Conteúdo publicado há 2 meses

'Falsa nerd': fã de jogos online cria rótulo para se blindar de machismo

Entre os corredores da CCXP, cosplayers chamam atenção e são tietados pelo público com pedidos frequentes de fotos. Esse é o caso de Natália Paiva, 27, que escolheu curtir a feira vestida de Raze do Valorant, mais conhecida como Baianinha.

Antes de começar a entrevista em vídeo, Vitória se apresentou como "falsa nerd". "Toda mulher quando fala "eu sou nerd" precisa saber de tudo, não adianta só falar que gosta de anime, Marvel, DC. Você precisa saber o que o Batman falou no episódio 14 da edição X", reclamou.

Machismo e pressão. Natália costuma jogar MMO RPG, LOL e Valorant, e o tratamento muda quando percebem que é uma mulher do outro lado da tela. "Acontece muito de falarem 'pra jogar mal tinha que ser mulher'. Você tem que jogar muito bem pra ser considerada 'boa'", disse, ao defender que não é obrigada a se provar pra ninguém e nem precisa saber tudo pra ser respeitada no meio.

"Se as pessoas querem me rotular como falsa nerd, então eu sou falsa e pronto. Vesti a camisa", afirmou.

Reciclagem no Cosplay. Em sua sexta vez no evento, Vitória economizou na hora de dar vida a Raze. O colete e a arma, toda de papelão, foram feitos pelo namorado Klinsmann Oliveira, 29. Já a roupa e sapato, Natália colocou a mão na massa. Os dois reciclaram materiais e aproveitaram itens usados na CCXP de 2022.

"Passei numa loja de sapato e falei pra moça que eu tenho amizade: 'preciso de caixa de sapato, muitas'. Ela foi no estoque e trouxe várias, mais finais pra cortar", contou Natália, que gastou em média 150 a 200 reais no cosplay deste ano.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes