PUBLICIDADE
Topo

Andreza Delgado

5 séries para maratonar antes do ano acabar

Michaela Coel em cena de "I May Destroy You", série da HBO
Michaela Coel em cena de "I May Destroy You", série da HBO
Divulgação
Andreza Delgado

Andreza Delgado, baiana da terra do cacau, é uma das criadoras da Perifacon, a Comic Con da favela. Tem um canal no YouTube para resenhar séries, HQ's, filmes e livros e o game perifa, mas quando dá tempo tuíta pelos cotovelos.

Colunista do UOL

23/12/2020 17h20

Senhoras e senhores, o ano de 2020, ou como gosto de chamar, o ano que passou por cima de mim, está chegando ao fim. Mas antes de acabar, quero muito convencer você leitor a maratonar algumas séries!

E para lista de convencimento vou começar com a série que me arrebatou o coração com tamanha ousadia! E que já falei algumas vezes dela, nessa coluna!

Se você não deu uma oportunidade para "LoveCraft Country" ainda dá tempo de ver o ousado trabalho da Showrunner Misha Green.

Continua depois da publicidade

De tirar o folego e "pirar" o cabeção, a roteirista Misha juntou vários clássicos da ficção para discutir a questão racial nos anos 50, nos Estados Unidos segregado.

Terror "lovecraftiano", investigação, romance, aventura, "LoveCraft Country" com certeza vai passar a limpa no Emmy de 2021.

Falando em Emmy, "I May Destroy You", é uma forte candidata.

Estrelada e dirigida por Michaela Coel, a série não tinha como passar despercebida. O tocante drama pessoal de Michaela, que viveu a situação que a série aborda, surpreendeu com tamanha sensibilidade para contar sobre um abuso sexual.

É, leitor, que eu amo animação não é nenhuma novidade, mas a série "Midinight Gospel" me surpreendeu com tamanhas possibilidades de interpretação e o quase experimento de poder viajar num jeito novo de consumir uma série.

Continua depois da publicidade

A animação se passa em vários planetas e acompanha entrevistas reais de Duncan Trussell,que tem um podcast, no caso na série o "EspaçoCast". Não vou me atrever a tentar explicar muito porque não dá. Muitas das vezes o que se conversa no podcast se distancia do que a animação está mostrando.

Mas os debates levantados pelo protagonista Clancy, apresentador do podcast na animação, apresenta debates importantíssimos sobre a morte por exemplo, de um jeito que eu sempre quis ouvir.

Dê uma oportunidade para animação da Netflix, você não vai se arrepender.

Se você não começou a assistir à série brasileira, "As Fives", derivada de Malhação, nunca é tarde para se deixar levar pelos dramas de adolescentes que estão virando adultas.

"As Fives" é leve enquanto consegue tocar em assuntos sérios como drogas e sexo de um jeito mais profundo.

Aliás... Eu acho a série bastante ousada, acompanhando as 5 protagonistas, e claro né Brasil, não é todo dia que temos uma Dira Paes interpretando uma mulher que se relaciona com outras mulheres, e ainda entregando cenas icônicas de beijo lésbico.

Continua depois da publicidade

E se você quer passar mal de rir eu tenho uma dica para você. Estrelada por um elenco não muito conhecido, a série da Amazon Prime "Superstore" ou traduzida "Super Loja" é a maior indicação que posso te dar em 2020.

A sitcom acontece numa rede de loja de departamento comum, onde acompanhamos a funcionária Amy (America Ferrera). Estamos em um lugar gigante que vende de armas até fralda de bebê e assistimos a hilárias situações de críticas ao regime de trabalho a clientes sem o mínimo de noção.

É realmente um ano bastante difícil, mas que não faltou e não vai faltar uma série para você maratonar e se debruçar em outras histórias.

E aí, leitor, esqueci de alguma série?