PUBLICIDADE
Topo

Marcelle Carvalho

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

'Super Dança': Tiago Leifert rouba cena em noite de Paolla Oliveira campeã

Tiago Leifert na Super Dança dos Famosos (Reprodução/TV Globo). - Reprodução / Internet
Tiago Leifert na Super Dança dos Famosos (Reprodução/TV Globo). Imagem: Reprodução / Internet
Conteúdo exclusivo para assinantes
Marcelle Carvalho

Marcelle Carvalho é jornalista que cobre, há duas décadas, o universo da televisão. Suas maiores paixões são novelas e séries, que serão abordadas aqui a partir da visão de quem vê e de quem faz.

Colunista do UOL

30/08/2021 01h00Atualizada em 30/08/2021 14h04

Que final foi essa do "Super Dança dos Famosos", minha gente? Paolla Oliveira ganhando de Rodrigo Simas por um décimo? E Dandara Mariana, que teve justamente um décimo retirado de sua nota por um deslize que só a jurada Rebeca Andrade viu? Sabe de uma coisa: nesta temporada só deveria ter o primeiro lugar e os três dividindo o mesmo posto. Apesar de a disputa derradeira ter sido emocionante, não foram as performances dos atores que roubaram a cena. O nome da noite foi Tiago Leifert.

O apresentador não precisou fazer nenhum passo rebuscado como pede a valsa, muito menos ter o remelexo exigido pelo samba. O que chamou a atenção foram as lágrimas que correram teimosas em seu no rosto, mesmo ele tentando segurá-las. Leifert espremeu os olhos, deu aquela respirada, porém, o choro foi mais forte. E contagiou a todos no estúdio e, provavelmente, o público em casa. Confesso que fiquei com os olhos marejados diante da emoção genuína do moço.

Não seria nada absurdo se esse choro fosse de alívio por ter completado a missão. Afinal, ele foi colocado em uma posição bastante delicada: substituir, de última hora, Faustão, arrancado sem a menor cerimônia de seu "Domingão". O apresentador deu muito conta do recado e conseguiu, inclusive, imprimir durante semanas o seu jeito de comandar uma atração. Entre lágrimas, Leifert não esqueceu de quem lhe deu a mão e agradeceu à equipe:

Foi tudo melhor e mais especial por causa de vocês. Foi muito fácil, juro. Eu achei que fosse ser tão difícil, mas vocês fizeram parecer fácil. Eu cheguei aqui e também me diverti como vocês... Falei umas groselhas para câmera e deu tudo certo. Meu muito obrigado a toda equipe por ter me recebido tão bem."

Fez reverência ao público:

(Agradeço) A audiência do domingo também. Obrigado por todo carinho, vocês foram muito legais comigo, desde o começo."

E como não poderia deixar de ser agradeceu a Faustão, por quem nunca escondeu uma profunda admiração.

E o meu beijo final a você, Faustão. Obrigado. Faustão é meu amigo, me acompanha desde os meus 16 anos de idade, desde que segurei profissionalmente um microfone no 'Desafio ao Galo', programa que ele trabalhou de futebol de várzea, ele me acompanha e me incentiva. E eu só consegui estar aqui, porque era o Fausto, porque eu sei que estou com ele e ele está aqui comigo o tempo inteiro. Então, muito obrigada pela oportunidade."

Portanto, o choro de Leifert vem como uma espécie de catarse. A responsabilidade era grande e o apresentador não decepcionou. Pelo contrário, ele termina o trabalho com uma repercussão extremamente positiva como interino - além de ter ficado com a moral ainda mais elevada dentro da emissora. Pode chorar, Leifert! O dever está cumprido e a alma lavada!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL