PUBLICIDADE

Topo

Luciana Bugni

Neymar e Marquezine: por que as pessoas são tão obcecadas por esse casal?

Luciana Bugni

Luciana Bugni é gerente de conteúdo digital dos canais de lifestyle da Discovery. Jornalista, já trabalhou na "Revista AnaMaria", no "Diário do Grande ABC", no "Agora São Paulo", na "Contigo!" e em "Universa", aqui no UOL. Mora também no Instagram: @lubugni

Colunista do UOL

12/01/2021 11h18

Os anos começam de um mesmo jeito no Brasil há alguns anos: a internet torcendo para o retorno de Neymar e Bruna Marquezine. Nesta terça (12), quando acordei no Twitter pensei ter caído num vórtice em janeiro de 2018. Por que raios estão falando de novo no ex-futuro-talvez-eterno-casal #brumar?

O assunto voltou à tona porque Neymar teria desarquivado as fotos de Bruna de sua timeline no Instagram. Rapaz, te juro que tem alguém de férias o suficiente para rolar o perfil na rede social de Neymar até lá embaixo e achar uma foto dele com Bruna da época em que eles namoravam. Que inveja do tempo livre da galera!

Arquivar as fotos é uma funcionalidade do Instagram mais ou menos como tirar as fotos do ex dos porta-retratos e colocar na gaveta. Neymar teria tirado novamente as fotos da gaveta e colocado nos porta-retratos, mas num quarto lá do fundo do corredor, onde ninguém mais ia. Pode ser inclusive que nunca tenha tirado. Como saber? Pois bem, alguém viu. E saiu dizendo por aí que talvez eles tenham voltado.

Não impressiona a falta de serviço do cidadão na internet, me impressiona a torcida para um casal que vai e volta há tantos anos engatem o romance fase 2021. Como se os dois juntos simbolizassem o retorno do amor. Bruna e Neymar parecem ter posições políticas divergentes, posicionamento de torcida do BBB divergente, posicionamento oposto a respeito da festa correta para se fazer no ano novo (o correto era não fazer festa, no caso, mas Bruna ganhou no quesito cuidados). Os dois moram em países diferentes, localizados em continentes diferentes. E tem carreiras de sucesso cada um do seu jeito.

Bruna é a nova contratada da Netflix e tudo em que ela toca vira chique, vira desejável e passa a custar (se não custava) caro. Suas amigas são maravilhosas e unidas, ela é um escândalo de bonita e se posiciona com assertividade rara há vários anos. Está na TV desde a infância e nos faz pensar que ela é um priminha fofinha que cresceu e virou um mulherão.

Neymar é uma promessa eterna, que às vezes surpreende para o bem. Também o vimos crescer e se tornar um fenômeno, o vimos derrapar (na grande área e fora dela), o vimos se reerguer. A torcida é intensa e vem nos grupos de Whatsapp: "Neymar saiu de campo após presenciar cena de racismo!", todos comemoram. A gente quer há anos que Neymar seja um cara legal. Mas aí ele volta ao Brasil no fim do ano, se aglomera de novo, promete festão para centenas de pessoas e... ah, o Neymar segue sendo o mesmo.

Querer Neymar e Bruna juntos tem a ver com isso? Por que o retorno desse casal nos faria, como afirmam no Twitter, voltar a acreditar no amor? Por que achamos que uma mulher bem resolvida teria que voltar com um rapaz imaturo? A menos que ela quiser, é claro. Mas não parece ser esse o sinal que ela está dando.

Neymar teria que entender que tem quase 30 anos. Apesar do luxo, do glamour e da idolatria que exerce numa molecada toda há mais de uma década, ele já é um adulto que tem (mesmo que não tenha pedido) uma responsabilidade como exemplo para muita gente.

As atitudes de Bruna parecem mais condizentes com a idade que ela tem, embora revestida com mais ouro que as mulheres de sua idade. Tem amigas legais, se coloca bem, faz seu trabalho e não depende de namorar um dos homens mais poderosos do futebol para ser um sucesso (nem nunca dependeu).

No quesito #brumar, estou com Nina Lemos no Twitter: o término foi mais livramento para ela do que qualquer outra coisa. A menos que ele mude e cresça — sou Neymarzista adormecida e espero muito sempre me orgulhar das atitudes do jogador dentro e fora de campo.

Agora, por que a internet fica doida com a possibilidade de um retorno... diz mais sobre nossas expectativas de finais felizes improváveis e dificuldades de lidar com frustrações do que sobre o ex-casal. Viver nossa própria vida também é legal, viu?

Você pode discordar de mim no Instagram.