PUBLICIDADE

Topo

Ana Canosa

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Descubra o que suas fantasias sexuais dizem sobre você

iStock
Imagem: iStock
Conteúdo exclusivo para assinantes
Ana Canosa

Ana Canosa é psicóloga clínica, sexóloga, professora, escritora e comunicadora. Apresenta o podcast Sexoterapia, em Universa/UOL. Sendo há 28 anos testemunha das mais diferentes histórias afetivas, é categórica em afirmar que muitas vezes, só o amor não é suficiente. Fala de sexualidade desde que se entende por gente, unindo seus estudos acadêmicos com a experiência clínica e seu olhar de observação do mundo.

Colunista de Universa

04/01/2022 04h00

As fantasias sexuais são uma representação de nosso mundo erótico. Podem estar baseadas em cenas já vividas, ou emprestadas de filmes, trechos de livro ou um relato de alguém. Elas podem revelar uma parte já conhecida de nós mesmas ou uma faceta nova, mais ousada, transgressora, volúvel, ou mesmo romântica, recatada.

Ter uma fantasia sexual é bastante comum e não significa de fato a vontade de realizá-la. Saber o que lhe favorece a excitação, no plano do pensamento, pode ajudar a ter relações sexuais com maior frequência e a entregar-se para um prazer que une o físico a imaginação.

Existem 2 grandes grupos de fantasias. As não-noveladas, nas quais as sensações são muito presentes, como música, luz, movimento. Não são as personagens, não há papel, é a capacidade sensorial que fundamenta. A pessoa, por exemplo, dança uma música que considera eletrizante ou sensual e isso a remete para um estado de erotismo. E as noveladas que são aquelas com personagens, diálogos, cenários; algumas chegam a ser bem detalhadas, como uma cena de novela.

Dentro do grupo das noveladas, há uma porção de estilos diferentes. Alguns estilos:

- A personagem ingênua, que é assediada, que se liberta justamente porque toda a intenção sexual parece que é do outro;
- A vítima que se caracteriza por total passividade sexual. O erotismo advém do medo, do perigo;
- A selvagem: tudo acontece do jeito que você gosta, a ideia que impera é o prazer sexual físico individual;
- O jogo de dominação/submissão: Tudo gira em torno do poder e do controle. Fazer o que o outro quer ou se submeter aos desejos imperativos do outro.
- Dos amados - se desenvolve na intimidade emocional; uma mescla de intimidade, carinho e sexo. A maioria dos filmes de holywood do século XX apostaram nessa equação, e é assim ainda com as comédias românticas.
- Voyerista e Exibicionista - Enquanto a cena voyeur excita pela situação passiva de ver um corpo ou assistir uma cena de sexo na cena exibicionista a personagem é ativa no jogo erótico, exibindo seu corpo ou uma prática sexual.

Identificando modelos

Agora que você já identificou o(s) tipo(s) de fantasia(a), avalie como elas evoluíram ao longo do tempo, ou seja, se continuam as mesmas da sua adolescência ou se mudaram, se diversificaram. Como elas estão de fato relacionadas as expressões sexuais reais que você tem, pois quanto mais distantes, talvez menos você consiga excitar-se.

Pergunte-se que tipo de estímulo sexual aparece regularmente em suas fantasias que você gostaria de experimentar em sua vida real e tente colocar em prática, adaptando para a sua realidade e na relação com seu(a) parceiro(a).

Lembre-se que não é preciso aventurar-se com um desconhecido(a), caso não queira, para imaginar que se está diante de um, mesmo que seja o(a) seu velho(a) e bom companheiro(a)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL