PUBLICIDADE

Topo

O Rock (Band) não morreu: jogadores seguem fiéis ao game das guitarras

Lucas Hao coleciona Guitar Hero, Rock Band e os instrumentos dos jogos - Lucas Hao/Arquivo Pessoal
Lucas Hao coleciona Guitar Hero, Rock Band e os instrumentos dos jogos Imagem: Lucas Hao/Arquivo Pessoal

Bruno Izidro

Do START, em São Paulo

13/07/2020 07h00

Jogo Rápido

  • Rock Band 4, lançado em 2015, é jogado até hoje
  • Game ainda tem modo online ativo e recebe novas músicas semanalmente
  • Fãs ouvidos pelo START gostam de descobrir bandas novas e jogam diariamente
  • Principal desafio são os instrumentos, que não são mais fabricados

Lembra de Rock Band? Ao lado de Guitar Hero, o game fez muito sucesso no fim dos anos 2000, substituindo os controles tradicionais por guitarras e baterias de plástico. E você pode até achar que esses games estão esquecidos, mas não para Lucas Rocha, mais conhecido como "Hao", que declara: "Enquanto o rock não morrer, o Rock Band viverá!".

Ele e muitos outros fãs ainda pegam suas guitarras e baterias de plástico quase diariamente para jogar, em especial Rock Band 4, que até hoje recebe novas músicas toda semana. Neste 13 de julho, Dia Internacional do Rock, o START conversou com alguns deles para saber como jogos desse estilo continuam vivos.

O Rock virtual está vivo

Rock Band Harmonix - Boston Globe/Boston Globe/Getty Images - Boston Globe/Boston Globe/Getty Images
Funcionários da Harmonix apresentam o primeiro Rock Band, em 2007
Imagem: Boston Globe/Boston Globe/Getty Images

Quando Rock Band 4 foi lançado para PlayStation 4 e Xbox One, em 2015, a intenção da criadora Harmonix ia além de revitalizar a série, que estava em um hiato: eles queriam fazer do jogo uma plataforma que recebesse novas músicas regularmente, e realmente cumpriram a promessa.

Em 2020, já foram lançadas mais de 50 músicas para Rock Band 4. São duas novas faixas lançadas toda semana via conteúdo por download (DLC). No total, a biblioteca do jogo ultrapassou 2500 faixas, incluindo canções dos jogos anteriores.

"Esse é um dos pontos fortes do Rock Band", diz Hao, que afirma jogar pelo menos uma vez na semana. "Às vezes jogar uma playlist com 80 músicas todos os dias enjoa, e sabemos que esse método (de lançar novas músicas) mantém o jogo vivo".

Gostamos do jogo como gostamos das nossas bandas favoritas
Lucas Hao, jogador de Rock Band

Ariel Liborio é outro fã que continua jogando Rock Band de três a quatro horas todos os dias, incentivado pelas novas músicas. "Isso me faz conhecer artistas que até então eu não conhecia. Muitos eu passei a virar fã de carteirinha por conta disso, foi o caso com Kings of Leon e Green Day".

Das músicas lançadas este ano, a grande maioria são de artistas pouco conhecidos do grande público, mas também encontramos nomes pop como Dua Lipa e Justin Bieber.

Por ter músicas novas sempre de todos os gêneros e bandas que eu gosto, isso é o que me faz permanecer nesse jogo até hoje
Ana Carolina, joga Guitar Hero e Rock Band desde 2009

Vez ou outra, Rock Band 4 também recebe novas músicas que são lançamentos. Este ano, foi o caso de Simmer, do recente disco solo de Hayley Williams, vocalista do Paramore. Teve também Bad Decisions, dos The Strokes, lançada junto com o novo álbum da banda, em abril.

Atrações online

O suporte da Harmonix não se limita as novas músicas toda semana. O modo online, que foi adicionado ao Rock Band 4 na expansão Rivals, em 2016, também continua ativo. No modo, até quatro jogadores escolhem um dos instrumentos: bateria, baixo, guitarra ou vocal, e jogam cada um de sua casa.

Rock Band 4 Gameplay - Divulgação/Harmonix - Divulgação/Harmonix
Imagem: Divulgação/Harmonix

Com as facilidades das redes sociais, hoje muito dos fãs que continuam jogando Rock Band 4 participam de grupos no Facebook e no WhatsApp, por exemplo.

O programador Flávio Riyoji, 41, administra alguns desses grupos e ele explica que, neles, os jogadores combinam de jogar online ou falar das novidades que aparecem no jogo. "A expansão Rivals chegou pra animar o Rock Band, porque o jogo estava ficando muito parado".

Tenho mais de 1000 musicas para jogar como os meus amigos, não tem como enjoar
Flávio Riyoji

Uma das principais razões da longevidade do jogo foi como a Harmonix transformou Rock Band 4 em um jogo como serviço, parecido com Destiny ou Fortnite. O modo online de Rock Band 4 tem temporadas, por exemplo, que duram oito semanas, com desafios semanais para as Crews —clãs, de até dez jogadores, que competem nas temporadas numa espécie de "batalha de banda" em um ranking mundial.

Rock Band personagem Ariel Liborio - Ariel Libóbio/Arquivo Pessoal - Ariel Libóbio/Arquivo Pessoal
Imagem: Ariel Libóbio/Arquivo Pessoal
Esses jogos fazem parte da minha vida por mais de 12 anos e não consigo imaginar não ter uma opção que supra essa rotina que tanto amo. Se depender de mim, Rock Band não morrerá nunca
Ariel Liborio, fãs de Rock Band

Os desafios semanais exigem que os integrantes das Crews toquem uma seleção de três músicas, escolhidas pela Harmonix, e atinjam a pontuação mais alta nelas em cada instrumento.

O professor de matemática Rodrigo Takashi, 27, é considerado um dos jogadores brasileiros mais empenhados nesse modo online de Rock Band 4, mesmo ele dizendo que só joga para se distrair: "Poder jogar em quatro instrumentos diferentes é uma experiência muito divertida enquanto você escuta um bom som".

Rock Band - Divulgação/Harmonix - Divulgação/Harmonix
Expansão Rivals incluiu as batalhas de bandas online no game
Imagem: Divulgação/Harmonix

Takashi foi um dos jogadores que voltaram a se interessar por jogos do estilo com o lançamento de Rock Band 4 e achou nesses grupos de fãs um incentivo. "Conheci uma comunidade brasileira de Rock Band que me motivou ainda mais a continuar aproveitando o jogo", diz.

E o Guitar Hero?

Assim como Rock Band 4, Guitar Hero Live foi lançado em 2015 com o mesmo intuito de retornar a série. Porém, não deu muito certo. Talvez por voltar a se focar somente na guitarra como único instrumento ou por problemas de microtransações das músicas.

Com as vendas do jogo abaixo das expectativas, a produtora Activision não viu mais vantagem em dar suporte ao game e tirou do ar o modo online Guitar Hero TV e os servidores em 2018.

Guitar Hero teve muitas perdas, no online e com músicas retiradas das lojas, o que me fez migrar pro Rock Band 4
Lucas Rodrigues, jogador de Rock Band e Guitar Hero

O sucesso dos jogos musicais

Guitar Hero Metallica - Reprodução - Reprodução
Metallica foi uma das bandas a terem sua própria versão de Guitar Hero
Imagem: Reprodução

A febre dos jogos de ritmo começou com Guitar Hero, lançado em 2005 para PS2. Muitos jogadores com quem conversamos chegaram até o jogo por já gostarem de Rock e verem na junção de música e videogame algo quase mágico: "Fiquei fascinado como eles conseguiam transmitir os acordes da guitarra em um jogo. Pra um fã de Rock isso é quase um Santo Graal", relembra Lucas Hao.

Ainda mais com a chegada de Rock Band, em 2007, o gênero explodiu de vez e criou um impacto cultural gigante e para além dos videogames. Bandas ficaram famosas por causa dos jogos, como Dragonforce e as difíceis sequências de acordes de Through the Fire and Flames.

De repente, começaram a aparecer versões alternativas e modificadas dos jogos com músicas de bandas brasileiras e até de anime. Bandas como Metallica e Aerosmith tiveram suas próprias versões de Guitar Hero. Já um dos mais importantes e influentes grupos de rock do mundo também estrelou o próprio game com The Beatles: Rock Band.

Com os anos, Guitar Hero criou séries paralelas, como DJ Hero e Band Hero, enquanto Lego Rock Band já fazia a gente questionar se não estavam exagerando um pouco. Pior que estavam.

Em 2010, o mercado estava bem saturado com tantos títulos, ainda mais com os instrumentos que eram vendidos juntos, encarecendo tudo. Foi o fim, temporário, desses jogos.

