PUBLICIDADE
Topo

Pantufas se renovam, ganham toques de luxo e viram item-desejo na pandemia

Slippers na Seoul Fashion Week 2021 - Getty Images
Slippers na Seoul Fashion Week 2021 Imagem: Getty Images

Aline Fava

Colaboração para Nossa

06/01/2021 04h00

Os looks de "ficar em casa" já estavam entre as apostas de grandes marcas como Zara e Uniqlo e eram apresentados como tendência forte por especialistas em moda e comportamento. O que ninguém esperava, no entanto, era uma pandemia que deixaria grande parte da população mundial confinada em suas casas durante meses em 2020.

Acelerada pela crise do coronavírus, a tendência das roupas para ficar em casa acabou transformando itens práticos e confortáveis em objetos de desejo do consumidor, como é o caso dos calçados slippers, ou, em português, a boa e velha pantufa.

Em entrevista a Nossa, Daniela Penteado, especialista de tendências na WGSN, líder global de tendências em consumo e design, explicou que essa renovação que rolou com as pantufas faz parte do conceito de peças para usar dentro e fora de casa:

Isso vem muito forte com os slippers, da gente utilizar tanto dentro de casa, como item superconfortável e aconchegante, como também fora dela, com peças de design cada vez mais desejado pelo consumidor".

Conforto com estilo

As mudanças que o período de quarentena trouxe para o estilo de vida das pessoas prometem ser duradouras, mesmo quando ele acabar:

"O conforto se tornou algo inegociável. Ele tem que existir e vai estar cada vez mais presente na moda.

O fato de estar confortável não significa necessariamente estar desleixado, digamos assim. Ele vai estar combinado com estilo, com uma sofisticação e com uma elegância", diz Daniela.

Para muitos, o ato de se vestir com roupas bonitas e peças de design foi uma forma de escapismo para enfrentar o isolamento social e os dias trabalhando em casa.

Essa tendência foi chamada de #stayhomestyle pela WGSN e Daniela traduz como isso funciona para os slippers: "É legal a gente pensar nesses modelos com texturas exageradas e cores mais chamativas. Vimos a importância dessas cores vibrantes e exuberantes como um componente emocional para trazer otimismo e alegria para o consumidor"

Slipper de luxo

Com detalhes de brilho, a grife de sapatos de luxo Roger Vivier criou uma pantufa que conversa perfeitamente com seus glamourosos acessórios e é vendida por 990 euros (aproximadamente R$ 6.215) em alguns e-commerces.

A Balenciaga lançou modelos atoalhados em sua coleção de Primavera/Verão 2021, apresentada em setembro.

"Como faz parte da coleção de verão, a marca apostou no tecido atoalhado porque fica mais confortável para temperaturas mais quentes, que acabam pedindo texturas menos exageradas", diz Daniela.

Já a UGG, marca conhecida por seus calçados confortáveis, mas que não são exatamente sinônimo de desejo fashion no quesito design, apostou em uma parceria com a estilista britânica Molly Goddard, conhecida por seus vestidos coloridos de silhueta maximalista.

Foco no bem-estar

Entre os slippers mais desejados, estão as opções da Sleeper, marca que trabalha exclusivamente com homewear.

Criada em 2014, em Kiev, na Ucrânia, pelas editoras de moda Kate Zubarieva e Asya Varetsa, a grife caiu nas graças das fashionistas com seus pijamas ultra instagramáveis. Seus modelos conversam com a tendência dos calçados com volume soft, que estão em alta.


Daniela destaca também a questão do bem-estar nas marcas de moda:

"É algo que se tornou até uma prioridade de design para quem compra. Marcas que estão pensando nesses produtos e nessa comunicação explodiram em 2020 e vão continuar com forte posicionamento para 2021", conclui.