PUBLICIDADE

Topo

10 passos fundamentais para cuidar da sua saúde emocional

Autocuidado também tem a ver com cuidar das suas emoções - iStock
Autocuidado também tem a ver com cuidar das suas emoções Imagem: iStock
Xan Ravelli

Xan Ravelli é o nome por trás do Radar digital Soul Vaidosa ativo desde 2013. Vaidosa de corpo e alma, musicoterapeuta por formação, #pretacrespamãede2efeminista, seu Soul Vaidosa foi o primeiro canal do YouTube Brasil a unir temáticas em beleza e feminismo negro.

Colunista do UOL

09/08/2020 04h00

"O coração é a morada da nossa consciência" Katiuscia Ribeiro

Nossa conversa sobre autocuidado e suas dimensões está no terceiro num total de 5 reflexões propostas sobre o mesmo tema. Já conversamos sobre o que é o autocuidado aqui no sentido cunhado por Audre Lorde, semana passada conversamos sobre o autocuidado numa dimensão física e o quanto é importante se manter fisicamente bem. E hoje vamos falar sobre emoções e o quanto o sentir afeta nosso autocuidado, porque emoções são inevitáveis, mas o que leva mulheres a somatização, a ansiedade, a insistentes sentimentos ruins?

Sou professora convidada no curso de Inteligência Emocional da Escola Conquer e uma das coisas que mais me atraiu a ministrar essas aulas foi o nome do curso: FORÇA. Sim! Como todas as mulheres negras que conheço cresci ouvindo o quanto precisaria ser forte, o quanto era necessário engolir o choro e que demonstrações de carinho, dor e afeto me fariam parecer frágil diante de outras pessoas. Demorei muito tempo para descobrir que emoções são poder, força, e que sublimá-las ou almejar não sentir, só nos enfraquece.

Existem homens que passam a vida pensando dessa forma desumanizadora e mulheres adoecendo porque não sabem o que fazer com usas emoções. O "Penso logo existo" de Descartes colocou no racionalizar toda a existência do ser, diminuindo e ignorando o poder do sentir e, a partir daí, a figura feminina que, numa sociedade machista, é ligada as emoções.

Há um pensamento na Filosofia Kemética (do Egito) que aprendi com a maravilhosa Katiuscia Ribeiro que diz: "Inclina teus ouvidos, ouve minhas palavras, aplica teu coração em compreendIe-las" - Amenemope . O existir é global, é inteiro, é por completo. Não é sábio limitar nossa existência a racionalização, é preciso voltar-se para dentro de si e escutar os próprios sentimentos.

Sentimentos são nossas respostas a emoções e nem sempre essas respostas são dadas de forma saudável, ou de forma que nos faça sentir melhor. Por isso, quando pensamos em saúde emocional, precisamos pensar em autoconhecimento, empatia, gerenciamento de emoções, automotivação e socialização (5 pilares da inteligência emocional - Daniel Goleman), até porque há algum tempo até o mercado corporativo tem se questionado sobre a valorização do QI sobre o QE.

Vou listar aqui algumas ações que você pode começar ainda hoje para pensar autocuidado numa dimensão emocional:

1- Responda algumas perguntas sobre você: O que te faz mais feliz, o que te entristece, o que te deixa com raiva? Qual a primeira lembrança que você tem da sua mãe? E do seu pai? O que você mais gosta em você? O que menos gosta em você?

2- Para todxs, mas especialmente para mulheres negras, gordas, pcd, trans: Pense em 3 características suas que ninguém conhece. Quem é você quando ninguém está olhando? Já fizeram você acreditar que era alguma coisa que você não é? O quê?

3- Curta sua própria companhia, descubra o que você gosta de fazer com você mesma: se for possível, nessa quarentena, né? - tô quarentenando com marido e duas crianças, aí é fogo, rsrsrs.

4- Resgate uma das suas paixões de infância ou adolescência: vale desenhar, pintar, escrever, dançar, músicas de uma banda favorita daquela época. Vale a pena investir nesse reencontro com quem você costumava ser.

5- Exercite a empatia: 'Como se faz isso, Xan?' - empatia está muito ligada ao ouvir. Faça um exercício de escuta sem julgamento de pessoas fora da sua realidade, ligue para seus pais ou avós e ouça, apenas ouça as histórias, os causos e se conecte com o que essas pessoas estiverem sentindo.

6- Diga o que se sente: Assim mesmo: 'Olha fulano, quando você faz XXX, eu me sinto XXX, 'Olha beltrano, hoje eu acordei me sentindo XXX, eu não sei porque estou assim, mas só vim desabafar mesmo.'

7- Seja criteriosx com suas emoções e sentimentos: Não gosta de filme de terror? Não assista! Você não tem que passar medo. Segue alguém no instagram que te faz sentir mal por se comparar, passar raiva ou simplesmente não se identifica com a energia da pessoa? Não siga mais, você não precisa cultivar esses sentimentos que não te fazem bem.

8- Celebre suas vitórias: TODAS ELAS. Fez uma faxina bem feita na sua casa? Se dê um jantar caprichado. Trabalhou e concluiu projetos durante todo o dia? Permita-se um banho longo, caprichado com velas, som ambiente e tudo que você tem direito.

9- Ajude sem esperar nada em troca: seja apoio para outras mulheres, espalhe palavras de amor e carinho, promova ações concretas.

10- Se orgulhe da pessoa que você é: você não é seus erros, você não é seus atrasos, você não é sua maior dor. Enumere suas conquistas, se olhe com amor e compaixão, permita-se errar e fazer de novo. Essa pessoa que você vê no espelho, não se fez de um dia pro outro, ela foi moldada em sorrisos e lágrimas, em vitórias e derrotas. Tenha orgulho da sua estrada.

Semana que vem vamos conversar sobre autocuidado numa dimensão social. Respira e sigamos...

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.