PUBLICIDADE
Topo

Hackers e golpistas também foram afetados pelo apagão do WhatsApp; entenda

kalhh/ Pixabay
Imagem: kalhh/ Pixabay

Marcella Duarte

Colaboração para Tilt, em São Paulo

08/10/2021 18h38

O apagão mundial do Facebook, Instagram e WhatsApp, na última segunda-feira (4), deixou muita gente desesperada, sem conseguir fazer contato com os amigos e até mesmo trabalhar, por cerca de sete horas. E a pane global também afetou a atividade dos cibercriminosos, que utilizam redes sociais e mensageiros para aplicar golpes e como meio de comunicação.

De acordo com um levantamento da empresa de cibersegurança Axur, houve uma queda de 46,9% no volume de mensagens trocadas entre hackers e golpistas por meio do Whatsapp, em relação ao mesmo período da semana passada. Considerando apenas entre domingo (3) e segunda, a redução foi de 35,4%.

Segundo Thiago Bordini, chefe de inteligência e distribuição de ameaças cibernéticasna da empresa, a análise é resultado do monitoramento direto de mensagens trocadas dentro de grupos relacionados a fraudes e ataques, em que a companhia tem acesso.

"As ferramentas que utilizamos são próprias da Axur, específicas para realizar esse tipo de monitoramento. Trabalhamos com modelos de inteligência artificial para classificar se existe conteúdo ilícito nas mensagens ou não, e assim, conseguimos identificar com exatidão uma conversa de um cibercriminoso", explica.

De acordo com o levantamento, o volume de mensagens trocadas por cibercriminosos foram:

Whatsapp

  • 26-27/9 (domingo-segunda): 10.489
  • 27-28/9 (segunda-terça): 13.475
  • 3-4/10 (domingo-segunda): 7.727
  • 4-5/10 (segunda-terça): 4.992

No comparativo diário entre 3 e 4 de outubro a redução foi de 35,40%. Na análise semanal, o volume de conversas trocadas foi 46,92% menor.

O aplicativo rival Telegram — considerada a primeira opção de mensageiro da dark web (parte da internet "invisível") — também registrou queda na comunicação entre criminosos virtuais. Ela diminuiu 36,1% de um dia para o outro. Comparando com a segunda-feira anterior (27), a queda foi de 16,7%.

A plataforma também enfrentou instabilidades e chegou a ficar fora do ar em alguns países devido à elevada demanda repentina diante da falha do WhatsApp.

Telegram

  • 26-27 (domingo-segunda): 33.530
  • 27-28 (segunda-terça): 30.518
  • 03-04 (domingo-segunda): 32.928
  • 04-05 (segunda-terça): 20.401
  • Comparativo diário (3 a 4/10): -36,10%
  • Comparativo semanal: -16,74%

Na comparação diária entre domingo e segunda (4), a redução foi de 36,10%. Comparando os dados semanais, as conversas diminuíram 16,74%.

Procurados por Tilt, o Whatsapp disse que "não comenta pesquisas de terceiros" e o Facebook preferiu não se manifestar.