PUBLICIDADE
Topo

Aline Ramos

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Personalidade autocentrada é a principal arma de Juliette no BBB 21

Reprodução/ TV Globo
Imagem: Reprodução/ TV Globo
Aline Ramos

Aline Ramos é jornalista, mas tá mais pra palpiteira, por isso cria conteúdo na internet desde 2014. Você com certeza já fez algum teste dela no BuzzFeed, onde foi redatora por dois anos. É especialista em diversidade e dá consultoria para marcas em temas como raça e gênero. Mas o que ama mesmo é escrever sobre entretenimento e dar opinião sobre tudo, se bobear até sobre a sua vida.

Colunista do UOL

03/04/2021 11h24

Destaque desde o início do BBB 21, Juliette Freire logo conquistou uma impressionante legião de fãs do lado de fora da casa. Porém, a paraibana também ganhou detratores por sua postura no jogo. São muitas as críticas à advogada, mas a principal delas diz respeito ao seu comportamento autocentrado.

Apelidada de "Euliette" por sempre falar de si, Juliette virou representante de um tipo de pessoa e de comportamento que todos parecem odiar. A sister se imagina em todas as situações possíveis, está sempre fazendo conexões dos fatos com a própria vida, interrompe os amigos com frequência e parece ter dificuldade para ouvir os outros.

Falar de si ajuda a manter a própria essência

Todas essas características podem ser vistas como defeitos, mas no BBB jogam a favor de Juliette. São esses atributos que a fazem permanecer firme no jogo e se manter como uma das favoritas ao prêmio. Falar de si e da própria história é um exercício importante para ela não esquecer quem é, as suas origens e quais os seus objetivos no programa.

Dentro de um reality show de confinamento em que pessoas desconhecidas precisam viver longe de familiares e amigos e estão sob constante pressão, é comum que alguns participantes se percam. Após serem eliminados, muitos dizem que já não se reconheciam ou não eram mais eles mesmos no jogo. Nem todo mundo consegue se manter firme à própria essência dentro do BBB.

Juliette repete a própria história dentro e fora do programa como forma de reforçar por que está ali e tudo o que superou até aquele momento. Obviamente, ela não é a única que passou por dificuldades na vida, mas consegue comunicar de forma muito clara a sua trajetória e onde quer chegar.

Quando Juliette se coloca em situações que não são sobre si, ela é capaz de fazer um exercício abstrato sobre a disputa e como deve lidar em diferentes situações. É visível o esforço da sister para ser justa e, mesmo errando em algumas situações, geralmente acerta na leitura sobre o jogo e os colegas de confinamento.

Tática fez sucesso em outras edições

Essa tática de falar constantemente sobre si não é novidade no BBB. Há outros personagens marcantes na história recente do programa que utilizaram a mesma tática e foram longe.

Emilly Araújo, vencedora do BBB 17, sempre falava da mãe que morreu pouco antes dela entrar no programa e das dificuldades que passou com a família ao enfrentar três enchentes na casa onde moravam. A história da enchente virou até piada entre quem não gostava dela, mas Emilly conseguiu chegar à final mesmo vivendo um relacionamento abusivo dentro do programa.

Outro exemplo é Kaysar Dadour, que conquistou o segundo lugar no BBB 18. Extrovertido, o imigrante tinha uma história triste e um motivo nobre para ganhar o prêmio: tirar a família da Síria, que vivia uma guerra. Em momentos de dificuldade, ele sempre relembrava suas origens e onde queria chegar, mas isso também não era bem visto. Teve gente que diminuiu os conflitos na Síria, disse que ele forçava a falta de compreensão do português e exagerava no drama familiar. Kaysar não conquistou o primeiro lugar, mas hoje é uma figura recorrente nas produções da Globo.

Vitimista ou vítima?

Esse tipo de participante também é acusado de vitimismo com frequência. Porém, ao perseguir as pessoas por esse comportamento, colegas de confinamento e até o próprio público as tornam vítimas novamente. É o que tem acontecido com Juliette dentro do BBB 21. A maquiadora pode até dar motivos para que se irritem com ela, mas a reação ao que faz geralmente é desproporcional. E nesse caso, só sendo muito autocentrada para se manter firme.

Não dá para olhar o BBB da mesma forma que a vida real. Uma pessoa autocentrada ou egocêntrica pode ter problemas para a convivência aqui fora, mas é justamente isso que pode se tornar a maior força para ela vencer um reality show como o BBB. E até o momento, Juliette parece estar sendo bem-sucedida nessa missão.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL