PUBLICIDADE

Topo

Xan Ravelli

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Tesão e rotina: como a vida cotidiana está alimentando seus desejos?

Reprodução/Instagram
Imagem: Reprodução/Instagram
Conteúdo exclusivo para assinantes
Xan Ravelli

Xan Ravelli é o nome por trás do Radar digital Soul Vaidosa ativo desde 2013. Vaidosa de corpo e alma, musicoterapeuta por formação, #pretacrespamãede2efeminista, seu Soul Vaidosa foi o primeiro canal do YouTube Brasil a unir temáticas em beleza e feminismo negro.

Colunista de Universa

07/03/2021 04h00

Como anda seu tesão nas relações humanas que te cercam? Ou melhor: como as atividades cotidianas, as demandas sem fim e o fluxo de tarefas interfere na maneira como olhamos para quem está na nossa cama e na nossa vida?

A palavra tesão vem do latim tensão, e com o tempo e mudanças linguísticas a palavra ganhou novos sentidos ligados à excitação e impulso sexual. Na linguagem popular, podemos usar a palavra tesão para designar tudo que nos enche daquela vontade, aquela motivação gostosa de fazer algo que nos dá muito prazer.

Pandemia, insegurança, ansiedade, crianças em homeschooling e segue lista interminável de motivos para acabar com nosso tesão de cozinhar, trabalhar, brincar com 'filhes' ou criar coisas diferentes para fazer dentro de casa. A rotina é muitas vezes citada como fator letal para as relações e para o sexo. Mas será que precisa realmente ser assim? O que acontece nas relações onde o amor aprofunda e o sexo não?

Divórcios aumentaram 18,7% durante a pandemia, computando apenas os casos consensuais —porque não cabe nesse texto falar sobre casos litigiosos, de abuso e violência doméstica ou outros tipos de maus-tratos que devem elevar muito esse número.

Não acredito que a rotina precisa ser fatal para os relacionamentos. O cotidiano traz consigo intimidade que é um ingrediente erótico importantíssimo.

Podemos e devemos usar o conhecimento, o entrosamento e a cumplicidade a nosso favor na hora do sexo: conhecer e ter liberdade para explorar o corpo do 'parceire' é uma delícia. E acredite, essa afirmação vem de uma pessoa que sempre teve muita resistência à rotina e toda essa história de "todo dia ela faz tudo sempre igual...", mas sabe que poder conhecer e aproveitar um corpo diferente do seu, descobrir novos toques, novas posições, dividir intimidades, inseguranças e delícias pode contribuir e deixar a vida, o orgasmo e o dia a dia muito melhores.

Tesão está nisso também: não ter vergonha de falar o que se quer, onde estão os toques que você prefere. Eu não consigo me imaginar chegando numa pessoa que está me vendo pelada pela primeira vez e dizer: "Olha, meu peito é meu segundo clitóris, então você fique à vontade pra chupar enquanto me come gostoso".

Pode ser que pra você não seja uma questão falar coisas desse tipo, mas com certeza você pode citar manobras sexuais que adora mas nunca teria intimidade para pedir nas primeiras vezes. Rotina pode ser uma delícia se a gente puder falar sobre nossas fantasias, exercitar os beijos, criar programas dentro de casa.

O grande desafio do tesão na rotina é desconectar do stress, das demandas e colocar na agenda esse cuidado e atenção ao nosso relacionamento —e eu não estou falando sobre horário certo para transar, estou salientando que romper com um fluxo de monotonia deve ser encarado como investimento por todas as pontas da relação. Criar dates dentro de casa, propor novos toques, fantasias, posições, falar sobre sexo —falar mesmo! Mandar mensagens eróticas durante o dia —mesmo que apenas de cômodos diferentes da mesma casa. Não tenha preguiça. Ouse, explore todos os sentidos.

Talvez o melhor do sexo seja construído a partir da rotina, e que a gente tenha disposição, liberdade e coragem para experimentar.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL