PUBLICIDADE
Topo

Futebol

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Mauro: Mano, que é quem mais reclama de arbitragem, foi destronado por Abel

Do UOL, em São Paulo

13/04/2021 04h00

O Palmeiras foi derrotado pelo Flamengo na decisão por pênaltis na Supercopa do Brasil após uma atuação que foi elogiada, com a equipe comandada por Abel Ferreira mostrando a capacidade de jogar de diferentes maneiras dentro de uma mesma partida, mas o nervosismo do técnico português à beira do gramado também foi destaque, com mais uma expulsão e as reclamações pelas decisões da equipe de arbitragem.

No podcast Posse de Bola #116, Mauro Cezar Pereira afirma que a nota negativa do Palmeiras em Brasília foi o comportamento de seu treinador e que não houve erros de arbitragem que justificassem as reclamações contra Leandro Vuaden e sua equipe na partida.

"A nota que eu acho negativa é o comportamento do treinador na beira do campo. O Mano Menezes que eu acho que é o técnico que mais reclama de arbitragem entre os técnicos brasileiros na atualidade, ele foi destronado ontem pelo Abel Ferreira, porque ele reclamava de tudo. E vamos combinar, gente, a arbitragem não cometeu nenhum grave erro", diz Mauro Cezar.

"Nos bastidores, tinha gente do Flamengo reclamando da escalação do Vuaden antes do jogo também que não se provou, a falta foi fora da área, se o árbitro quisesse prejudicar o Palmeiras, não teria dado o pênalti no Rodrigo Caio, faria vista grossa, e marcou na hora o pênalti, não foi o VAR que marcou, foi o Vuaden que marcou e marcou bem, marcou na hora. O Palmeiras bateu muito no começo do jogo, com 10 minutos eram seis faltas do Palmeiras e dois cartões amarelos, parava o jogo na pancada toda hora. Se ele quisesse ser rigoroso, o Wesley poderia ter sido expulso e ele administrou, como tem que ser", completa.

O jornalista afirma que a atuação do árbitro gaúcho foi boa e não comprometeu o andamento da partida e que o palmeirense deve ficar satisfeito com a forma como seu time se portou dentro de campo, mesmo que o resultado não tenha sido a conquista do título diante do Flamengo.

"Vuaden fez uma atuação correta, não foi a arbitragem que interferiu, vamos respeitar o futebol e curtir uma boa partida. O torcedor do Palmeiras tem motivos para ficar feliz com o que ele viu ontem, não com o resultado, óbvio que não, mas com o time. Pensa 'cara, meu time pode jogar de outra maneira'. O Palmeiras jogou o Flamengo para o campo dele, gente, e o Flamengo ficou no campo dele, e o Palmeiras foi para cima. Não foi o Flamengo que optou, o Ceni que recuou, não, não foi só o Ceni que recuou, foi o Palmeiras que empurrou o Flamengo para o campo dele", diz Mauro.

"Por isso o jogo foi bom, os dois times quiseram jogar. É tão difícil entender isso? É tão complicado entender que o futebol com bons jogadores em campo pode nos proporcionar espetáculos muito melhores do que dois times covardes, às vezes, com bons jogadores dando bicuda para lá e para cá, para fazer ligação direta? E ontem [domingo], uma coisa curiosa até, coisas do futebol, os melhores em campo para mim, Filipe Luís e o Danilo, os dois perderam pênaltis, os dois que jogaram tão bem", conclui.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas e sextas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter).

A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts. Você pode ouvir, por exemplo, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts, Amazon Music e Youtube --neste último, também em vídeo. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Futebol