PUBLICIDADE
Topo

Chico Barney

Quando teremos Zeca Pagodinho no palco principal do Rock in Rio?

Chico Barney

Entusiasta e divulgador da cultura muito popular. Escreve sobre os intrigantes fenômenos da TV e da internet desde 2002

Colunista do UOL

19/08/2021 22h05

O pagode nunca precisou ser laureado por grandes marcas para ser um dos estilos mais queridos do Brasil. Mas pensando no que se tornou o Rock in Rio, é estranha a ausência de baluartes no gênero.

Artistas que acrescentaram poucas novidades marcantes ao repertório nas últimas décadas retornam sempre para desfilar seus hits imortais, como Iron Maiden, Megadeth ou Ivete Sangalo. E isso é ótimo.

Mas desde que o festival abriu espaço para o pop, com direito a confirmações importantes como Justin Bieber, Demi Lovato e Iza, não faz sentido deixar de lado alguns nomes que fazem parte da vida brasileira com o recorrente lançamento de canções novas.

O samba é um dos pilares da nossa identidade nacional. Um palco que se chama "mundo" não deveria abrir mão de artistas como Belo, que há mais de duas décadas está sempre com músicas novas entre as mais tocadas.

Sem contar uma figura maior que a vida como o já folclórico e fundamental Zeca Pagodinho, talvez a principal referência no assunto para o público em geral, que merece um evento redentor para coroar uma carreira tão bonita.

E ainda temos Thiaguinho e a pós-modernidade, Teresa Cristina com seus standards, Sorriso Maroto, Ferrugem, Rodriguinho e tantos outros.

Pop por aqui, acima de tudo, sempre foi o pagode. Enquanto fechar os olhos para essa realidade, o Rock in Rio será um espetáculo incompleto. Nós merecemos mais!

Voltamos a qualquer momento com novas informações.