PUBLICIDADE
Topo

Ranking revela drinques mais populares - e coquetel brasileiro despenca

Saiba quais os drinques que dominaram as taças e copos em 2020 - Getty Images
Saiba quais os drinques que dominaram as taças e copos em 2020
Imagem: Getty Images

Felipe van Deursen

Colaboração para Nossa

29/01/2021 04h00

Todo ano, a editora William Reed, que publica a "Drinks International", revista especializada na indústria de bebidas alcoólicas, organiza a mais badalada lista de melhores bares do mundo, a "World's 50 Best Bars" - que, apesar do nome, apresenta 100 casas, não 50.

Além disso, a editora divulga, anualmente, um ranking com os coquetéis clássicos mais pedidos em uma seleção de bares escolhidos ao redor do globo. A lista indica tendências para os próximos anos e confirma a popularidade em ascensão de alguns drinques, como é o caso do Aperol spritz. Mas ela não quer dizer, necessariamente, quais são os coquetéis mais populares do planeta.

"Ela não reflete hábitos de consumo global de maneira democrática, mas aponta para uma possibilidade de mudanças no que será pedido nos próximos anos", diz Marco De la Roche, dono da Drink.Lab, agência de consultoria nesse mercado, e um dos brasileiros presentes no júri do "World's 50 Best Bars".

Aperol Spritz - Unsplash - Unsplash
Aperol Spritz
Imagem: Unsplash

Além disso, o ranking dos coquetéis é feito por uma editora inglesa, que dá relativamente pouco espaço aos Estados Unidos, "o país que era e continua sendo o maior consumidor de coquetéis do mundo", lembra Paulo Avelino Jacovos, professor do curso de formação de bartenders da Associação Brasileira de Bartenders (ABB).

Na última lista dos melhores bares do mundo, por exemplo, 12 ficam nos EUA e 31 estão na Europa (só em Londres são 12). Já o Brasil é representado pelo paulistano SubAstor, em 68º lugar.

Em todo caso, o ranking dos clássicos mais pedidos e o histórico de anos anteriores trazem dados interessantes.

Gim tônica não está na lista

Gim tônica - Getty Images - Getty Images
Gim tônica
Imagem: Getty Images

É que ela só considera os coquetéis oficiais da Associação Internacional dos Bartenders (IBA, na sigla em inglês). Curiosamente, a mistura de gim com água tônica, apesar de tradicional e muito popular atualmente, não está nos livros da IBA.

"Me estranha muito essa ausência", diz Jacovos, que lembra que o G&T atende critérios essenciais, como ser um clássico consumido em vários países. A simplicidade da receita não é argumento para não incluí-lo, reforça o professor, já que até cuba libre (rum com refrigerante de cola e limão) é um coquetel oficial da IBA.

Caipirinha em queda

Caipirinha perder posições na lista de drinques mais populares do mundo - Getty Images - Getty Images
Caipirinha perder posições na lista de drinques mais populares do mundo
Imagem: Getty Images

Se você tem convicção que o Brasil já viveu tempos melhores, saiba que a caipirinha ficou em um humilde 41º na lista da "Drinks International" em 2020. Em 2011 e 2012, ela esteve entre os dez mais do mundo.

Para Jacovos, um dos problemas está na alta diversificação de ingredientes usados no coquetel nacional. São tantos tipos de frutas no Brasil e no mundo que se perdeu o foco na tradicional, em que só entram limão, açúcar e cachaça, o que seria essencial para quantificar sua popularidade.

Outro problema é o preço da cachaça, que a torna "proibitiva e elitizada demais em muitas cartas", segundo Jacovos, que é também vice-presidente da ABB. "Uma vez na Alemanha cheguei a encontrar uma caipirinha a 16 euros", o equivalente, hoje, a R$ 106.

De la Roche diz que viveu intensamente essa época. "Fui embaixador global da cachaça Leblon. Além dos clientes desejarem conhecer a cachaça, irmã do rum, e a caipirinha, prima do mojito, houve um grande investimento no exterior por parte de algumas marcas nacionais." Mas, de lá para cá, segundo ele, o mercado perdeu força e os "olhos seguem firmes no gim".

Jacovos não poupa críticas à instituição, que chegou a derrubar a caipirinha sem qualquer critério aparente.

Há cerca de cinco anos a caipirinha foi retirada da lista, depois de estar nela desde 1994. Conseguimos retorná-la mostrando sua popularidade no Brasil e a facilidade de ser feita em qualquer lugar do mundo."

Agora sim, sem lenga-lenga, a lista dos dez coquetéis clássicos mais populares em 2020:

10. Mojito

O clássico cubano não está tão em alta como em outros tempos (foi o mais popular do mundo em 2011), mas mantém seu lugar na lista. Em 25% dos bares consultados, ele está entre os dez mais pedidos.

9. Aperol Spritz

O drinque italiano típico de fins de tarde segue em alta, como na última década. Quase 30% dos bares da lista o colocaram entre os dez mais comuns.

8. Manhattan

Ícone feito comumente com uísque de centeio (rye), ficou entre os dez mais pedidos em 36% dos bares consultados e entre os três mais em mais de 10%.

7. Whiskey Sour

Outro drinque à base de uísque americano, caiu duas posições em relação ao ano passado, mas segue firme entre os mais pedidos. Ficou entre os dez mais em 40% dos bares da lista.

6. Expresso Martini

Em meio a alguns coquetéis centenários, ou quase, este é um jovem que nasceu, provavelmente, no fim dos anos 1980, quando uma mulher, em Londres, teria pedido ao barman por algo que a acordasse e a derrubasse ao mesmo tempo. Foi o drinque mais pedido em 5% dos bares da lista em 2020. Para Jacovos, da ABB, isso não reflete a realidade, pois se trata de um drinque regional, europeu demais.

5. Margarita

O clássico tequileiro está em ascensão, subiu duas posições em relação a 2019. No ano passado, ficou entre os cinco drinques mais pedidos em 17% dos bares consultados.

4. Dry Martini

Ícone entre ícones, quase metade dos 100 bares que compõem o ranking o figuram entre os dez coquetéis mais pedidos no ano que passou.

3. Daiquiri

Apenas 3% das casas da lista disseram que é seu drinque mais vendido, mas em quase um terço delas o daiquiri foi o vice, o suficiente para colocar este outro clássico cubano no pódio.

2. Negroni

Pela sétima vez seguida, é o segundo drinque mais popular do mundo. Desde 2014 essa forte mistura italiana de gim, vermute e Campari está em alta. Em 22% dos bares consultados, o negroni foi o mais pedido em 2020.

1. Old Fashioned

Se nada tira o negroni do segundo lugar, o Old Fashioned também segue na mesma. Desde 2014, é o drinque clássico mais popular do mundo, segundo a "Drinks International". Mas, segundo o ranking, o domínio dá sinais de desgaste. Se em 2019 35% dos bares o colocaram no topo dos mais vendidos, em 2020 a taxa caiu para 23%.

Os mais pedidos no Brasil

Na falta de um ranking nacional do tipo, os especialistas Marco De la Roche e Paulo Avelino Jacovos comentam como seria uma lista brasileira de drinques clássicos mais populares.

"Nós temos a predominância tropical, calor. Sem dúvida Espresso Martini, assim como Old Fashioned e Whiskey Sour, não estariam nessa lista. Me atreveria a dizer que gim tônica, Moscow Mule e Caipirinha estariam no lugar", opina De la Roche.

Moscow Mule  - Leo Feltran - Leo Feltran
Moscow Mule
Imagem: Leo Feltran

Jacovos acredita que as caipirinhas (no plural mesmo, por considerar a oficial e as variações) estão no topo. Na sequência viriam Negroni, Dry Martíni, Margarita, Gim Tônica, Mojito, Aperol Spritz e Moscow Mule, "feito de forma errada, uma versão bastante abrasileirada", com mousse de gengibre no lugar da cerveja de gengibre. Old fashioned e Tequila Sunrise completariam a lista.