PUBLICIDADE

Topo

Mayumi Sato

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

'Testei 4 plataformas tipo Onlyfans e vendi meu primeiro pack'

Bad Abigail me deu dicas de como criar minha página no OnlyFans - arquivo pessoal
Bad Abigail me deu dicas de como criar minha página no OnlyFans Imagem: arquivo pessoal
Conteúdo exclusivo para assinantes
Mayumi Sato

Mayumi Sato é meio de exatas, meio de humanas. Pesquisadora e diretora de marketing do Sexlog quer ressignificar a relação das pessoas com o sexo e, para isso, acredita que é preciso colocar a mão na massa, o que inclui decodificar o comportamento humano. Ao longo dos anos, estudando e trabalhando com o mercado adulto, passou a fazer parte de uma rede de mulheres interessadas e ativistas no assunto, por isso sabe que não está "não estamos" só. Idealizadora do cínicas (www.cinicas.com.br) e feminista sex-positive.

Colunista de Universa

29/08/2021 04h00

Com o rebuliço causado pelo Onlyfans, que anunciou - mas logo voltou atrás - que não permitiria mais a venda de conteúdo explícito na plataforma, quem vende packs de fotos e vídeos sensuais passou a procurar outros sites para se cadastrar e não correr o risco de ter suas contas censuradas e as vendas paralisadas.

Aproveitei para conhecer essas plataformas alternativas e resolvi testá-las de verdade; me cadastrei, enviei documentos para aprovação do meu perfil, postei fotos e vídeos e vi a mágica da minha primeira venda de pack acontecer. Depois de tudo isso, vim aqui contar como foi a minha experiência!

Antes, uma explicação necessária: as plataformas em si, não fazem milagre. A venda de packs é feita, em geral, a partir de uma audiência fiel e engajada em outras redes, no Instagram ou Twitter, por exemplo. Ou seja, não é só postar e sair vendendo. Antes, é preciso construir o desejo pela compra entre seus seguidores.

Para entender melhor essa dinâmica, conversei com a Jeh Goddess, que está nesse mercado há mais de 10 anos, e foi a primeira brasileira a vender nudes por aqui. Falei também com a Bad Abigail que é modelo há pouco mais de um ano, mas além de realizar suas vendas também ensina outras meninas a faturar neste meio.

A dica de Jeh Goddess é publicar diariamente na plataforma e fazer legendas bem provocativas - arquivo pessoal - arquivo pessoal
A dica de Jeh Goddess é publicar diariamente na plataforma e fazer legendas bem provocativas
Imagem: arquivo pessoal

Segundo a Jeh, o primeiro passo é se manter online em sites que façam transmissões ao vivo, dando preferência aos que pagam em chat. Essa é uma boa forma de conquistar um público para o perfil. Outra dica é publicar diariamente na plataforma e mandar bem nas legendas: "Os assinantes amam ler a respeito do que estão vendo ou do que você está postando, se ele não assina irá se sentir instigado a assinar, e se ele já é um assinante a imaginação pelo o que você digita irá o ajudar."

As dicas da Abigail foram: "Faça uma descrição no seu perfil sobre o tipo de conteúdo que você vai vender, use uma foto sexy mas sem mostrar muito, faça o mesmo com a sua foto de capa. Essas serão as primeiras coisas que as pessoas verão e elas precisam ficar com vontade de assinar o seu conteúdo. Divulgue a sua plataforma todos os dias nas redes sociais".

Munida dessas instruções, lá fui eu criar o meu perfil, e na falta de público engajado ou interessado nos meus packs, pedi para meu colega Leandro comprar e também contar a sua experiência:

  • Buupe: plataforma brasileira, recém-lançada.

O que tem de mais legal: é toda em português e o cadastro é bem simples e rápido. Cobra a menor taxa de todas, 15% sobre o valor da venda e não tem valor de saque mínimo.

O que pode melhorar: ainda não tem vendas por assinatura avulsa. No site, avisam que essa ferramenta está em desenvolvimento. É uma plataforma simples, com poucos recursos, funciona bem para a venda, mas sem grandes atrativos ou diferenciais. Boa pra quem está começando.

Leandro sobre o processo de compra: Optei pelo pagamento por pix, mas não curti a ideia de inserir meu nome, CPF, data de nascimento e telefone, eu só queria o conteúdo. Nota 7

  • Privacy: plataforma brasileira que tem mais tempo de mercado, no ar desde o ano passado

O que tem de mais legal: também é toda em português, o cadastro é bem simples e rápido. Foi a mais rápida na aprovação dos documentos. Tem recursos legais de interação com conteúdo (curtir, comentar, etc) e permite agendar publicações.

O que pode melhorar: Recurso de notificações está em desenvolvimento (o botão já está lá, mas ainda não foi habilitado) e por isso não sei se há outro jeito de ver que alguém interagiu com o conteúdo. A taxa é de 20% sobre as vendas, um pouco mais alta.

Sobre o processo de compra: Também pede cadastro na hora de comprar, não gostei. Mas, fora isso é bem fácil de entender e dá pra pagar com boleto bancário. Nota 8 Obs: não finalizei a compra porque achei seu pack muito caro haha

  • Flific: Plataforma super recente, lançada há pouco mais de um mês. Também é brasileira.

O que tem de mais legal: Muito intuitiva, bem fácil de usar. Todas as instruções estão em português e diferente das outras, ela vai te dizendo o que fazer, ensinando passo a passo. Depois do primeiro uso fica tudo bem fácil de achar.

Tem um sistema de classificação dos packs, que indica se são mais ou menos explícitos, achei legal.

O que pode melhorar: Exige o cadastro de uma conta do Pagseguro e isso acabou me dando um pouco mais de trabalho (por algum motivo a minha conta lá estava bloqueada). Se tivesse como usar outro tipo de conta para habilitar o meu perfil para a venda, eu optaria com certeza. A taxa também é de 20%

Sobre o processo de compra: Também pede para fazer cadastro, só dá pra pagar com cartão e depois que paguei tive dificuldade para achar o pack que eu comprei! Nota 5

O que tem de mais legal: Por ser em inglês, para quem tem clientes fora do Brasil que pagam em dólar, com certeza facilita. Não pediu documento internacional, aprovou a minha conta com dados e fotos da minha CNH.

O que pode melhorar: Tem muito recurso lá dentro e isso me deixou muito confusa. São muitos botões e a maioria ainda não entendi para o que servem. Diferente das outras, demandou mais tempo para entender e me habituar com todo processo. Também não descobri ainda como receber o valor por lá. A taxa é de 20% sobre as vendas, lembrando que é em Dólar.

Sobre o processo de compra: Só deixa pagar com cartão de crédito e ainda pede pra salvar a numeração! Gerei um virtual, mas só deixou inserir quando confirmei meu email. Depois que cadastrei cartão e conta, foi fácil comprar, mas não sei se a assinatura será renovada automaticamente ou se cobra só 1 mês. Nota 4

Algo que aprendi ao final dessa experiência foi admirar a habilidade de quem tira fotos bonitas e sensuais dos próprios pés. Confesso que pensei que essa parte seria muito mais fácil, mas foi justamente aí que eu percebi que essa vida de venda de packs não é pra mim. A menos que eu continue convidando meus colegas pra comprarem, em nome da amizade, minhas fotos feinhas mal diagramadas hahaha

E você, já pensou em ganhar uma graninha com suas fotos e vídeos? Conta aí nos comentários!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Mayumi Sato