PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus: como evitar a infecção por objetos trazidos de uma viagem?

Getty Images/iStockphoto
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Gustavo Frank

De Nossa

17/03/2020 04h00

Com os crescentes casos de covid-19, o coronavírus, é importante estar atento aos objetos transportados durante a realização de uma viagem e, posteriormente, levados para a casa após o respectivo retorno.

Para isso, são necessárias algumas medidas, além das que envolvem os cuidados na hora de pegar um avião. Rômulo Leão, virologista pela UFRJ e pesquisador temporário na Universidade da Califórnia, soluciona possíveis dúvidas:

Preciso desinfetar objetos trazidos na mala?

De acordo com Rômulo, os materiais que foram trazidos de viagens não precisam ser necessariamente desinfetados. Isso porque a chance da bagagem despachada vir contaminada é muito baixa, principalmente levando em conta que os aviões atualmente usam filtros HEPA, os mesmos de laboratórios, que filtram o ar do veículo.

"Um grupo de pesquisadores norte-americano estudou quanto tempo o coronavírus sobrevive fora do corpo humano. Foram testadas quatro superfícies: cobre, papelão, aço e plástico. O resultado mostrou que, em até 48 horas, ainda era possível encontrar o vírus no plástico. Nos outros três casos, eles sobrevivem até 24 horas. É preciso levar em conta ainda que, nas primeiras 7 horas, 50% do vírus é eliminado. O maior problema mesmo são os objetos constantemente manipulados na viagem".

Ainda assim, alguns objetos merecem atenção redobrada

Objetos de trabalho - Getty Images/iStockphoto - Getty Images/iStockphoto
Tudo o que costuma ser levado ao rosto com frequência deve ser higienizado
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Se o seu desejo, de qualquer forma, é garantir a segurança, o primeiro passo é lavar a mala com água e sabão — ou apenas água quente. Antes disso, atenção especial para objetos facilmente tocados no dia a dia, como documentos, celular, óculos, entre outros.

"É preciso ter atenção especial com esses objetos, pois normalmente são acessórios que constantemente tocamos ao longo da viagem. Assim que chegar em casa, é possível desinfetá-los com o uso do álcool 70%, que tem efeito bactericida", reforça o virologista, destacando a necessidade de limpeza dos aparelhos eletrônicos, como o celular.

Bebidas e comidas podem ser consumidas normalmente?

Alimentos que forem trazidos de viagens podem ser consumidos normalmente, desde que estejam embalados. Quando abertos, recomenda-se estar com as mãos higienizadas.

"Se eles forem adquiridos dentro do avião, não é preciso se preocupar, pois a maioria das companhias internacionais já estão adotando protocolos para minimizar os ricos de contaminação".

Como lavar as roupas usadas durante a viagem?

Cesto de roupas - Getty Images/iStockphoto - Getty Images/iStockphoto
De acordo com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças, nos EUA, não há problemas na hora de misturar as roupas para lavar
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Embora não exista um protocolo estabelecido pelo Ministério da Saúde, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças, nos EUA, sugere que não há problemas na mistura de roupas de pessoas infectadas ou não na hora da lavagem.

"Pode lavar sem nenhum tipo de separação ou protocolo especial", orienta. "A lavagem é a base de sabão, que comprovou ser o produto mais eficaz até agora para destruir o vírus. A única recomendação é que na hora de lavar materiais que sejam, de fato, de pessoas infectadas, usar luvas durante a prática manual ou na hora de colocar na máquina".

Esqueci um objeto de valor ou comprei fora: o que fazer após a chegada?

Quando começou o surto, muita gente tinha a preocupação sobre as compras da China, ou de outros lugares, mas, de acordo com o virologista, não há indícios de que compras do exterior possam ser um problema.

"Como já falamos antes, o vírus dura até, no máximo, 48 horas na superfície. Levando isso em conta, a maioria dos serviços de entrega, principalmente internacionais, levam mais tempo do que isso. É muito improvável que propague a contaminação".