PUBLICIDADE

Topo

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Bowser's Fury une gatos e Godzilla para mostrar o futuro dos jogos do Mario

Bowser"s Fury é um completo para Super Mario 3D World - Divulgação/Nintendo
Bowser's Fury é um completo para Super Mario 3D World
Imagem: Divulgação/Nintendo

Marcellus Vinícius

Colaboração para o START

25/02/2021 04h00

Em 2018, o Ministério de Antiguidades do Egito anunciou a descoberta de três sarcófagos de mais de 4 mil anos dedicados exclusivamente a gatos domésticos, em mais uma evidência de como os bichanos eram cultuados como sagrados e guardiões divinos. Já em 1954 o filme Gojira (ou Godzilla) estreou nos cinemas do Japão, dando início gênero conhecido como kaiju, ou "filme de monstrão gigante".

Os dois eventos nunca pareceram ter qualquer relação entre si até chegar o dia 12 de fevereiro de 2021, quando Super Mario 3D World foi relançado para Nintendo Switch com um conteúdo inédito, a expansão chamada Bowser's Fury.

Confuso? Pois estou aqui para explicar essa inusitada relação entre Mario, Godzilla e sarcófagos felinos e ainda tentar analisar como que esse novo jogo agrega às possibilidades da série.

A primeira impressão é a que engana

A trama de Bowser's Fury traz mais perguntas do que respostas, o que a torna particularmente intrigante. Sabemos apenas que Bowser assumiu uma forma gigantesca ao ser possuído por uma espécie de petróleo das trevas (carece de fontes) e está fora de si destruindo tudo à sua volta em Lake Lapcat, um arquipélago misterioso onde absolutamente tudo tem orelhinhas de gato.

À primeira vista, o jogo parece uma simples fusão dos controles e power-ups de 3D World com a liberdade de exploração de Super Mario Odyssey, mas aos poucos vamos percebendo que essa soma não dá conta de descrever, de fato, a experiência que o jogo proporciona.

Jogo do Mario Bowser's Fury - Divulgação/Nintendo - Divulgação/Nintendo
Bowser's Fury contrasta bastante com Super Mario 3D World
Imagem: Divulgação/Nintendo

Parece mais correto afirmar que o formato de fases isoladas de 3D World (ou de qualquer Mario 2D) foi rearranjado para distribuir suas ideias e obstáculos de modo mais sutil e elegante em um espaço aberto, onde cada pessoa dita a ordem e o ritmo da progressão que preferir.

A transição suave entre os variados desafios do jogo dá ênfase à curiosidade e à individualidade de uma maneira que distingue Bowser's Fury não apenas do 3D World que o acompanha no pacote, mas também de outros jogos da série que também focaram mais em exploração, como é o caso do Odyssey.

Culto aos gatos

Super Mario 3D World Bowser's Fury - Reprodução/START - Reprodução/START
Imagem: Reprodução/START

Explorar o mundo de Bowser's Fury é também um trabalho arqueológico de desvendar a história por trás da sua excentricidade. Lake Lapcat, a exemplo das necrópoles do Antigo Egito, tem todo um lance de venerar de gatos como parte crucial da sua cultura.

É particularmente intrigante notar que todos os inimigos e animais estão caracterizados como gatos: peixes, gaivotas, tartarugas, o que for.

Há também indícios nos símbolos e arquitetura das construções das ilhas que comunicam a reverência da região aos felinos e o papel deles como guardiões contra eventuais adversidades.

Esse climão meio vago e místico de civilização antiga em meio a ilhas paradisíacas contrasta fortemente com a ameaça das enormes camadas de petróleo trevoso e a silhueta espinhuda do casco gigante do Bowser que, assim como Godzilla, a qualquer momento pode despertar no oceano e começar a soltar rajadas pela boca na tentativa de destruir tudo em terra firme.

O único jeito de peitar o Bowser nesse estado é com o poder de um sino especial que transforma o Mario em uma espécie de leão gigante super saiyajin de pêlos dourados, assumindo para si o papel de deidade felina guardiã do arquipélago.

É nesse ponto em que o jogo bebe direto da fonte do gênero kaiju, fazendo uma reverência nada sutil aos filmes de Godzilla, e aos duelos de robô gigante contra monstrão bem típicos de série Tokusatsu, como Changeman.

Proto-Mario do futuro

Por ser o conteúdo adicional de um jogo maior que já estava pronto, Bowser's Fury pode ser interpretado como um experimento curto e de baixo risco, que brinca com as possíveis direções que os jogos 3D do Mario poderão seguir de agora em diante.

Bowser's Fury - Divulgação/Nintendo - Divulgação/Nintendo
Bowser's Fury é um jogo bem mais livre para explorar com áreas amplas
Imagem: Divulgação/Nintendo

Até aqui a maior parte dos jogos da série apresentou o espaço das fases como blocos isolados e pouco relacionados, como visto no próprio 3D World. Há muito potencial na maneira como Bowser's Fury dilui o que seriam as fases de um jogo tradicional em espaços mais abertos e intercala seus desafios dentro de um espaço maior.

É como se o mapa de jogos anteriores não fosse apenas um seletor de fases, mas de fato um mundo aberto para ser desvendado livremente.

Todos esses elementos combinados ajudam a criar uma experiência que vai além do que se espera do conteúdo adicional de um relançamento, ainda mais considerando outros ports de Wii U feitos pela própria Nintendo.

Super Mario 3D World - Divulgação/Nintendo - Divulgação/Nintendo
3D World também continua um ótimo Mario
Imagem: Divulgação/Nintendo

Já é um feito louvável que Bowser's Fury consiga reunir gatos e kaijus em referências tão distintas, ele ainda se esforça em apresentar novidades a uma série que acaba de completar três décadas e meia de estrada. Além de trazer o excelente Super Mario 3D World a um enorme público que não teve antes a oportunidade de jogá-lo no Wii U.

Suponho que daqui a cerca de 7 mil anos, muito após a precoce extinção da humanidade, arqueólogos alienígenas encontrarão cópias de Super Mario 3D World + Bowser's Fury e passarão a teorizar que gatos, monstros gigantes e encanadores saltando plataformas em algum momento foram centrais nas manifestações culturais da antiga vida inteligente da Terra.

Eles estarão certos.

Super Mario 3D World Bowser's Fury caPA - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

Lançamento: 12/02/2021
Plataforma: Nintendo Switch
Preço sugerido: R$ 299
Classificação Indicativa: Livre
Desenvolvimento: Nintendo
Publicação: Nintendo
Jogue também: Super Mario Odyssey, Super Mario Sunshine

*A cópia do jogo para análise foi enviada ao START pela Nintendo

SIGA O START NAS REDES SOCIAIS

Twitter: https://twitter.com/start_uol
Instagram: https://www.instagram.com/start_uol/
Facebook: https://www.facebook.com/startuol/
TikTok: https://www.tiktok.com/@start_uol/
Twitch: https://www.twitch.tv/start_uol

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL