PUBLICIDADE
Topo

SPFW 25 anos: João Pimenta leva a máscara e sobreposições ao extremo

Colaboração para Nossa

06/11/2020 21h50

Uma vez que a população caminha com máscara social pelas ruas, a marca João Pimenta fez o mesmo com seus modelos-manequins da apresentação que aconteceu nesta sexta-feira (6), terceiro dia da edição de 25 anos do São Paulo Fashion Week. Porém, para representar um ano tumultuoso, a etiqueta levou o acessório ao extremo.

Sob o tema "O ano em que paramos de respirar", João Pimenta quis colocar em seu lançamento o choque, a angústia e o medo que muita gente sentiu com a chegada da pandemia de covid-19 ao mostrar modelos encapuzados, com máscaras completamente fechados. Isso sem falar que a marca recupera máscaras e luvas, itens de proteção de segurança individual, como elementos de moda.

"Tentei transmitir nessas peças de roupa todo o sentimento que tive durante o isolamento. Essa claustrofobia que a gente está vivendo, em todos os sentidos", falou o estilista em conversa após a apresentação. "Não quis mostrar a pessoa que estava usando a roupa. Quis neutralizá-lo para que todo mundo pudesse se ver naquelas produções".

Como uma armadura para proteger da ameaça externa, sobreposições em tecidos alfaiatados, algodões, lãs vêm em silhuetas retas e rígidas. Estes elementos são contrastados com rendas, crochês, tricôs, babados, balonês e mangas bufantes. Em acabamentos que vão desde o fosco, empoeirado, até o metalizado, complementando a paleta de cores que inclui o azul acinzentado, o rosê e tonalidades terrosas.