PUBLICIDADE
Topo

O que vamos vestir em 2021? Tendências migram da passarela para a vida real

Misturando o presencial e digital, Semana de Moda Masculina de Milão mostrou algumas das tendências que dominarão o outono/inverno - Divulgação/MSGM
Misturando o presencial e digital, Semana de Moda Masculina de Milão mostrou algumas das tendências que dominarão o outono/inverno
Imagem: Divulgação/MSGM

Gustavo Frank

De Nossa

23/01/2021 04h00

Uma das mais importantes para os homens, a Semana de Moda de Milão, na Itália, mostrou quais serão as tendências que vão dominar o outono/inverno para 2021. Com apenas cinco desfiles físicos, sendo os 32 demais virtuais, um dos principais debates do evento, que aconteceu entre os dias 15 e 19 de janeiro, foi: o que esperar do inesperado?

Embora a pandemia tenha se transformado em um tempo para reformulações, incluindo a fusão entre moda e cinema, agora, com a virada do ano e novas esperanças para o fim desses tempos sombrios, a moda caminha em direção ao tal futuro sobre o qual tanto se especulou em 2020.

O conforto (felizmente) não foi deixado de lado pelas marcas. As cores ganharam ainda mais força — ao mesmo tempo que os tons neutros se mostraram atemporais. E os tecidos diferenciados e estampas mostraram que nunca vão sair de moda, mas vão além: reconstruir o romantismo perdido em consequência do coronavírus.

Nossa separou algumas das peças que se destacaram na Semana Masculina de Moda de Milão para responder a pergunta: o que vamos vestir neste ano?

Puffer e volumes

Embora ainda faltem alguns meses para que voltemos a passar frio aqui no Brasil, uma peça que vai aparecer, e muito, nas ruas serão as jaquetas puffers. Enquanto algumas celebridades já mostravam a sua presença no inverno do hemisfério norte, as marcas consolidaram sua força como uma certeza.

A Fendi foi uma delas, desde as versões mais clássicas até os sobretudos. Todas elas com cores que saltavam aos olhos.

Não muito diferente, assim também fez a Prada, que teve sua estreia com a codireção de Raf Simons, com outros materiais para reproduzir o volume; enquanto a MSGM investiu nelas com tonalidades mais neutras, como o azul mais claro.

Prada - Divulgação - Divulgação
Prada
Imagem: Divulgação
MSGM - Divulgação - Divulgação
MSGM
Imagem: Divulgação

Tonalidades neutras e suaves

Fendi - Divulgação - Divulgação
Fendi
Imagem: Divulgação

Mesmo que as cores mais vibrantes tenham aparecido pontualmente, foram os tons mais neutros e sutis que dominaram, de fato, as passarelas e vídeos.

Com predominância do rosa e do azul, o "pastel", que marca a estética cottagecore, deve ser uma grande tendência no guarda-roupa masculino para 2021.

Etro - Divulgação - Divulgação
Etro
Imagem: Divulgação
Prada - Divulgação - Divulgação
Prada
Imagem: Divulgação

Quem também deu as caras foi o bege. Com alguns looks dos pés à cabeça com essa cor, o nude vai dominar: desde as alfaiatarias até os looks mais casuais.

Blazer extravaganza

Etro - Divulgação - Divulgação
Etro
Imagem: Divulgação

A alfaiataria inserida no street style é uma das maiores vitórias da moda. Assim como as calças, que também se destacaram na Semana de Moda e nos últimos anos por seu uso cotidiano, os blazers em Milão ganharam seu espaço.

As versões mais extravagantes, como da Etro, provaram que a peça, normalmente usada para eventos mais sociais, podem dar aquele up em looks para compromissos mais casuais.

Etro - Divulgação - Divulgação
Etro
Imagem: Divulgação

Outras marcas, como a Tokyo James, Prada, Fendi e Ermenegildo Zegna também apresentaram estampas ou cortes diferentes para que a peça fosse introduzida e combinada com o restante do visual.