PUBLICIDADE

Topo

Mayumi Sato

Mais efeitos negativos dos apps de namoro: mau humor e autoestima baixa

Pesquisadores sugerem desenvolver programas de apoio aos jovens para o uso mais positivo de apps de relacionamento - AntonioGuillem/Getty Images/iStockphoto
Pesquisadores sugerem desenvolver programas de apoio aos jovens para o uso mais positivo de apps de relacionamento Imagem: AntonioGuillem/Getty Images/iStockphoto
Mayumi Sato

Mayumi Sato é meio de exatas, meio de humanas. Pesquisadora e diretora de marketing do Sexlog quer ressignificar a relação das pessoas com o sexo e, para isso, acredita que é preciso colocar a mão na massa, o que inclui decodificar o comportamento humano. Ao longo dos anos, estudando e trabalhando com o mercado adulto, passou a fazer parte de uma rede de mulheres interessadas e ativistas no assunto, por isso sabe que não está "não estamos" só. Idealizadora do cínicas (www.cinicas.com.br) e feminista sex-positive.

Colunista do UOL

06/12/2020 04h00

Um estudo realizado em Israel com 500 estudantes solteiros constatou que 80% deles utilizam aplicativos de namoro. Desses, 25% dos alunos não religiosos e 15% dos religiosos acessam esses apps cinco ou mais vezes ao dia.

O acesso constante aos aplicativos indica o FOMO, ou Fear of Missing Out, que é o medo de perder ou ficar de fora de algo interessante. Mais do que um nome novo para indicar ansiedade, de acordo com o estudo, o FOMO está relacionado com insatisfação com a vida, mau humor, ansiedade social, baixa auto estima e problemas para dormir.

Ainda de acordo com esse levantamento, depois de um encontro cerca de 55% das mulheres e 45% dos homens sentiram que perderam, em algum momento, uma oportunidade (ou um match) melhor. Ou seja, a abundância de opções e ofertas nesses aplicativos têm gerado encontros que, ao mesmo tempo em que representam um alívio ou algo positivo, também carregam sua carga de stress e infelicidade.

A pesquisa ainda afirma que, dentre os grupos de estudantes pesquisados, as mulheres religiosas são aquelas que correm maior risco de enfrentar sentimentos negativos.

A conclusão dos pesquisadores é de que é preciso desenvolver programas de apoio aos jovens para o uso mais inteligente e positivo dessas tecnologias.

Por aqui, realizei uma pesquisa com 143 jovens para entender se o uso de apps de namoro, em algum momento, geraram algum sentimento negativo. 44% responderam que sim e 56% responderam que não.

Dentre os depoimentos, alguns trazem outros elementos para que possamos entender melhor esse fenômeno:

"Frustração porque tinha muitos contatos e eu não ia dar conta de falar com todo mundo e às vezes perdia boas oportunidades."

"Em alguns apps as pessoas só querem likes, não respondem as mensagens."

"Tinder escancara como eu não faço o tipo físico de ninguém. Desinstalei porque me fazia muito mal."

"Usei por poucas semanas alguns apps, mas não tive nenhum encontro. Fiquei puto e parei de usar."

"Moro em cidade minúscula então sentia tristeza quando instalava porque não tinha ninguém."

"As pessoas não querem nada real muitas vezes, só querem ver suas fotos pra se comparar com você."

"Quando usava sentia muita ansiedade e frustração e então ficava de mau humor."

E você, já se sentiu mais ansioso(a) ou infeliz depois de usar aplicativos ou depois de um encontro? Como foi? Conta pra gente nos comentários!

Mayumi Sato