PUBLICIDADE
Topo

Paciência e tradição são ingredientes de caldo que reúne família japonesa

Tsuyoshi Murakami e seu filho Jun Murakami preparam o dashi, caldo-base da culinária japonesa - Keiny Andrade/UOL
Tsuyoshi Murakami e seu filho Jun Murakami preparam o dashi, caldo-base da culinária japonesa Imagem: Keiny Andrade/UOL

Gabrielli Menezes

De Nossa

01/08/2021 04h00

Alguma vez você provou uma comida japonesa, aparentemente simples, e sentiu um sabor que arrancou suspiros? Pois essa mágica tem ingredientes, modo de preparo e nome: dashi.

Este caldo, que não é como aqueles se assemelham a sopas e podem ser tomados a colheradas, é a base que conduz o sabor do prato final. E é esta tradição que o chef japonês Tsuyoshi Murakami, que comanda o restaurante Murakami, nos Jardins (São Paulo), carrega consigo. "Cresci com a minha família fazendo o preparo".

O chef explica que o dashi é o primeiro item a ser pensado na cozinha das casas e dos restaurantes nipônicos — "As famílias têm sempre um pronto guardado" — e é ao lado do filho Jun, de 19 anos, que acompanha a família na cozinha desde pequeno, que o chef mantém a receita da família.

Tsuyoshi Murakami e seu filho Jun Murakami preparam o dashi - Keiny Andrade/UOL - Keiny Andrade/UOL
Tsuyoshi Murakami e seu filho Jun Murakami preparam o dashi
Imagem: Keiny Andrade/UOL

Esta ligação, apesar de dividida entre Jun e o pai, a mãe, a avó e até os tios preparando o caldo, não foi imediata:

Eles tentaram me ensinar, mas tem muita frescura e eu queria queimar cada etapa. Mais tarde, percebi que o mais importante de tudo é a paciência, a paciência que tinha minha avó ao fazer sem nenhum compromisso..."

Jun Murakami - Keiny Andrade/UOL - Keiny Andrade/UOL
Jun Murakami
Imagem: Keiny Andrade/UOL

Agora, o Jun jovem-adulto reconhece que a explosão de umami de um caldo feito artesanalmente é inconfundível. "É difícil achar um lugar que faça com cuidado. Acabam usando os prontos [e industrializados], como hondashi. É química para caramba!".

Ele conta que, mesmo no Japão, elaborar o processo do zero é raridade nos centros urbanos. "Sinto que essa tradição está acabando, mas ainda existe em regiões do interior ou em comunidades mais antigas".

Ao caldo "de família"

Dizem que é mais fácil fazer uma refeição japonesa inteira sem shoyu do que sem dashi. Misturado a outros líquidos, ele é usado em sopas, como o missoshiru, molhos, caldos para massas (soba e somen, por exemplo) e cozidos. Pode entrar até mesmo no arroz para dar um gostinho a mais.

Como uma boa receita que foi passada de gerações em gerações, foi ganhando peculiaridades a cada casa. Murakami faz uma comparação com o que acontece com o molho de tomate: "Faz parte da cultura. Cada um tem uma mão, dá seu toque como preferir, usa tipos diferentes de tomates...".

O passo a passo que segue com a família e com os clientes foi herdado da mãe:

O dashi é a base do que é o Murakami".

O máximo de cada ingrediente

Receita de Dashi - Keiny Andrade/UOL - Keiny Andrade/UOL
Ingredientes são mergulhados na água, um a um
Imagem: Keiny Andrade/UOL

Assim como um bom e saboroso caldo de legumes faz toda a diferença em um risoto, o dashi tem como princípio obter o máximo sabor de cada ingrediente que compõem o preparo.

A água quente, mais precisamente a 60 graus, é quem faz esse trabalho. Na receita de Murakami, o primeiro item a mergulhar na panela é a kombu, uma alga marinha desidratada.

Após ficar 40 minutos em contato com o líquido — que nunca pode ferver para manter a transparências —, ela sai de cena para dar lugar ao cogumelo shiitake, que também deve ser seco.

Jun Murakami prepara o dashi - Keiny Andrade/UOL - Keiny Andrade/UOL
Jun Murakami prepara o dashi
Imagem: Keiny Andrade/UOL

Passam-se mais 40 minutos e, por fim, o katsuobushi, peixe bonito desidratado, entra na água já enriquecida com os sabores da alga e do cogumelo.

O cozinheiro usa uma versão de kombu importada de Hokkaido, região no Japão conhecida pelos vulcões e fontes de águas termais, diretamente para o estabelecimento. Por aqui, lojas especializadas em produtos orientais costumam oferecer os três ingredientes.

Para ir além

Receita Dashi - Keiny Andrade/UOL - Keiny Andrade/UOL
Missoshiro: feito à base de dashi
Imagem: Keiny Andrade/UOL

Se quiser colocar o dashi em prática, aproveite para preparar o missoshiro, a sopa consumida por japoneses no café da manhã ou como entrada no almoço e no jantar.

Ingredientes

  • 200 mililitros de dashi
  • 15 gramas de missô
  • 15 mililitros saquê seco
  • Cebolinha a gosto

Modo de preparo

Esquentar o dashi e misturar o miso e o saquê. Coloque cebolinha para finalizar e sirva numa tigela.