PUBLICIDADE
Topo

Companhias aéreas de todo o mundo cancelam voos para Israel após conflitos

Pessoas inspecionam as ruínas de um prédio demolido depois que aviões de guerra israelenses realizaram ataques aéreos na Cidade de Gaza, Gaza em 12 de maio de 2021 - Getty Images
Pessoas inspecionam as ruínas de um prédio demolido depois que aviões de guerra israelenses realizaram ataques aéreos na Cidade de Gaza, Gaza em 12 de maio de 2021 Imagem: Getty Images

De Nossa

13/05/2021 10h14

À medida que os confrontos entre militares do país e militantes palestinos em Gaza se intensificam, companhias aéreas globais estão cancelando voos para Israel.

Entre as empresas que cancelaram as viagens estão a Delta Air Lines, American Airlines, United Airlines, Lufthansa e British Airways. Segundo os porta-vozes das empresas, os ataques aéreos israelenses e foguetes palestinos não oferecem segurança para que os aviões pousem em Tel Aviv.

"Como outras companhias aéreas, cancelamos nosso voo de e para Tel Aviv. A segurança de nossos colegas e clientes é sempre nossa prioridade e continuamos a monitorar a situação de perto", disse em British Airways comunicado.

Enquanto a United, Delta e American Airlines estão oferecendo isenções de viagem para passageiros, permitindo novas reservas para diferentes voos, a Lufthansa espera retomar os voos no sábado.

"A Lufthansa está monitorando de perto a situação atual em Israel e continua mantendo um intercâmbio próximo com as autoridades, provedores de serviços de segurança e nossa própria equipe no terreno", disse a companhia aérea em comunicado à imprensa.

O conflito

Palestinos deixam seu bairro para ir para um local mais seguro depois que ataques aéreos israelenses atingirem Gaza em 13 de maio de 2021. - Getty Images - Getty Images
Palestinos deixam seu bairro para ir para um local mais seguro depois que ataques aéreos israelenses atingirem Gaza em 13 de maio de 2021.
Imagem: Getty Images

A tensão entre palestinos e Israel explodiu no dia 7 de maio quando, durante um protesto pacífico contra o despejo de famílias de Sheikh Jarrad, um confronto entre policiais e muçulmanos deixou centenas de feridos.

Desde então, a violência continuou a aumentar. As famílias que seriam despejadas moram há décadas no local, que fica em Jerusalém Oriental, área que os palestinos desejam como a capital de seu futuro Estado.

No entanto, Israel não reconhece a divisão e tem uma política constante de assentamentos em territórios palestinos.

Como resposta às ações policiais, o Hamas e a Jihad Islâmica começaram a lançar foguetes contra o território israelense. Por sua vez, as Forças Armadas iniciaram uma campanha militar contra alvos que pertencem aos grupos.

*Com informações da ANSA.