PUBLICIDADE
Topo

'Nosso Lar 2': Espiritismo, roteiros e planos para novos filmes da saga

Mariana Assumpção

da Ingresso.com

19/05/2022 04h00

Embora tenhamos aguardado por mais de uma década, a sequência do longa "Nosso Lar" (2010), sucesso absoluto de bilheteria nos cinemas, finalmente está saindo do papel.

A Ingresso.com foi convidada semana passada para acompanhar uma diária das gravações do novo filme, que estão acontecendo no Rio de Janeiro. Numa noite na qual atores como Edson Celulari, Fábio Lago, Aline Prado e Nando Brandão rodavam cenas marcantes da sequência, o diretor Wagner de Assis concedeu uma entrevista exclusiva, revelando surpresas sobre a continuação e sobre o futuro da franquia.

Primeiramente, o cineasta faz questão de reunir toda a equipe em roda para emanar boas energias antes do início dos trabalhos. Bem-humorado, ele brinca com atores, figurantes e produtores igualmente, tornando o clima leve e agradável. Um dos profissionais da técnica, inclusive, comenta que já trabalha com Wagner há anos e que os sets do diretor são os melhores ambientes nos quais ele já exerceu a função.

Jornalista por formação, Wagner lançou seu primeiro longa em 2005. Desde então, possui um extenso currículo recheado de filmes com temáticas sobrenaturais: "A Menina Índigo" (2016), "Kardec" (2018) e o vindouro "Ninguém é de Ninguém" são alguns deles. Contudo, o cineasta enfatiza que o termo "filme espírita" não o contempla:

"É contraditório. Cinema é cinema, espiritismo é espiritismo. Só que um oferece um manancial de histórias para o outro que, a mim, parece interminável", explica.

O diretor comenta que aprecia assuntos espirituais de um modo geral, e que se desenvolveu racionalmente sobre a doutrina espírita. O estudo fez despertar um fascínio ainda maior, já que, para ele, o espiritismo não é dogmático e tem a capacidade de conversar com diversas outras doutrinas. Quando questionado sobre o que motiva o desenvolvimento de seus projetos, ele explica que as narrativas que abordam o tema consistem em um material riquíssimo para os seus trabalhos:

"É uma combinação de fatores. Às vezes, um tem mais peso que o outro. Mas eu diria que o principal deles é quando eu encontro uma boa história. Uma história sensacional mesmo, onde quer que ela esteja", declara. "Sempre gostei das boas histórias, porque elas revelam um tanto da condição humana", completa o cineasta.

O diretor relembra o seu primeiro longa-metragem, "A Cartomante" (2005), no qual a trama tinha um leve toque de sobrenatural. Ele disse que, a partir daí, decidiu explorar ainda mais essa vertente narrativa em seus trabalhos, já que o assunto também lhe desperta um interesse pessoal:

"A gente não para porque, quando conseguimos entender que o que as pessoas estão escrevendo é sobre a condição humana, fica fascinante. E, bom, já que comecei agora preciso fazer escolhas que falem a mim. Você não pode passar anos fazendo uma coisa que não te toque de alguma maneira. É muito trabalho. Então, é um pouco da combinação dessas duas coisas", explica Wagner.

"A outra condição é uma pesquisa pessoal. A espiritualidade é a nossa última fronteira, o espírito humano é a nossa última fronteira, e a gente deveria olhar muito para isso, do ponto de vista científico, filosófico, porque é sobre isso. As consequências é que são religiosas".

Mais projetos

"Nosso Lar 2 - Os Mensageiros" é o terceiro projeto cinematográfico no qual Wagner trabalha em sequência, retornando em ritmo acelerado após o hiato pandêmico. O cineasta concluiu recentemente as filmagens do "longa Ninguém é de Ninguém", baseado no livro homônimo de Zíbia Gasparetto, e se prepara para lançar o documentário "Chico Para Sempre".

Em um trabalho de curadoria impressionante, que conta com mais de 80 entrevistas, Wagner trabalha em parceria com Marcel Souto Maior, escritor do best-seller "As Vidas de Chico Xavier", base do roteiro. O diretor demonstra ansiedade para a estreia do documentário, projeto que tem o potencial de tornar a história do médium Chico Xavier, por quem Wagner nutre profunda admiração, conhecida por pessoas de todo o mundo.

A volta aos sets de filmagem vem sendo desafiadora, com testagem em massa para toda a equipe e cuidados redobrados. Wagner se alegra com o retorno, principalmente após avaliar os momentos de incerteza enfrentados por cada um de nós. Entretanto, não deixa de analisar o cenário complexo dos realizadores artísticos na atualidade:

"Por extensão, o aspecto cultural de uma sociedade, que é um pouco de sua alma, também foi muito abalado. Em determinado momento a produção artística sumiu, desapareceu. E a arte é a expressão do espírito humano", lamenta Wagner. "Mas eu sinto que todo mundo está muito ansioso para deixar de ser o 'novo normal' e voltar a ser o 'normal normal'", brinca ele, na esperança de dias melhores.

"Nosso Lar 2 - Os Mensageiros" adapta o segundo livro da série "A Vida No Mundo Espiritual", que conta com 13 exemplares no total. O primeiro filme dirigido por Wagner foi lançado há 12 anos, e levou quatro milhões de pessoas aos cinemas do Brasil. Em todo o mundo, "Nosso Lar" contabiliza mais de 50 milhões de espectadores — considerando dados de streaming, VOD, canais de TV a cabo e mídia física, afirma o diretor. Com tantos fãs ansiosos pela sequência, Wagner explica o que o longa trará de novo desta vez:

"'Os Mensageiros' é um livro que de fato entrega qual era a proposta do espírito do André Luiz, que era falar sobre a vida no mundo espiritual", contextualiza.

"É um livro muito importante quando se fala do assunto mediunidade. Ele começa descrevendo médiuns fracassados, e eu acho isso muito importante porque coloca a mediunidade como algo passível de ser questionado, se ela não for idônea, ética e correta. Os erros acontecem, os arbítrios podem ser levados de formas ruins. Eu entendo que, nesse filme, a gente acrescenta muito mais sobre a ideia de que há vida depois da vida. Essas relações que nós mostramos no primeiro filme, que existem encarnados e desencarnados, elas vão muito mais além do que foi explorado no primeiro longa. Agora, elas são relações de projetos de vida fracassados, projetos em conjunto que podem não dar certo sobre anjos da guarda, ou seja, a imagem do anjo é refeita nesse sentido. Ele abandona a ideia daquele ser intocável, que é longe da gente, e a gente traz para o público a ideia do mentor, do protetor, ou seja, tem inúmeros desenhos na historia", destaca Wagner.

Levando em consideração o sucesso estrondoso do primeiro longa, dentro e fora do país, é de se esperar que a série literária dê origem a uma frutífera saga cinematográfica. Bom, se depender do cineasta, "Nosso Lar 2" é apenas o início de um projeto extenso, capaz de gerar diversas sequências nas telonas:

"Eu quero muito falar sobre Libertação, que é um livro espetacular. Quero e tenho os direitos, então, eu vou trabalhar para isso. Tem também o 'Missionários da Luz', que narra uma série de expedições à Terra que eles fazem e, para mim, isso é de uma transformação de paradigma absurda", destaca Wagner.

"Eu quero muito poder fazer isso, estou trabalhando nisso. Esse filme é o segundo passo, e espero que seja um de muitos passos. Não estou sendo falsamente humilde nem nada, mas a gente tem os direitos e a gente vai trabalhar pra isso", explica o diretor, animado com o futuro promissor da franquia.

A sinopse do longa explica que, nesta nova história, André Luiz (Renato Prieto) integra um grupo de espíritos mensageiros que parte em direção à Terra para acompanhar os desdobramentos de uma missão que corre o risco de fracassar: a criação de uma obra espiritual que ligue os dois mundos.

No processo, também enfrentam seus próprios dramas. O médico, que teve a história contada no primeiro filme, embarca na jornada liderada por Aniceto (Edson Celulari). Juntos, eles se dedicam a cuidar de três protegidos cujas histórias estão interligadas: Otávio (Felipe de Carolis), jovem médium que não cumpriu com o planejado em sua missão; Isidoro (Mouhamed Harfouch), líder de uma casa espírita; e Fernando (Rafael Sieg), empresário responsável pelo financiamento do projeto.

As filmagens de "Nosso Lar 2 - Os Mensageiros" seguem a todo vapor, e a expectativa é de que as gravações sejam concluídas nas próximas semanas. A previsão de estreia do longa é para 2023, sem data específica definida até o momento.