PUBLICIDADE
Topo

Podcast

UOL Flamengo

O podcast para a nação rubro-negra


ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

UOL Flamengo #25: Renato Gaúcho trouxe clima de leveza ao elenco do Fla

Do UOL, em São Paulo

17/08/2021 16h20

O Flamengo vive um clima leve após a chegada de Renato Gaúcho. O lado 'boleiro' do treinador contrasta com a personalidade mais sisuda de Rogério Ceni, seu antecessor. Embora o ex-goleiro tenha sofrido com os seguidos desfalques quando comandou a equipe, o rendimento do time da Gávea melhorou com Renato. Esta evolução é um reflexo do ambiente mais calmo no vestiário.

No podcast UOL Flamengo #25 (ouça na íntegra no episódio acima), o apresentador Vanderlei Lima, e o setorista Leo Burlá conversaram sobre as mudanças no ambiente do clube com o treinador, em comparação ao trabalho de Rogério Ceni. A boa relação entre Renato e Gabigol, com brincadeiras e zoeiras, é um exemplo disso.

"O Renato transformou o dia a dia no Ninho do Urubu. Ele trouxe uma leveza muito grande para o ambiente. Isso sempre pegou muito para o Rogério e foi uma grande deficiência dele. O Ceni nunca conseguiu construir aquele dia a dia gostoso de trabalho. Isso vale não só para o jogador, mas também para o médico, fisioterapeuta, cozinheiro... é importante conseguir criar essa unidade, e o Renato está conseguindo fazer isso muito bem", analisou Burlá.

Dentro de campo, algumas mudanças também são visíveis, principalmente com relação ao setor defensivo, na visão do setorista. "O Flamengo joga um pouco mais protegido com o Renato, mais compacto, embora ache o trabalho do Rogério bom. Ele devolve o Arão para a posição dele, na cabeça da área, e dá uma proteção maior. Jogadores que vinham sendo contestados pela torcida, como Léo Pereira, Gustavo Henrique e Bruno Viana, jogando de forma mais protegida conseguem dar conta do recado", comentou.

A relação entre Renato Gaúcho e Gabigol ilustra como está o clima na Gávea. "O Renato era um Gabigol na época dele como jogador. Então ele entende perfeitamente o que passa na cabeça do cara, que é a estrela da companhia, artilheiro, manhoso, reclamão, mas competitivo para caramba. Ele já falou que o Gabigol é chato, no bom sentido", destacou.

Burlá também frisou que o técnico é mais do que um mero motivador de elenco. "Acho injusto reduzir o Renato a esse cara boleiro, que sabe ganhar o grupo. É óbvio que ele tem méritos na montagem do time. Bruno Henrique e Everton Riberio cresceram. O Arrascaeta centralizado é um escândalo jogando bola. O Bruno Henrique está voando de novo. O Flamengo está em um momento muito positivo", concluiu.

Ouça o podcast UOL Flamengo e confira também o debate sobre a importância de Filipe Luis ao time rubro-negro e se ele mereceria chances na seleção brasileira.

Os podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts e em todas as plataformas de distribuição de áudio. Você pode ouvir UOL Flamengo, por exemplo, no Spotify, Apple Podcasts, Amazon Music e YouTube.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL