Topo

Sexo


Sexo

8 atitudes para evitar se você quer ter uma boa noitada de sexo

Para terminar a noite sem frustrar o par, não faça muita propaganda - Getty Images
Para terminar a noite sem frustrar o par, não faça muita propaganda Imagem: Getty Images

Heloísa Noronha

Colaboração para o UOL

26/09/2017 04h00

A expectativa de ter uma transa maravilhosa pode se converter na maior decepção por conta de alguns detalhes básicos que acabam com o tesão --muitas vezes, antes mesmo de as pessoas chegarem ao quarto. Veja oito ações inimigas da libido:

1. Bater um pratão

Um jantar romântico é sempre bem-vindo para aquecer as coisas, mas é bom não colocar no prato feijão ou carne vermelha e abrir mão do adoçante no cafezinho. A carne é gordurosa e de digestão lenta, o que pode produzir sono e preguiça, antes mesmo de vocês tirarem a roupa. Já o feijão e o adoçante deixam a barriga estufada e podem produzir gazes.

2. Depilar as partes

Principalmente para quem tem pele sensível, fazer sexo logo após uma depilação na virilha não é nada recomendável. A camada córnea é removida, aumentando a sensibilidade da pele na região, que pode ficar irritada e causar ardor devido ao atrito na hora do sexo. Melhor depilar um ou dois dias antes, tomando o cuidado de manter a área hidratada e ventilada.

3. Encher a cara

Vários estudos já comprovaram que o álcool é o inimigo número um do orgasmo. A bebida até pode dar aquela animadinha inicial, porque as pessoas ficam mesmo mais desinibidas. Porém, é uma falsa sensação de libido em alta. Em doses elevadas, o álcool prejudica a ereção, interfere na ejaculação e dá sono. Duas taças de vinho são mais do que suficientes.

4. Ficar falando de ex

Se vocês querem ter uma noite de sexo lacradora, melhor fugir de conversas sobre o passado --nem que seja para falar o quanto são felizes juntos, hoje. Falar de ex, principalmente, é abrir espaço para o surgimento de ciúmes, desconfianças e comparações que podem invadir o pensamento na hora H e bloquear todo o prazer que vocês queriam alcançar.

5. Não se prevenir

Sair de casa sem levar camisinha no bolso ou na bolsa é sinônimo de mico total, negligência, preocupação zero com a saúde alheia e a própria e, principalmente, desinformação total. Recentemente, vem acontecendo uma epidemia mundial de DSTs, justamente porque as pessoas vêm subestimando a proteção oferecida pelos preservativos.

6. Querer resolver assuntos sérios

Uma coisa é brigar por causa de ciúme ou de assuntos bobos, como mensagens não respondidas. Às vezes, fazer as pazes depois de uma D.R. é uma preliminar e tanto. O problema está em usar um jantar ou um encontro que, ao que tudo indica, promete um sexo maravilhoso para conversar sobre assuntos tensos e determinantes para a relação, como aluguel, educação de filhos ou conflitos familiares, por exemplo. Não há tesão que aguente tanta falta de timing.

7. Definam bem antes o local da transa

Será na casa dele? Dela? Em um hotel bacana? Ou um motel que os dois já conhecem? Melhor já combinar antes para que evitar que a indecisão ou algum imprevisto acabe minando os planos quentes de vocês.

8. Fazer muita propaganda

Em vez de colocar pilha e criar expectativas, e depois provocar frustração, busque surpreender a pessoa com uma performance caprichada.


Consultoria | Cátia Damasceno, especialista em sexualidade do site Mulheres Bem Resolvidas; Cristiane Moraes Pertusi, terapeuta de casal e de família e doutora em Psicologia do Desenvolvimento Humano pela USP (Universidade de São Paulo); Cristina Carneiro, ginecologista e obstetra de São Paulo (SP); Paula Castilho, nutricionista, de São Paulo (SP), e Talita Maciel, nutricionista, de São Paulo (SP)