PUBLICIDADE
Topo

Podcast

UOL Flamengo

O podcast para a nação rubro-negra


ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

UOL Flamengo #3: 'Polêmica de Gabigol tem desfecho meio torto', diz Burlá

Do UOL, em São Paulo

16/03/2021 16h00

Flagrado em um cassino clandestino em São Paulo em meio à pandemia, Gabigol se tornou alvo de mais uma polêmica. O Flamengo, porém, não deixou claro se vai punir o atacante ou se "passará o pano" em mais um episódio controverso na carreira do jogador.

No podcast UOL Flamengo#3 (ouça na íntegra no episódio acima), o apresentador Pedro Lopes, o colunista Bruno Andrade e o setorista Leo Burlá comentam a reação do clube ao polêmico episódio envolvendo o atacante, flagrado em um cassino clandestino em São Paulo em meio à pandemia.

"Causou desconforto, evidentemente, mas existe um movimento de 'vamos botar uma pedra nessa história'. A ordem é não tocar essa bola adiante e deixar o assunto morrer por si só. Mas a partir do momento em que não há uma cláusula que preveja uma punição, então o contrato tem um erro de redação. É óbvio que o Gabigol causou um dano de imagem ao Flamengo. É uma história com desfecho meio torto", criticou Burlá.

Andrade relembrou o caso da demissão do fotógrafo Matheus Grangeiro, demitido no ano passado após publicar uma foto nas redes sociais do clube de alguns jogadores do Flamengo sem máscara dentro de um avião.

"A corda sempre rompe do lado mais fraco. Desde o início não me surpreende a postura do Flamengo. Isso passa da esfera esportiva e entra no campo policial. A gente sabe que a instituição Flamengo é administrada por pessoas que olham a pandemia de uma outra forma", concluiu.

Ouça o podcast UOL Flamengo e saiba também como anda o mercado da bola do clube: quem pode sair ou chegar?

Os podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts e em todas as plataformas de distribuição de áudio. Você pode ouvir UOL Flamengo, por exemplo, no Spotify, Apple Podcasts, Amazon Music e YouTube.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL