PUBLICIDADE
Topo

Receba os novos posts desta coluna no seu e-mail

Email inválido
Seu cadastro foi concluído!
reinaldo-azevedo

Reinaldo Azevedo

mauricio-stycer

Mauricio Stycer

josias-de-souza

Josias de Souza

jamil-chade

Jamil Chade

Marcelle Carvalho

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Ítala Nandi, a Madeleine do antigo 'Pantanal', lamenta não estar no remake

Ítala Nandi deu vida a Madeleine, que tenta afastar o filho do pantaneiro - reprodução
Ítala Nandi deu vida a Madeleine, que tenta afastar o filho do pantaneiro Imagem: reprodução
Conteúdo exclusivo para assinantes
Marcelle Carvalho

Marcelle Carvalho é jornalista que cobre, há duas décadas, o universo da televisão. Suas maiores paixões são novelas e séries, que serão abordadas aqui a partir da visão de quem vê e de quem faz.

Colunista do UOL

01/10/2021 04h00

O remake de "Pantanal" segue mexendo não só com os ânimos da gente como também dos atores que estiveram no original, há 30 anos. Ítala Nandi, que deu vida a Madeleine na segunda fase da trama - antes coube a Ingra Liberato a missão - comemora a nova versão, porém, não esconde uma pontinha de frustração.

Lamento não estar no remake. Fiquei muito triste de ver que não estava ali. Porque eu poderia fazer muito bem outros personagens que tinham lá", garante a atriz, deixando claro seu carinho pela produção: "A base dessa novela é admirável. Uma trama icônica."

E não é exagero classificar a história dessa forma. "Pantanal" revolucionou a linguagem das telenovelas. Saiu do eixo Rio-São Paulo e dos estúdios, ousou ao levar a história para uma região do Brasil pouco conhecida e, com isso, ter quase que em sua totalidade gravações externas. Pensar isso hoje é fácil, mas há 30 anos...

Mesmo com toda a complexidade, era tudo muito bem organizado, a produção, a direção... Não me lembro de contratempos, apesar da locação ser distante. E Madeleine era um belo personagem, o contraponto daquela vida pantaneira. Achava ridícula, tinha nojo. A voz dissonante", analisa Ítala, que se lembra com carinho de Claudio Marzo, o José Leôncio, marido de Madeleine:

Foi muito bom trabalhar com Claudio. Inclusive, porque estivemos juntos no Teatro Oficina e namoramos naquele período. Então, nosso reencontro foi muito emocionante", diz a artista.

Mudança de rumo

Ítala não chegou a fazer toda a novela. Na trama, Madeleine é dada como desaparecida ao sofrer um acidente aéreo, quando tentava chegar à fazenda do ex-marido em um avião de pequeno porte. A atriz conta, porém, que a saída da personagem da trama não estava no roteiro:

Isso aconteceu porque solicitei minha retirada da novela. Explico: eu tinha enviado um pedido para o governo da Índia, mais de um ano antes de 'Pantanal', para uma coprodução em um documentário. Na época, meus colegas diziam: 'Isso não iria acontecer, a Índia não coproduz com ninguém. E depois de um ano, eu estava em outra história, não pensava nisso. Mas decidiram coproduzir comigo, abriram todas as portas para mim!"

Então, cheguei pro Jayme (Monjardim, o diretor) e pedi meu desligamento. Foi uma m. Como sou profissional que não causa problema, fazer uma coisa dessa foi muito difícil pra mim. Mas tive que optar. Senão ia perder a primeira coprodução do Brasil com a Índia. De certa forma, percebi que Jayme tinha entendido. Ele ficou arrasado, mas depois compreendeu quando lhe dei a cópia do filme. Quem eu acho que não entendeu foi Benedito (Ruy Barbosa, o autor). Tenho certeza que é p. da vida comigo até hoje", acredita a artista.

'Pantanal' - reprodução/instagram - reprodução/instagram
Ítala Nandi pediu para deixar 'Pantanal' por ter conseguido um difícil co-patrocínio da Índia para um documentário
Imagem: reprodução/instagram

Fato é, minha gente, que Ítala foi para o Oriente e trouxe na bagagem o material que virou o documentário "Índia, o Caminho dos Deuses". Não há arrependimento na decisão tomada, claro. Mas há um lamento por não ter vivido o potencial que estava reservado para Madeleine.

Quando vi a novela na reprise, eu fiquei pensando: "Puxa vida, a falta desse personagem foi muito grande". Senti que teve uma boa ajustada para as coisas poderem ir em frente sem a participação de Madeleine. Porque naquele acidente aéreo, o Velho do Rio iria cuidar dela, Madeleine mudaria de pensamento completamente, tornando-se uma pantaneira autêntica. Percebi o quanto deve ter sido triste a ausência do personagem na novela. Mas não tive alterativa, porque desistir do copatrocínio da Índia era muito difícil. Havia uma data, eu tinha que estar no país até o fim de 90, ano em que estava gravando "Pantanal".

Ao saber o que KarineTelles será Madeleine - Bruna Linzmeyer vai dar vida a mesma personagem, só que na primeira fase - Ítala ficou empolgada com a atriz, e dispara:

Sorte para ela, que faça muito bem e que não tenha que ir para Índia como eu tive (risos). Que ela faça até o fim que vai ser ótimo!"

80 anos com novidades

Parece brincadeira, mas ano que vem Ítala completa 80 anos - 60 deles dedicados à arte. Porém, ela já começa as comemorações este ano. Além de dois filmes para rodar, a atriz vai encarar uma empreitada inédita na carreira.

Estou indo dia 20 para Curitiba, porque vou dirigir a ópera "O Santeiro do Mangue". Ela é de Oswaldo de Andrade, inédita, escrita em 1934, e nunca foi levada à cena. Ópera genial", empolga-se a atriz.

O bacana é que o projeto partiu de um ex aluno da artista, que fez a escola de artes dela em Curitiba.

Um dos meus alunos, Gehad Hajad, virou meu parceiro de trabalho. E como sempre ouvi ópera, ele se tornou apaixonado pelo gênero. Tanto que criou e está no 7º Festival de Ópera no Brasil. E agora inventou de montar essa ópera e me chamou para fazer a parte interpretativa. A operística ele vai dirigir", conta a atriz, avisando que a estreia está marcada para dia 6 de novembro, na capital do Paraná.

Enquanto se ocupa com a ópera, Itala espera os dois longas que está no elenco: "Clube das Mulheres de Negócios", de Anna Muylaert , e "Vermelho Sangue", do Orlando Sena. Só que com a pandemia, os trabalhos estão em stand by.

Grandes atores não deveriam ser figuras tão sazonais na TV, né? Ítala está sem fazer uma novela inteira desde "Dona Xepa" (2013), na RecordTV. Para matar um pouquinho da saudade, ela está na reprise de "Prova de Amor", na mesma emissora. E aproveita para avisar que não fechou as portas para TV, tá?

Todo mundo fala que sente falta de mim na TV. Mas eu estou aí, enquanto não me chamam, vou fazendo as minhas coisas . Bem que eu gostaria de voltar pra Globo para fazer um belo personagem. Inclusive, porque percebo que, infelizmente, são poucas os atores e as atrizes que chegam a minha idade bem, com saúde, graças a Deus. Então, deverá aparecer um personagem digno de mim."