PUBLICIDADE
Topo

Por Onde Anda

Contamos a história de artistas que foram famosos e estão afastados do mundo do entretenimento, investindo em uma outra carreira, ou vivendo em outro país.


Chiquinho da Eliana, Edilson Oliveira já tentou carreira na política

Edilson Oliveira, o Chiquinho, com a apresentadora Eliana - Reprodução/Instagram
Edilson Oliveira, o Chiquinho, com a apresentadora Eliana Imagem: Reprodução/Instagram

Laysa Zanetti

De Splash, em São Paulo

23/06/2022 04h00

Quem não se lembra do personagem Chiquinho, assistente de palco da apresentadora Eliana que fez sucesso ao seu lado em programas infantis no final da década de 90? Hoje afastado da televisão, o humorista que vivia o personagem ainda o sustenta em eventos e festas infantis, mas já tentou a sorte até mesmo na política.

Antes de se tornar o Chiquinho na Record, Edílson era a voz por trás do Melocoton, no "Bom Dia & Cia", do SBT, criou o palhaço Fosco e foi o Mago Merlin no programa "Show da Simony". Chiquinho foi idealizado quando Eliana migrou de emissora, e ele foi com ela.

"Quando eu fui para a Record, a gente criou um novo personagem para ele, e ele trouxe uma ideia, a gente lapidou e surgiu o Chiquinho", contou a apresentadora em março ao PodDelas.

O sucesso foi tão grande que Edilson ganhou o próprio programa em 2000. Na atração, tentou emplacar um novo personagem, chamado Ed Banana, um repórter inspirado no filme "O Máskara" (1994). A atração foi encerrada dois anos depois e o humorista voltou a se dedicar apenas ao personagem Chiquinho.

Ao todo, a parceria com Eliana na TV durou de 1998 até 2004 e foi encerrada quando a apresentadora deixou o segmento infantil e assumiu programas aos domingos, mudando o foco da sua carreira.

Edilson Oliveira era a voz do Melocoton no SBT - Reprodução/Instagram - Reprodução/Instagram
Edilson Oliveira era a voz do Melocoton no SBT
Imagem: Reprodução/Instagram

"Quando eu migrei para o público família, aos domingos, já não cabia mais personagem infantil, porque eu mesma, como comunicadora, já tive que me adaptar a falar com o novo público", seguiu..

Depois que o programa infantil de Eliana foi encerrado, Edílson trocou São Paulo pela Bahia, e começou a levar Chiquinho a escolas e hospitais, atuando ao lado de instituições públicas em projetos como o Proerd, de conscientização contra o consumo de drogas.

Além disso, ele teve seu próprio programa em 2007, chamado "O Mundo de Chiquinho". Atualmente, participa de programas locais e continua se apresentando em eventos. Ele se define como diretor, palestrante e produtor além de humorista, dublador e animador.

Entre 2011 e 2013, Edílson voltou à TV aberta com projeção nacional ao trazer Chiquinho como um dos estudantes no programa "Escolinha do Gugu", também na Record. Hoje, no entanto, ele prefere manter-se um pouco mais longe dos holofotes, apesar de uma participação recente pelo "Programa da Eliana", no SBT.

Tentativa de ingressar na política

Em 2020, ele tentou ingressar para a política, e se candidatou ao cargo de vereador na cidade de Lauro de Freitas, na Bahia. Apesar de ter usado o nome do personagem, apresentava-se de cara limpa para a fotografia que aparecia na urna eletrônica. Ele recebeu o total de 37 votos e não foi eleito.