PUBLICIDADE
Topo

Podcast

UOL Flamengo

O podcast para a nação rubro-negra


OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

UOL Flamengo #34: Desorganização coletiva explica queda de produção do Fla

Do UOL, em São Paulo

26/10/2021 16h00

Em seus últimos jogos, o Flamengo teve uma queda brusca de desempenho e deixou seu torcedor preocupado, ainda mais em uma semana com jogos decisivos pela frente. A derrota no Fla-Flu pelo Brasileirão (3 a 1) e o empate com o Athletico (2 a 2) no duelo de ida das semifinais da Copa do Brasil acenderam o alerta na Gávea e expuseram alguns problemas da equipe.

No podcast UOL Flamengo #34 (ouça na íntegra no episódio acima), o apresentador Vanderlei Lima, o colunista Rodrigo Mattos e o setorista Leo Burlá analisaram os motivos que levaram o time a cair de produção e o que pode ser feito para retomar o bom futebol. Para eles, não basta para o Fla apostar apenas nos retornos de Gabigol, Bruno Henrique e Arrascaeta ao time titular.

"Os aspectos que estão levando o Flamengo a não ter resultado nos últimos três jogos já eram algo que existia na era Renato. Desde que ele entrou, o time tinha desorganização e falta de futebol coletivo. Isso era mascarado por um time titular muito bom, com um entrosamento e uma memória que independem de técnica. Quando se colocam Bruno Henrique, Arrascaeta, Everton Ribeiro e Gabigol, você tem uma máquina azeitada. Quando não tem, o Flamengo tem um rendimento muito ruim porque o Renato Gaúcho não consegue encontrar soluções dentro do seu time reserva", analisou Mattos.

Burlá destacou que os prováveis retornos de Gabigol e Bruno Henrique devem ajudar a equipe a se aproximar da qualidade de futebol exibida pelo time anteriormente. "Perder um clássico e empatar um jogo do Brasileiro são coisas que estão na conta, só que assusta demais a performance. Contra o Fluminense, foi mais um jogo péssimo do Flamengo, com uma pobreza de ideias e um time muito mole. Ficou evidente que havia um time com muito mais desejo em campo. Com Bruno Henrique e Gabigol, volta uma parte imensa dessa memória de futebol. É um acréscimo gigantesco, que coloca o Flamengo perto da cara que o torcedor conhece", disse o repórter.

Nesta semana, o Flamengo terá jogos cruciais para suas pretensões nesta temporada. Na quarta-feira (27), o Fla encara o Athletico no Maracanã no duelo de volta das semifinais da Copa do Brasil. No sábado (30), é a vez de encarar o Atlético-MG, líder do Brasileirão. Uma derrota para o Galo significaria o adeus às chances rubro-negras de conquistar o título do torneio.

Para Mattos, a derrota no clássico para o Fluminense mostrou que Renato Gaúcho sente dificuldades para fazer o time jogar de uma maneira diferente. "No último jogo, ele escalou o Vitor Gabriel porque só consegue jogar com um centroavante. Não deu certo. O garoto não estava à altura de jogar no time titular. Em termos de resultados, houve uma queda, principalmente nos três últimos jogos. Em termos de rendimento, havíamos verificado que o time enfrentava problemas há algum tempo, com um problema coletivo tanto de marcação como ofensivo, quando enfrenta adversários fechados", opinou.

Para o colunista do UOL, a equipe do Flamengo precisa se organizar melhor para crescer de rendimento. "Em geral, times desorganizados parecem ter menos vontade do que os outros. É o que tem acontecido com o Flamengo. O time corre errado e, por isso, achamos que corre menos. Muitas vezes, o torcedor não consegue ter essa percepção e atribui essa questão de falta de vontade, mas na verdade é falta de organização mesmo", finalizou.

Ouça o podcast UOL Flamengo e confira também a discussão sobre o discurso do técnico Renato Gaúcho sobre suas pretensões no Brasileirão.

Os podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts e em todas as plataformas de distribuição de áudio. Você pode ouvir UOL Flamengo, por exemplo, no Spotify, Apple Podcasts, Amazon Music e YouTube.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL