PUBLICIDADE
Topo

Olimpíadas

Olimpíada de Tóquio economizará R$ 1,8 bilhão com medidas de simplificação

CEO da Tóquio 2020, Toshiro Muto disse que haverá mais medidas de corte de gastos - ISSEI KATO
CEO da Tóquio 2020, Toshiro Muto disse que haverá mais medidas de corte de gastos Imagem: ISSEI KATO

Jack Tarrant

07/10/2020 12h10

Os organizadores da Olimpíada de Tóquio anunciaram hoje que adotarão medidas de redução de custos para economizar o equivalente a US$ 283 milhões (cerca de R$ 1,85 bilhão) enquanto planejam os Jogos do ano que vem.

Em março, o governo japonês e o Comitê Olímpico Internacional (COI) adiaram o evento para 2021 por causa da pandemia de covid-19.

Desde então, o COI disse que prevê gastar US$ 800 milhões (cerca de R$ 5,2 bilhões) com custos adicionais por causa do adiamento, mas os organizadores no Japão têm falado em cifras mais modestas.

Também hoje, membros do comitê organizador da Tóquio 2020 fizeram uma apresentação virtual ao COI na qual delinearam mais de 50 medidas de "simplificação".

Entre elas está a redução de gastos com a aparência dos locais de competição, mudanças nas operações de revezamento da tocha e a redução do envio de equipes de não atletas a Tóquio.

O presidente-executivo da Tóquio 2020, Toshiro Muto, disse que haverá mais medidas de corte de gastos.

Olimpíadas