PUBLICIDADE
Topo

EUA mudam regras de entrada para turistas por causa da variante ômicron

Times Square, em Nova York, Estados Unidos: O país impôs regras mais rígidas de testagem para turistas - Getty Images/iStockphoto
Times Square, em Nova York, Estados Unidos: O país impôs regras mais rígidas de testagem para turistas Imagem: Getty Images/iStockphoto

De Nossa

02/12/2021 17h27

O presidente Joe Biden anunciou hoje (2) um pacote de medidas para o combate à covid-19 no país diante do surgimento da variante ômicron, que teve seu primeiro caso detectado em solo americano ontem (1).

Entre elas está a adoção de um protocolo mais rígido que viajantes internacionais serão obrigados a seguir para entrar nos Estados Unidos a partir da próxima semana.

Dois pontos foram alterados em relação às regras já adotadas desde 8 de novembro, quando os EUA reabriram suas fronteiras para viajantes internacionais. Entre eles está o prazo de validade dos testes apresentados para a viagem para todos, vacinados ou não de qualquer nacionalidade.

Exames com resultados negativos para a covid-19 colhidos até 72 horas antes do embarque não serão mais aceitos; o prazo para os testes válidos será de até 24 horas antes da saída do país.

"Uma linha do tempo mais apertada oferece um grau adicional de proteção da saúde pública enquanto os cientistas continuam a avaliar a variante ômicron", alegou a Casa Branca.

Além disso, o governo americano estendeu hoje a exigência de máscaras em aviões, trens e meios de transporte públicos até 18 de março, pelo menos. As multas seguirão com valores dobrados em relação ao cobrado inicialmente por infração no uso de máscara — o mínimo é de US$ 500 (R$ 2.825,70) e o máximo é de US$ 3.000 (R$ 16.954,20) para aqueles que já infringiram a lei mais de uma vez.

Outras regras de entrada nos EUA

Todo viajante maior de 18 anos entrando no país por via aérea precisa de passaporte, visto americano, comprovantes de reservas de acomodação, passagem de volta e renda para se manter no país no período, além de certificado de vacinação completa há pelo menos duas semanas com qualquer imunizante autorizado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), como é o caso de todas as vacinas aplicadas no Brasil.

O CDC ainda exige que todos os passageiros de voos internacionais que chegarem aos EUA — em trânsito ou como destino final — incluindo cidadãos norte-americanos, apresentem um comprovante de teste de covid-19 negativo (PCR ou antígeno) agora realizado até 24 horas antes ou um atestado de recuperação da covid-19.

Aqueles que chegam ao país por via terrestre ou marítima não precisarão ser testados. Turistas entre 2 e 17 anos, se acompanhados por um adulto responsável totalmente vacinado, podem apenas apresentar o resultado de exame negativo obtido nas últimas 72 horas. Se desacompanhados, o teste deve ter sido feito nas últimas 24 horas.

Menores de 2 anos não precisam apresentar certificado de vacinação ou testes.