Coleção guitarras Rock Band Guitar Hero - Lucas Rodrigues/Arquivo Pessoal - Lucas Rodrigues/Arquivo Pessoal
Coleção de Lucas Rodrigues: "Comecei a jogar aos 8 anos, desde então não parei mais". Hoje ele tem 22.
Imagem: Lucas Rodrigues/Arquivo Pessoal

O irônico é que foi nesse ano o lançamento de Rock Band 3, considerado por muitos fãs como o ápice do gênero, por causa das novidades no gameplay.

Para Ariel, o jogo é a experiência definitiva da franquia: "A adição do teclado e do modo PRO (podendo tocar com instrumentos de verdade) deu uma renovada na forma de jogar, tive a ótima sensação de reaprender a jogar em novos instrumentos"

Rock Band 3 até recebeu um novo tipo de réplica de guitarra, mais complexa e que simulava o instrumento real.

Além disso, a lista de músicas passeava pelo funk de James Brown, o pop alternativo de David Bowie, o soul de Amy Winehouse e o metal de Rammstein e Slipknot.

O show não acabou

Até o lançamento de Rock Band 4 e Guitar Hero Live, em 2015, jogos musicais ficaram em hiato por cinco anos. Nesse período, alguns jogadores não deixaram seus instrumentos de lado. Muitos por terem uma conexão afetiva com os jogos, de terem sido o motivo para começar a aprender um instrumento ou formar uma banda.

Ana Carolina Rock Band 3 Shopping - Ana Carolina/Arquivo Pessoal - Ana Carolina/Arquivo Pessoal
Imagem: Ana Carolina/Arquivo Pessoal
A história da técnica em publicidade Ana Carolina, 22, é bem marcante. Sem ter um Xbox 360 ou PS3 na época, ela jogava Rock Band 3 em uma loja que cobrava por hora, em um shopping de Campinas (SP): "Eu gastava todo meu dinheiro lá, só para tocar a guitarra ou a bateria por horas", relembra.

Ela só foi ter um Rock Band próprio com o lançamento de Rock Band 4, que hoje é o preferido dela e joga diariamente, chegando a transmitir o game em seu canal na Twitch.

Rock eterno?

Rock Band 4 banda plateia vazia - Divulgação/Harmonix - Divulgação/Harmonix
Os últimos fãs no show
Imagem: Divulgação/Harmonix

Rock Band 4 permanece vivo, mas por quanto tempo? Mesmo com a Harmonix mantendo o suporte, o game tem um problema com os instrumentos, que não são mais fabricados.

"Não encontramos mais instrumentos novos no mercado", relata Flávio Riyoji. " E quando achamos, o preço está muito além da realidade".

Ou seja, o game não é atrativo a novos jogadores que, talvez, queiram voltar a jogar. Se nos primeiros Guitar Hero ainda era possível jogar só com o controle normal do videogame, o mesmo não acontece agora com Rock Band 4, em que os instrumentos são obrigatórios.

Ana Carolina fãs Guitar hEro - Ana Carolina/Arquivo Pessoal - Ana Carolina/Arquivo Pessoal
Imagem: Ana Carolina/Arquivo Pessoal
O que me prende até hoje nesses games é o fato de poder tocar e fazer os solos das músicas favoritas e ter aquela competitividade consigo mesmo para acertar 100% da música
Ana Carolina, jogadora de Guitar Hero e Rock Band

Há também o problema de que novos videogames serão lançados agora em 2020 e fica a dúvida se a Harmonix continuará dando suporte ao game no PS5 e Xbox Series X, seja tornando Rock Band 4 retrocompatível ou mesmo fazendo um novo lançamento.

O START tentou entrar em contato com o estúdio, mas não obteve respostas.

Atualmente, a empresa esta com dois novos jogos musicais: Fuser, focado em DJ com lançamento ainda este ano, e Audica, um jogo de realidade virtual.

Rock Band Wii - Michael Loccisano/FilmMagic - Michael Loccisano/FilmMagic
Público joga Rock Band no Wii, em 2008, na loja oficial da Nintendo, em Nova Iorque
Imagem: Michael Loccisano/FilmMagic

SIGA O START NAS REDES SOCIAIS

Twitter: https://twitter.com/start_uol
Instagram: https://www.instagram.com/start_uol/
Facebook: https://www.facebook.com/startuol/
TikTok: http://vm.tiktok.com/Rqwe2g/
Twitch: https://www.twitch.tv/start_uol