento foi sempre de esconder meu corpo. Depois que comecei a estudar o nu, já aconteceram várias quebras de tabus. Sempre fui uma mulher gorda. Agora tenho um Instagram só de fotos sensuais, para libertar a minha libido mesmo. É ainda muito difícil para uma parte da sociedade entender sobre a liberdade de expor o que quer na internet. Há um tempo atrás, fui ameaçada. Terminei um relacionamento e o rapaz falou que iria compartilhar todos nudes que eu trocava só com ele. Nesse dia, isso me desestruturou, fiquei com medo. Era algo que enviava só para ele. Ele disse que iria fazer as fotos circularem para vários grupos. Foi uma reflexão. Como eu, uma artista que tem fotos liberadas na internet, me senti tão vulnerável com a possibilidade de um homem espalhar nudes meus. Fiquei pensando até que ponto vai a nossa intimidade."

Isabel, 25 anos, atriz.

Autoestima