PUBLICIDADE

Topo

Violência contra a mulher

Enviar fotos íntimas sem autorização é violência sexual, diz Justiça da Itália

Mesmo sem contato físico, tribunal enxerga violência sexual em envio de nudes sem autorização - Arte UOL
Mesmo sem contato físico, tribunal enxerga violência sexual em envio de nudes sem autorização Imagem: Arte UOL

Da Ansa, em Roma

08/09/2020 15h32

A Corte de Cassação da Itália, instância máxima do poder Judiciário no país, determinou que enviar fotos eróticas sem autorização se configura como uma "violência sexual".

A jurisprudência foi fixada pela terceira seção penal do tribunal, ao negar o recurso apresentado por um homem de 32 anos acusado de mandar mensagens e imagens explícitas via WhatsApp a uma adolescente.

Além disso, o suspeito ainda teria exigido que a vítima enviasse fotos a ele, sob a ameaça de publicar suas conversas na internet. No recurso à Corte de Cassação, a defesa havia dito que, "na ausência de encontros com a pessoa ofendida ou da indução de práticas sexuais", o caso não poderia ser tratado como ato de violência.

O objetivo era reverter o regime de prisão domiciliar preventiva imposta ao suspeito durante o inquérito. No entanto, o tribunal decidiu que a violência sexual aparece "bem definida, mesmo na ausência de contato físico, quando os atos envolvem a corporeidade sexual da pessoa ofendida ou são finalizados a comprometer o bem primário da liberdade individual para satisfazer o próprio instinto sexual".

Segundo a Corte de Cassação, a prisão preventiva também se justifica porque o suspeito é "reincidente, tendo adotado as mesmas posturas com outras menores de idade, demonstrando não saber controlar os próprios impulsos".

Violência contra a mulher