PUBLICIDADE

Topo

Mayumi Sato

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Nova geração de casais de swing tem menos de 30 e é fã de Naruto

Personagens do anime Naruto - Divulgação/Toei Animation
Personagens do anime Naruto Imagem: Divulgação/Toei Animation
Mayumi Sato

Mayumi Sato é meio de exatas, meio de humanas. Pesquisadora e diretora de marketing do Sexlog quer ressignificar a relação das pessoas com o sexo e, para isso, acredita que é preciso colocar a mão na massa, o que inclui decodificar o comportamento humano. Ao longo dos anos, estudando e trabalhando com o mercado adulto, passou a fazer parte de uma rede de mulheres interessadas e ativistas no assunto, por isso sabe que não está "não estamos" só. Idealizadora do cínicas (www.cinicas.com.br) e feminista sex-positive.

Colunista de Universa

14/03/2021 01h48

Dia desses, uma das pessoas que trabalha comigo lá no Sexlog notou uma coisa engraçada: pessoas criando nomes de perfil, pra se identificar por lá, com referência a Naruto e outros animes. Para nós, que estamos acostumados a ver nomes de perfis como: Boazuda_deSantos ou AvantajadoTopaTudo, encontrar esses nomes mais "inocentes" e com referência a, digamos, cultura pop, foi uma surpresa.

Claro que resolvi dar uma investigada e notei que são perfis criados por pessoas solteiras e casais com uma idade média inferior ao que costumamos encontrar dentro da comunidade de swing. Esses novos perfis têm, em média, 25 a 30 anos, enquanto a comunidade é mais numerosa a partir dos seus 40/45 anos.

Pra entender um pouco mais sobre esse novo público do swing, lancei uma pesquisa, respondida por 2.700 pessoas onde cerca de metade estão na faixa dos 18 aos 35 e a outra metade de 36 a 60 anos. Fui atrás de perceber as diferenças, se é que existem, entre esses dois públicos:

Quando perguntados sobre o que os interessa numa rede social de swing, a maior diferença aparece em relação ao tema ménage.

O ménage feminino (duas mulheres e um homem) desperta o interesse de 50% do público mais novo e apenas 26% do pessoal mais velho. Quando o assunto é ménage masculino (dois homens e uma mulher), os resultados se invertem, gerando interesse em apenas 29% dos mais novos e 48% dos mais velhos.

Já o swing, a prática que envolve troca de casais, faz parte do interesse de 30% dos jovens, contra 27% do público mais velho.

Mas, de longe, o que mais interessa aos dois públicos no momento é o sexo on-line, sendo citado por 79% dos mais novos e 84% dos mais velhos. Afinal, ainda estamos numa pandemia.

Ao perguntar a ambos os grupos o que é essencial para sentir atração e marcar um encontro (ainda que online) com alguém, essas foram algumas das respostas:

"Boa conversa, com pessoas que realmente sabem o que querem, conhecer a pessoa bem para que se possa marcar alguma coisa."

"Respeito em primeiro lugar. Ter afinidades e que a pessoa seja legal e extrovertida."

"Uma mente evoluída em um corpo bacana, que me instiga."

"Beleza, higiene, mesma faixa etária, simpatia e simplicidade."

"Prefiro conhecer e me relacionar com pessoas inteligentes de boa índole a beleza não importa muito quando o tesão fala mais alto estou aqui para o real."

Sobre o que broxa e faz perder o interesse, aqui algumas pistas:

"Pessoas vazias e cheias de ego, e com desculpas pra tudo."

"Ver que não tem higiene e nem se cuidar."

"A pessoa fica insistindo em algo que eu já falei que não tô à vontade."

"Falta de educação, escrita incorreta, tratamento machista."

E você, se identifica mais com os maduros ou com os novinhos do swing? Compartilha nos comentários!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Mayumi Sato